Opiniões

Projeto de Renato Barbosa vive no PT de Campos

O projeto que o petista Renato Barbosa tinha para Campos não morreu com ele. Pelo menos é o que garante aquele que em vida foi um de seus maiores amigos e principais colaboradores, o odontólgo Marco Barcelos. Herdado por Odisséia Carvalho junto com o mandato na Câmara, o grupo de Renatinho teve força para fazer a secretaria Geral da nova executiva municipal, com o advogado Marcos Welber, o Marcão, que junto com seu xará dentista, são aventados para uma candidatura a vereador, pelo PT, em 2012 — chance que aumentaria substancialmente caso Odisséia confirme sua intenção já manifesta de se lançar à Prefeitura de Campos no próximo pleito.

Para credenciá-la à sucessão da prefeita Rosinha (PMDB), Barcelos fala em nome do grupo de Renato ao afirmar que a vereadora petista tem honrado o único mandato do partido na Câmara. E embora concorde que há diferenças entre os dois, acredita que Odisséia tem evoluído tecnicamente em sua atuação parlamentar. Além, afirma que Renato Barbosa, também teria defendido a CPI dos Royalties. Ele só discorda de que o grupo de petistas que tentou ridicularizar publicamente Renatinho tenha agora se tornado aliado do grupo de Odisséia e do seu marido e presidente do partido em Campos, Eduardo Peixoto, preferindo tratar o movimento como fruto da filosofia adotada por este para agregar politicamente todas as correntes locais do PT. Mas ao revelar que os ataques a Renato não cessaram nem após sua morte, rechaçando qualquer possibilidade de ligação com seu autor, Marco usa para classificá-lo o mesmo adjetivo contundente que o falecido vereador empregava em vida (aqui): “canalha!”        

 

 

Falando em nome do grupo de Renato Barbosa, de quem foi grande amigo, o petista Marco Barcelos revelou que os ataques de companheiros do próprio partido ao falecido verador não cessaram nem após sua morte (foto de Mauro de Souza)
Falando em nome do grupo de Renato Barbosa, de quem foi grande amigo, o petista Marco Barcelos revelou que os ataques de companheiros do próprio partido ao falecido verador não cessaram nem após sua morte (foto de Mauro de Souza)

 

 

Blog — Com a morte de Renatinho Barbosa, como ficou o seu grupo, do qual você faz parte, no exercício do seu mandato de vereador, único do PT na Câmara, por Odisséia Carvalho?

Marco Barcelos — O nosso grupo é forte e continua vivo. Diante da morte de Renato, nos reunimos e decidimos dar continuidade aos projetos políticos dele. Nós temos certeza de que seria esta a vontade do nosso irmão. Ele sonhava com uma Campos melhor, mas esse sonho não era só dele, era do grupo: permanecem conosco.

 

Blog — Em entrevist a este blog, publicada no último sábado (aqui), o presidente da Câmara, Nelson Nahim (PR), disse que Renato e Odisséia, embora amigos, tem “personalidades muito diferentes”. Se concorda, como essas diferenças se manifestam na atuação política e parlamentar de ambos?

Marco — De fato, são duas pessoas distintas, cada qual com sua personalidade, apesar de partilharem as mesmas ideologias partidárias. Renato era advogado e tinha um melhor entendimento parlamentar, no sentido de elaboração de leis e projetos. Já Odisséia tem uma origem sindicalista. Tem pouca experiência como vereadora, mas temos observado que, tecnicamente, ela se supera a cada dia. Nosso grupo decidiu dar apoio a ela, pois, mesmo não sendo igual a Renato, tem objetivos nobres, com os quais concordamos.

 

Blog — Em seu ponto de vista e no do grupo de Renatinho, Odisséia acertou ao insistir com a proposta da CPI dos Royalties, mesmo depois de abandonada pela bancada de oposição? Acredita que Renato agiria diferente? De uma maneira geral, acha que suas bandeiras estão sendo bem conduzidas por Odisséia?

Marco — Quando vereador, Renato se manteve na oposição. Não aquela feita de maneira irresponsável, com o único objetivo de derrubar o prefeito. O que ele sempre exigiu foi transparência e probidade. Para isso, se valia até mesmo de requerimentos junto ao Ministério Público. Dessa forma, sim, acreditamos que ele agiria do mesmo modo que Odisséia vem atuando e concordamos com isso. Não se deixaria abater pelo repúdio da situação. Vemos que o PT vem sendo bem representado por ela, com uma conduta íntegra.

 

Blog — Odisséia, como o blog antecipou com exclusividade (aqui), se reuniu na semana passada com o advogado e blogueiro Cleber Tinoco, com vistas a uma assessoria jurídica para exigir na Justiça os três pedidos de informação, sobre obras do governo Rosinha, negados pela bancada governista, na mesma sessão em que todos os demais vereadores negaram a CPI dos Royalties. No grupo de Renato há dois advogados, o Marcos Welber (Marcão) e o José Eduardo Pessanha da Silva. Eles estão trabalhando em conjunto com o Cleber? Parece que Odisséia ainda não ingressou no Ministério Público porque ainda está sem a ata daquela sessão. Sabe como está essa questão?

Marco — Na realidade, os advogados do nosso grupo estão à disposição de Odisséia, mas não trabalham em conjunto com Cleber Tinoco. Os serviços que vêm sendo prestados por eles ao gabinete da vereadora é de assessoria jurídica e parlamentar, bem como de atendimento comunitário à população carente. A questão da ata continua na mesma: ainda não foi entregue para as devidas providências. 

 

Blog — Não só Renato e Odisséia, como também Hugo Diniz, Hélio Anomal e o (hoje) ex-petista Makhoul Moussalém, foram pública e reiteradamente ridicularizados por um grupo do próprio PT que, após garantir uma vaga na executiva do partido, hoje parece ter se aliado à vereadora e ao seu marido, o presidente Eduardo Peixoto. Como você e o grupo de Renato reagiram aos ataques que ele sofreu, muitos até de ordem pessoal, por parte de companheiros do mesmo partido, e como vocês vêem essa aparente pacificação atual?

Marco — Uma pessoa traiu nossa confiança, atacando os companheiros de uma forma estúpida. Esse covarde não mostra a cara e se esconde por trás de um blog, mas já sabemos quem ele é. Prova de seu desequilíbrio é o fato de ele atacar até mesmo as pessoas do seu próprio grupo. Ora, ninguém precisa ser amigo, mas estamos dentro de um mesmo partido, o que se espera, ao menos, é respeito, ainda que as idéias sejam diferentes. Esta pessoa não teve consideração nenhuma ao nosso irmão Renatinho, mesmo após a sua morte. Assim, não temos e não queremos qualquer ligação com esse canalha. Não consideramos que houve uma aliança entre o atual presidente do PT em Campos e o grupo ao qual você se refere. O fato é que Eduardo Peixoto adotou com habilidade uma filosofia de agregar todas as correntes do partido. 

 

Blog — Na nova executiva municipal do PT, além deles próprios como vogal e presidente, Odisséia e Eduardo fizeram também o André na secretaria de Formação Política. Helinho Anomal fez o Hugo Diniz na tesouraria e a Edilma no CEM. O Félix Manhães fez Robinho na vice-presidência, o grupo ligado ao Roberto Moraes fez Fábio Paes na Comunicação e o de vocês o Marcão na secretaria Geral. Foi uma divisão justa?

Marco — Sim. Vemos que a escolha das pessoas para os cargos foi realizada de uma maneira bem democrática. Não houve, simplesmente, indicações. Cada qual conquistou seu lugar através do poder de voto que demonstrou ter durante a eleição para presidente do partido. Não há o que se questionar quanto a isso. Eduardo Peixoto conduziu de maneira pacífica a distribuição dos cargos.

 

Blog — Você e seu xará, o Marcão, aparecem como os dois nomes politicamente mais fortes do grupo de Renatinho. Algum dos dois pensa em se lançar a vereador em 2012, ou isso depende de Odisséia vir ou não à prefeita? E agora, em 2010, quem vocês vão apoiar para deputado estadual, federal e senador?

Marco — No grupo não há pessoas mais fortes que outras. Como o próprio nome sugere, somos um grupo. Só temos força se unidos. Uma coisa é certa: o PT terá um vereador deste grupo em 2012, mas não definimos o nome ainda. Melhor seria se Odisséia se lançasse candidata a prefeita, mas, caso isso não aconteça, não vai adiar nossos planos. Agora para 2010, vamos apoiar para deputado estadual Rodrigo Neves, Vladimir Palmeira para federal e, para senador, se vencedor das prévias, Lindberg Farias. Todos do Partido dos Trabalhadores.

Este post tem 21 comentários

  1. Gostaria saber à respeito novela Royalties? O PT (CAMPOS-RJ);continuará firma com CPI?? Estou confiante.

  2. Espero que o “PT” (CAMPOS-RJ)Consiga lutar e adquirir os projetos indicados por Renatinho;que faz tanta falta nesta bancada e em nossas vidas!

  3. O PT de Campos é tão fraco, tão fraco, tão fraco, que foi buscar Renatinho no PHS para conseguir um vereador. Renato nunca foi petista, porém foi um grande vereador.

  4. CARA VEREADORA ODISSÉIA VC ESTA NO CAMINHO CERTO SE O RENATO ESTIVESE AQUI ENTRE NOS ELE FARIA O QUE VC ESTA FAZENDO PARABÉS VA ENFRENTE NÃO DEZISTA DO QUE VC ACREDITA ESTOU COM VC É TODO O MEU GRUPO BEIJOS. A PAZ DO SENHOR!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. Fiquei satisfeito em saber que o grupo que sempre auxiliou Renato Barbosa continua unido e lutando pelos ideais que todos acreditam.
    Renato Barbosa era um homem idealista, acreditava que através da política poderia melhorar a vida dos municipis, e para lutar pelos seus ideais até prejudicava a sua vida pessoal.
    Os amigos, aqui chamado de grupo de Renato Barbosa, são pessoas que acreditavam nos seus ideais, e lutavam com ele para uma Campos dos Goytacazes melhor, sem se preocuparem com cargos públicos.
    Certamente, o grupo de Renato Barbosa como bem falou e Marco Barcelos tem tudo para eleger um vereador, pois realmente trata-se de um grupo muito unido.

  6. Caro Cricio,

    Creio que em relação à CPI dos Royalties, não há muito que se fazer na Câmara, pelo menos não por agora, depois que todos os demais vereadores ficaram contra a proposta apresentada por Odisséia. Mas vamos continuar acompanhando…
    Quanto à continuidade dos projetos de Renato por Odisséia, creio que o endosso do grupo do falecido vereador ao trabalho da atual é um bom sinal.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  7. Caro Celso,

    Inegavelmente, o PT não só de Campos, mas do estado do Rio como um todo, tem uma força bem inferior àquela que demonstra em outros estados, bem como à nível nacional. Mas, petismos à parte, vc está coberto de razão: Renatinho foi um grande vereador!

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  8. Caro Wilson,

    Creio que não só vc, mas todos os campistas de bem ficaram felizes ao constatar que o grupo de Renato Barbosa mantém vivo seu projeto para Campos. Torçamos que, a despeito dos canalhas, as bandeiras de Renatinho sigam em frente com Odisséia e com todos aqueles que se apresentarem para levá-las adiante.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  9. Caro Aluysio,
    Na minha opinião do grupo de Renato Barbosa o que mais tem chance na vida politíca é aquele que além de primo sempre foi o seu maior companheiro, MARCOS UELBE.
    O MARCÃO como é conhecido o Marcos Uelbe, é contador e advogado, tem uma vida financeira estável, não depende de política para sobreviver, é uma pessoa “leve” que tem muito carisma.

  10. Caro Wilson,

    Ao elencar dentro do grupo de Renato aqueles que teriam mais chance na política eletiva extra-PT, vc citou justamente os dois pinçados na entrevista: Marco Barcelos (em seu primeiro comentário) e Marcos Welber (ou Uelbe???; lembrado em seu comentário seguinte).
    Ressalvado que (ainda) não conheço pessoalmente o Marcão, tenho deles boas referências, endossadas agora pelas suas. Mas o importante é que, como vc ressaltou, o grupo de Renatinho é muito unido, diferente de outros no PT de Campos, estrategicamente rachados pela entrevista e cujos nomes igualmente nobres de batismo foram tomados em empréstimo póstumo, sem autorização concedida em vida, num exercício porco de psicografia ou de falsidade ideológica pura e simples.
    Em suma, creio que com qualquer um dos Marcos, assim como ora ocorre com a Odisséia, as bandeiras de Renatinho serão erguidas com dignidade.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  11. Renato estara sempre vivo pois todos os projetos que sao de intereses do povo ele sempre estava junto ,pois sua oposição era inteligente e acima de tudo com muita coerencia!Já o conhecia pois trabalhei com ele na petrobras e depois na secretaria de Petroleo ele sempre colocava seus ideais como prioridades e sonhava por Campos melhor,pois ele sabia que os problemas de Campos era falta de moral e sensibilidade pra com a população.

  12. Com relação a nome pra substitui-lo penso que ainda é cedo pra se pensar,até porque será muito dificil !

  13. Caro Alexandre,

    Penso não se tratar de substituir Renato, como vc aventa em seu segundo comentário, mas de continuar seus projetos, como diz no primeiro. E, sim, para todos aqueles que tiveram o privilégio de conhecê-lo, Renatinho estará sempre vivo.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  14. Certamente Renatinho ia querer a CPI dos Royalties. Odisséia precisa seguir em frente, cumprir seu papel de petista substitindo o Renatinho e, sobretudo, representar a vontade do povo sempre!

  15. Ninguém substituirá meu marido!!!! Ele era único! Ninguém se atreverá… Visto que, nunca conseguirá.
    Teria muito mais a falar sobre ele. Mas, no que depender de mim, o nome dele não será usado para “lançar” NINGUÉM. O grupo existe sim, e tenho orgulho disso. São amigos verdadeiros que ele tanto admirava.São pessoas que me apoiam nesse momento. Mas não podemos confundir as coisas.
    Peço mais respeito à memória dele.
    A minha família,ainda sofre muito. A dor é muito grande. Gostaria que respeitassem isso.

    JOSSANA DOS SANTOS BARTOLAZZI BARBOSA.

  16. De fato, a entrevista concedida por nosso companheiro Marco Antônio bem denota o sentimento que hoje impregna o “Grupo de Amigos do saudoso Renato Barbosa”.
    O Grupo continua trabalhando, árduamente, para manter os laços com os colaboradores, bem como esforça-se para manter vivos vários projetos sociais do finado Renato.
    No momento oportuno, por certo será pinçado o companheiro que sucederá Renato, sendo que os nomes já citados bem poderiam representar todo o grupo, assim como outros que também reúnem a idêntica condição. Como esta “decisão interna” somente será ultimada, s.m.j., para o próximo pleito municipal, por ora as decisões são tomadas sob a forma de colegiado, tudo no mais amplo sentido democrático, como nosso amigo Renato por certo aprovaria.
    Cordiais saudações!

  17. Caro Leandro,

    Também acho que Renatinho iria querer a CPI, muito embora tenha dúvidas se ele insistiria diante da negativa da bancada de oposição. Não que ele fosse menos persistente que Odisséia, mas creio que pesaria mais em sua balança a negativa dos colegas de bancada. Mas, de qualquer maneira, com a morte de Renato, isso é algo sobre o qual, infelizmente, nunca teremos certeza…
    O fato é que Odisséia insistiu mesmo em saber onde e como foram, de fato, aplicados os mais de R$ 6 bilhões recebidos em royalties por Campos nos últimos 20 anos. Como vc poderá ler dois posts acima, a vereadora não só cumpriu sua promessa de levar ao Ministério Público os três pedidos de informação sobre obras do governo Rosinha, como também levou o questionamento sobre a real destinação dos royalties no município, desde que eles começaram a ser pagos, em 1989.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  18. Cara Jossana,

    Em primeiro lugar, peço desculpas pelo atraso na aceitação do seu comentário, bem como neste retorno devido. Ocorre, contudo, que fiquei sem acessar a net durante todo o dia de ontem e a manhã de hoje.
    Se ninguém susbstituirá Renatinho como político ou amigo, muito menos como companheiro de vida. Todos aqueles que tiveram o prazer de conhecê-lo, embora ninguém talvez tão bem quanto vc, podem assim mesmo endossar suas palavras: Ele era único!
    Como vc disse, o grupo político de Renato permanece vivo. E é bom saber não só que vc se orgulha disso, como pelo fato de classificar seus integrantes como amigos verdadeiros, que contavam com a admiração dele. Aliás, saber que eles têm lhe apoiado neste momento difícil, torna esse sentimento de admiração comum a muito mais gente.
    Todavia, seu desejo, em relação a Renato, é uma ordem neste espaço: a ninguém do grupo político de Renato, ou fora dele, será mais associado por este blog ou pela Folha a chancela do seu nome, muito embora se torça para que, como Odisséia tem feito na Câmara, suas bandeiras continuem vivas e erguidas com dignidade.

    Grato pela colaboração e abraço solidário de um dos tantos amigos que Renato cultivou em sua vida!

    Aluysio

  19. Caro José Eduardo,

    Sim, a decisão caberá a todos do grupo, democraticamente, como sempre foi a praxe de Renato. Todavia, a pedido da sua viúva, Jossana, o nome escolhido, qualquer que seja, não poderá mais ser tratado neste espaço como sucessor de Renato, apenas como nome escolhido por seu grupo.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  20. odisseia gostaria que vc desse olhada na jose pelucio que ate hoje nao acertou com seus fucionarios por favor em nome de jesus

  21. Caro Rosalvo,

    Creio que o seu comentário acima se destinava à entrevista com a vereadora Odisséia Carvalho, publicada exatamente uma semana depois desta, com o petista Marco Barcelos.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

Deixe uma resposta

Fechar Menu