Opiniões

Ilsan pela eleição direta

Por telefone, a vereadora Ilsan Viana (PDT) informou ao blogueiro de sua fala na tribuna, na sessão de hoje da Câmara, em defesa da eleição direta para prefeito. Ela também parabenizou a Folha pela mesma iniciativa. O que foi dito em resposta é extensivo a todos que estão na campanha iniciada aqui pelo Joca Muylaert: o mérito é de todos nós!

Abaixo, o momento e o conteúdo da fala da vereadora:

Ilsan discursa em defesa da eleição direta, observada pelo presidente Rogério Matoso (foto de Leonardo Berenger)
Ilsan discursa em defesa da eleição direta, observada pelo presidente Rogério Matoso (foto de Leonardo Berenger)

Senhor Presidente,

Vereadoras e vereadores, público presente, Imprensa…

O que me traz, hoje, a esta tribuna é o meu dever de me manifestar, como vereadora, representante eleita pela sociedade campista, sobre a grave possibilidade das eleições suplementares previstas para este final de ano, em Campos, ocorrerem de forma indireta, restritas ao colégio eleitoral da Câmara Municipal.

O que se anuncia, a partir de uma resolução recente do Tribunal Superior Eleitoral, que regulamenta o tema, é um retrocesso inominável, à despeito de sua discutida legalidade.

Já vencemos o tempo do obscurantismo, quando era comum a escolha dos governantes por via indireta, com exclusão do povo. Essa fase faz parte, hoje, de um passado de triste memória. Não é razoável que o TSE, a mais alta corte da Justiça Eleitoral, queira reeditar essa página nebulosa de nossa história.

O que cabe à Justiça Eleitoral, nesse momento, é responder, com o julgamento célere da ação que afastou a prefeita de Campos, por abuso de poder econômico.

Além disso, cumprir o que estabelece a legislação que regula situações como essa: empossar, interinamente, o presidente da Câmara, na vaga do prefeito e marcar, imediatamente, eleições para que a população, de forma soberana e legítima, escolha o novo mandatário. Qualquer outra coisa, além disso, se apresenta como casuísmo.

A prevalecer esta resolução, teremos uma situação surreal, em nosso Município. Um colégio eleitoral de mais de 330 mil eleitores, sexto maior orçamento municipal do país, maior território do estado do Rio de Janeiro, pólo regional, ter o seu principal gestor escolhido por dezessete vereadores. Nada justifica essa violência.

Ademais, é importante ressaltar que o fato gerador da cassação da prefeita foi revelado e julgado pelo TRE bem antes do término do segundo ano da gestão, inclusive, com a substituição do chefe do Poder Executivo, conforme preconiza a lei. Impedir que a população escolha o novo prefeito é punir o eleitor, quando quem merece castigo é quem abusou do Poder político.

Senhor Presidente, recentemente, estive, acompanhada de dirigentes de vários partidos políticos de Campos, numa audiência com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Nametala Jorge.

Naquela oportunidade entregamos a ele um documento, no qual, pedimos agilidade na marcação das novas eleições. Ouvimos do desembargador que sua preocupação é com a garantia do direito do eleitor de Campos em decidir seu destino, através do voto universal e livre. Esse também é o sentimento da sociedade campista, que não aceita ser representada numa conquista cara à cidadania brasileira. Para o povo, o voto é pessoal e intransferível. Todos devem estar empenhados nessa luta, nesse momento: eleições suplementares e diretas já.

Obviamente, que minha defesa do voto direto e universal, nada tem contra a legitimidade do Poder Legislativo, do qual faço parte com muito orgulho. Reconheço a legitimidade desta Casa de Leis, suas obrigações regimentais e institucionais, mas nenhum Poder pode usurpar o direito sagrado do eleitor, a não ser em condições, absolutamente, excepcionais, o que não é o caso.

Dessa forma, senhor Presidente, conclamo a todos que cerrem fileiras com quem defende o exercício pleno da Democracia a se manifestarem pelas eleições suplementares diretas. O povo de Campos tem história e tradição suficientes para decidir seu futuro.

Obrigada.

Este post tem 6 comentários

  1. O que eu admiro na Ilsan é a postura dela, fala o que pensa sem medo de errar, parabèns de verdade, a foto diz tudo também, muito boa.

  2. Não podia de partir da vereadora Ilsan outra coisa a não ser lutar pela DEMOCRACIA E O POVO DE CAMPOS,que lhe deu mais de 7 mil votos de reconhecimento por suas capacidades variadas.Digo isso,pois muita coisa boa que acabou desde o governo MOCAIBER,foi iniciativa dela no campo de atendimento social.Diretas é bom para todos!

  3. Enquanto os outros edis ficam olhando para o nada, a vereadora Ilsan coloca sua posição e marca com isso um pontopara a democracia de nossa cidade. o estado democrático de direito deve prevalecer, doa a quem doer.
    Naõ vamos tolerar mais uma absurdo deste.

  4. A Ilsan de vez em quando ela faz algum comentário na câmara, sempre criticando. Também pudera, ela é adversária do governo atual, sendo assim não podemos esperar outra atitude dela mesmo. Seria bom se ela pensasse mais no povo, procurasse levar nossas reivindicações e lutar por elas, assim estaria justificando a votação tôda que teve, apesar de pelo número de terceirizados que tinha no governo que foram os seus eleitores se ela fosse competente teria o triplo desse voto.

  5. A Ilsan coitada, tudo que acontecia de errado no governo de Arnaldo ela levava a culpa. Eram os shows que foram comprovadamente superfaturados, os milhões pagos à Imperatriz Leopoldinense, isso para falar alguns dos escândalos. Foi uma luta para ela conseguir ocupar seu cargo, porque essas acusações estavam pesando no seu currículo. Agora já que ela está lá, estou torcendo para que ela cumpra bem a sua missão que é representar o povo e mostrar que está lá não por uma ambição pessoal mas pela vontade de lutar em prol do desenvolvimento da nossa cidade.

  6. É ,será que Ilsan é culpada pelos milhões gastos na passarela do SAMBA,lá no final de Campos,obra de faraó,enquanto a SAÚDE DE CAMPOS foi pro ralo,gente morreu,outros em corredores? E as MILHONÀRIAS obras do VALão,hoje sem seguir o projeto inicial,E as praças de papel? Hoje passei por uma,recém-inaugurada num conjunto atrás do Novo mundo,com brinquedos quebrados,só 2 árvores pequeninas,e por aí vai,gastos e gastos,que não foram de Nélson Nahin não,este meteu “O PÉ NO FREIO” e parou a gastança,organizou hospitais,deu condições da Santa Casa oferecer mais serviços,então,TAIS,é fácil falar de ILSAN né? Fala da outra também! Ou não tem como pois trabalha lá?

Deixe uma resposta

Fechar Menu