Opiniões

Odisséia votará contra aprovação das contas

A vereadora  Odisséia Carvalho (PT) enviou e-mail ao blogueiro, dizendo que votará contra a aprovação das contas de Alexandre Mocaiber (PSB) e Roberto Henriques (PR), sejam elas encaminhadas a plenário juntas ou separadas. Não há dúvida que a petista jogará bem para a galera, muito embora, para quem tenha um pouco mais de memória, talvez seja difícil explicar como votar contra um governo do qual participou ativamente (o de Mocaiber).

Abaixo, o e-mail e as explicações da vereadora…

 

De acordo com análise feita sobre a prestação de contas de Alexandre Mocaiber e Roberto Henriques, o meu voto é contrário à aprovação da mesma. A minha impressão sobre o fato é a de que se as contas forem votadas em bloco único a aprovação acontecerá, pois a maioria dos vereadores será favorável. Porém, se forem votadas separadamente o saldo não será positivo para nenhum dos dois.

Segundo parecer do TCE, não foram aplicados devidamente os percentuais mínimos de recursos para a Educação (25%) e Saúde (15%). Em relação às contas com recursos do Fundeb os dados enviados pelo governo municipal não permitiram analisar diversos aspectos, entre eles a utilização de 60% para a remuneração do magistério da Educação Básica e o não encaminhamento de elementos que possam avaliar o cumprimento de metas estabelecidas.

Além desses, há muitos outros aspectos que embasam minha decisão de rejeitar as contas.

A minha posição portanto é pela não aprovação das contas de ambos quer
sejam votadas juntas ou separadas.

 

Blogueiros “progressistas” — O retrocesso dos chapa branca

Em comentário à estréia do seu “Ponto de Vista”, quando afirmei que, em prosa, o Christiano Abreu Barbosa sempre escreveu melhor do que eu, alguns colegas, como o também jornalista e blogueiro Saulo Pessanha, entenderam minha postura como fruto de humildade. Agradeço à generosidade, por certo imerecida, do Saulão, mas apenas escrevi da maneira como apreendo ser a realidade.

Intercalando suas muitas funções como empresário com a atividade de comunicador, Christiano tem sempre evoluído, post a post, na construção daquele que entendo ser o blog mais completo (sempre bem equilibrado entre economia, política, futebol, cotidiano e cultura) entre os 41 orgulhosamente hospedados pela Folha Online.

No último domingo, a partir da entrevista de compadres promovida por Lula entre os blogueiros que deram apoio à candidatura vitoriosa de Dilma Rousseff — muitos deles em troca de benefícios custeados com dinheiro público, como já denunciou o jornalista Merval Pereira —, Christiano fez (aqui) uma análise detalhada, didática e equilibrada sobre a polarização entre a mídia tradicional e os blogs auto-intitulados “progressistas”, recrudescida pelo calor da campanha presidencial.

Os reflexos desse confronto “David e Golias”, pretendido por muito candidato a “rei de Israel”, tem seus reflexos também em Campos, sobretudo naqueles que, muitas vezes por interesses e projetos pessoais inconfessáveis, insistem no estabrismo da contraposição, tentando desviar o foco da complementaridade entre as mídias, caminho endossado não só pelos mais de 20 mil acessos diários da Folha Online (aditivo aos blogs que hospeda, na mesma medida em que é por eles aditivada), como pela Folha impressa, ao reproduzir entre suas edições de sábado e amanhã, entrevistas feitas com o presidente da seção local do Sinasefe, Paulo Caxinguelê; o presidente da OAB-Campos, Filipe Estefan; o juiz criminal Glaucenir Oliveira; e o presidente do Cidac, Ranulfo Vidigal. Agregadas ao leitor do papel, as entrevistas puderam ser lidas em primeira mão, respectivamente, nos blogs “Juventude e Atitude” (aqui), neste “Opiniões” (aqui), no “Marco Barcelos” (aqui) e no “Entrelinhas” (aqui).

Curioso é notar que, entre os quatro responsáveis pelos blogs, apenas dois passaram pelo curso de Comunicação Social: este blogueiro e a também jornalista Júlia Maria, mas ambos sem concluí-lo. Já o André Lacerda cursa administração de empresas e o Marcos Barcelos é dentista. Este foi um dos aspectos que influiu na decisão do Supremo, ao considerar um anacronismo a exigência do diploma à atividade de jornalista: como exigí-lo de um comunicador que trabalha num jornal e não fazer o mesmo com quem o complementa ou com aqueles que alimentam até a pretensão de competir com os jornais?

Como bem disse o Christiano, em seu post, “são os consumidores de informação que realmente determinam a consagração ou o fracasso de um veículo de comunicação”. Em Campos, talvez fosse interessante pesquisar, por exemplo, se os consumidores de informação conhecem o percentual entre os formados do único curso de Comunicação da cidade — onde quem ensina como é uma redação de jornal, o faz dentro dos seus defasados conhecimentos práticos da década de 90 — e aqueles universitários que passam por um estágio na Folha, quantos deles vingaram no mercado de trabalho como jornalistas. 

Como diretor de redação da Folha, a imensa desproporção pró-jornal, no lugar de motivo de orgulho, é assustadora, pois não tenho dúvidas de que a maioria dos jornalistas, em Campos ou qualquer outro lugar, sempre sairá dos cursos de Comunicação, mesmo aqueles que relegam a formação do profissional quase integralmente à prática. De qualquer maneira, fica aí a sugestão, quem sabe, para uma monografia…

PIG: abreviatura de Partido da Imprensa Golpista, não coincidentemente “porco” em inglês. A expressão, como Christiano bem lembrou, foi cunhada pelo jornalista Paulo Henrique Amorim, ex-Globo e atual Record do bispo Edir Macedo, da Igreja Universal, principal sustentáculo do lulo-petismo dentro do relevante eleitorado evangélico. Serve bem aos interesses do patrão de um jornalista, mesmo quando é ironicamente ecoado ad nauseam pelos blogueiros auto-intitulados “progressistas” contra os mesmíssimos patrões da mídia, sempre que esta se “atreve” a veicular críticas ou denúncias contra o velho personalismo messiânico e assistencialista encarnado com raro talento por Lula.

Velha também, quase tão antiga quanto o próprio Gutenberg, é a nomenclatura que se aplica aos blogueiros que vociferam a “novidade” ecomendada do “PIG”. São os manjadíssimos chapa branca. Em nome da diversidade, da alternativa democrática à versão oficial, só podem ser sinônimo de “progressistas” no dia em que o adjetivo deixar de ser antônimo de retrocesso. 

Mas, aí, o “nunca antes na história deste país” teria que ser expandido também à língua portuguesa.

Abaixo, o post do Christiano…   

  

Blogs, mídia tradicional e Lula

Por Christiano, em 28-11-2010 – 12h33

Na última quarta-feira, o presidente Lula concedeu uma entrevista, classificada pelo governo como histórica, a alguns blogueiros no Palácio do Planalto. Foi a primeira vez que um presidente concedeu aos blogs uma entrevista coletiva.

Os blogs são, hoje, uma forma de expressão individual que vai se consagrando como um novo tipo de mídia, na qual qualquer simples mortal pode, com um computador e acesso à Internet, expressar a sua opinião para o mundo.

Como toda mídia, não está imune a qualquer tipo de posicionamento, inclusive o político, muitas vezes visando interesses pessoais. Cabe aos consumidores de informação, que são os que realmente determinam a consagração ou o fracasso de um veículo de comunicação, saber separar o joio do trigo.

O sucesso dos blogs, muito ligado à grande interatividade com os leitores, fez muitos pensarem que eles vêm para substituir os velhos órgãos de comunicação. Um imenso erro, em meu ponto de vista. Blogs convivem bem e são complementares a jornais, TVs, rádios, portais e demais tipos de mídia.

Tanto é que recente pesquisa apontou que 90% do conteúdo dos blogs são republicações ou análises sobre conteúdos produzidos pela mídia tradicional. Uma interessante visão sobre este assunto foi publicada recentemente aqui pelo blog Opiniões, do jornalista Aluysio Abreu.

Cientes que o coletivo faz a força, muitos blogs se organizaram e se reuniram em redes informais. Em Campos, por exemplo, surgiu a Rede Blog, que fez sucesso nas eleições de 2008. Hoje, com o surgimento de outros blogs na cidade, o movimento perdeu força.

Alguns dos blogs espalhados pelo país elencaram como inimigos a mídia tradicional, destinando a ela toda a sorte de críticas, algumas com fundamento, outras nem tanto. Os mais coléricos partem para ofensas, muitas vezes de forma covarde, usando comentários anônimos postados pelos próprios blogueiros.

Brigar e polemizar com o mais forte dá Ibope. É a velha luta do Davi contra o Golias, que faz sucesso no católico Brasil, onde se valoriza a cultura do tadinho. Nesta linha, em todo o país há enfrentamento entre blogs e a mídia tradicional.

O jornalista Paulo Henrique Amorim, ex-Globo e atualmente na Record do bispo Edir Macedo, cuja linha editorial é aliada ao governo Lula, cunhou a expressão PIG, o Partido da Imprensa Golpista.

Nas disputadas eleições presidenciais deste ano, o acirramento também chegou à Internet, onde inúmeros blogs defenderam, a maioria veladamente, os seus candidatos, seja Dilma, Serra ou Marina.

Como a grande mídia, principalmente os maiores jornais impressos do país, em sua maioria apoiou, também veladamente (à exceção do Estadão), a candidatura de José Serra, os blogs aliados da candidatura do PT miraram os seus estilingues nos órgãos de comunicação.

Este blogs se uniram em um movimento, se auto denominando blogs progressistas. Realizaram até um encontro, nas vésperas da eleição. Os blogs progressistas apoiam Lula, Dilma e o governo do PT. Alguns por ideologia. Outros, por benefícios pessoais, seja diretos ou indiretos, dentro da estrutura de poder do governo federal.

A suposta entrevista coletiva “histórica” realizada por Lula com os blogueiros, foi exatamente com estes ditos progressistas, que apóiam o seu governo. O resultado, claro, não podia ser outro, uma entrevista totalmente chapa-branca, em mais um grande erro da desastrada comunicação do governo federal.

O jornal O Globo, assim como outros órgãos de comunicação, cobriu o encontro (veja na imagem acima e clique para ampliar), mostrando o caráter chapa branca da entrevista. Leia aqui a matéria, reproduzida no Blog do Noblat.

Os blogs progressistas presentes no encontro, que incluiu até o blog Cloaca News, escrito sob pseudônimo, defenderam sua posição, afirmando que a entrevista não foi chapa branca. Leia aqui, aqui e aqui, opiniões de alguns blogueiros progressistas sobre o assunto.

A Presidência da República publicou aqui matéria sobre o assunto, no Blog do Planalto, divulgando links para ouvir (aqui) ou ler (aqui) a entrevista de Lula na íntegra. Leia, ouça, forme sua opinião e tire as suas próprias conclusões.

Magal confirma o blog: Contas de Mocaiber e RH serão votadas amanhã, juntas e aprovadas

Acabou agora há pouco a reunião na Câmara, que antes seria entre todos os 17 vereadores, mas acabou se restringindo à bancada governista. Dela participaram os vereadores Jorge Magal (PMDB), Altamir Bárbara (PSB), Kelinho (PR), Albertinho (PP), Edson Batista (PTB), Vieira Reis (PRB), Jorge Rangel (PSB) e Gil Vianna (PSDC). Por telefone, no viva-voz, também se fizeram ouvir Papinha (PP) e Abdu Neme (PSB).

O que interessa, segundo o blog informou antes de reunião, e o líder governista Magal ligou depois dela, para confirmar: as contas dos ex-prefeitos Alexandre Mocaiber e Roberto Henriques (PR), pelo ano administrativo de 2008, serão votadas amanhã, juntas e aprovadas. Com os votos dos presentes, mais os dois ouvidos por telefone, somados ainda a Dona Penha (PPS) e Dante Lucas (PDT), fica fechada a conta de 12, necessária à aprovação das contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Magal também revelou que na reunião de sábado, noticiada em primeira mão pelo jornalista e blogueiro Alexandre Bastos (aqui) e flagrada pela reportagem da Folha, Anthony Garotinho (PR) usou como exemplo o ano administrativo de 2002, no governo do estado, quando ele ficou no cargo por três meses, completados pelos nove da dua vice, Benedita da Silva (PT). Essas contas também foram rejeitadas pelo TCE, sendo depois aprovadas pela Assembléia Legislativa. Segundo o ex-governador e deputado federal eleito, Henriques, que administrou o município só por 43 dias, não poderia pagar pelos supostos erros de Mocaiber.

Assim como seu irmão, o prefeito interino Nelson Nahim, com o qual os vereadores se reuniram depois, no mesmo sábado, também aprovou o acordo, como o blog já havia adiantado aqui.

Senna, Schumacher, Prost ou Fangio? Você escolhe!

 

Poeta e imortal da Academia Campista de Letras e Pedralva, a sempre ativa Heloísa Crespo enviou e-mail ao blogueiro, conclamando a votar na enquete realizada pelo conceituado jornal italiano Corriere della Serra, para eleger o melhor piloto de Fórmula 1 de todos os tempos: Michael Schumcher, Ayrton Senna, Juan Manuel Fangio ou Alain Prost?

Segundo diz Heloísa, Schumacher estava ganhando, até que um brasileiro descobriu a votação e passou a divulgá-la pela net. Na última conferida que dei, agora há pouco, Senna estava vencendo (com 69,9%), com Prost em segundo (16,6%), seguido de Schumacher (12, 7%) e Fangio (1,1%).

Como foi esse tipo de mobilização que, no Brasil, garantiu o Cristo Redentor entre as Maravilhas do Mundo, e, na Argentina, tentou colocar Maradona acima de Pelé, numa eleição do maior jogador da história, promovida pela Fifa, não custa você acessar e também deixar o seu voto. Creio que até mesmo os fãs de Piquet não terão dúvidas entre as quatro opções oferecidas. O link é 

http://www.corriere.it/appsSondaggi/pages/corriere/d_96.jsp

Acordão — Contas de Mocaiber e RH devem ser votadas juntas e aprovadas

As contas de Alexandre Mocaiber (PSB) e Roberto Henriques (PR) serão votadas amanhã, juntas e aprovadas. O raciocínio que indica um acordo com a oposição (ou pelo menos a parte dela que garanta o mínimo de os 12 votos), a partir da presença dos vereadores Jorge Rangel e Altamir Bárbara (PSB) nos encontros do último sábado, com Anthony Garotinho (PR) e Nelson Nahim (PR), está correto. Dentro deste mesmo raciocínio, feito por uma bem informada fonte dos bastidores da Câmara, também está correto apontar Abdu Neme (o terceiro vereador do partido de Mocaiber) como costureiro do acordo com a oposição. Uma outra fonte, sabedor do que ocorreu nos encontros com Garotinho e Nahim, revelou que o acordo recebeu a chancela de ambos.

Não por outro motivo, a reunião de hoje, anunciada por Magal, para se tentar chegar a um consenso entre situação e oposição, não mudou o caráter. Apenas se tornou desnecesária.

Contas de RH e Mocaiber — Reunião dos 17 agora vira só da situação

Por volta das 13h, o presidente da Câmara Rogério Matoso (PPS) informou ao blogueiro que não havia sido convidado à reunião que o líder governista Jorge Magal (PMDB) havia revelado ao blog (aqui), estar marcada para esta tarde, entre todos os 17 vereadores. Na pauta, a tentativa de um consenso sobre a votação das contas dos ex-prefeitos Alexandre Mocaiber (PSB) e Roberto Henriques (PR), relativas ao ano de 2008, prevista para para as sessões da última quarta, adiada por falta de quórum, ou de amanhã, como o presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Vieira Reis (PRB), revelou com exclusividade ao blog (aqui).

Como Matoso disse só saber da reunião pelo que leu neste blog e na Folha, o contato foi buscado com Magal. Agora há pouco, ele informou que a reunião de hoje, que antes anunciou para todos os vereadores, agora será só entre os governistas. “Se os colegas da oposição quiserem aparecer, serão bem vindos”, ressalvou o líder de Nelson Nahim (PR), herdado de Rosinha Garotinho (PMDB). O fato é que o caráter da reunião parece ter mudado de sexta-feira para cá. Provavelmente, as reuniões entre os vereadores da situação, inclusive Jorge Rangel e Altamir Bárbara (ambos do PSB, mesmo partido de Mocaiber), flagradas pel reportagem da Folha no último sábado, nas casas do ex-prefeito Anthony Garotinho (PR) e do atual, seu irmão Nahim, deve ter alguma coisa a ver com isso.

Uma coisa é certa, com a necessidade de 12 votos para aprovar as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), situação e oposição não fecham a conta sozinhos.

 

Atualização às 15h17: Bússola da Folha para o flagrante das reuniões do último sábado, entre os vereadores governistas com Garotinho e depois Nahim, a informação foi dada em primeira mão pelo jornalista e blogueiro Alexandre Bastos (aqui). Para não incorrer no Crtl+C/Ctrl+V sem o devido crédito, prática virtual das mais condenáveis, fica feito o devido registro.

Filipe Estefan — Na crista da onda, presidente da OAB abre mão de nova reeleição

Na crista da onda deste seu segundo mandato consecutivo à frente da OAB-Campos, após assegurar a promoção de novos seis juízes em varas ociosas da Comarca, no lugar de capitalizar individualmente o bom momento político, Filipe Estefan revelou em entrevista ao blog que não será candidato a uma nova reeleição. Ao fim do primeiro dos três anos do novo mandato, ele entende como ainda precoce a discussão do nome para sucedê-lo. Diferente de Lula ao ungir pessoalmente a candidatura de Dilma, o presidente garantiu que a decisão sairá do consenso do Conselho da instituição, eleito junto com ele, pela vontade de 70% dos seus pares. Saiam da situação ou da oposição, Estefan só deixa um conselho: “as discussões travadas (…) têm que ser mantidas no mais alto nível, em respeito à instituição, aos advogados e à sociedade”. Sobre uma possível investida na política partidária, não disse que sim, nem que não, muito embora tenha visto com bons olhos à candidatura do ex-presidente da OAB Andral Tavares Filho, na última eleição a deputado estadual, assim como o ingresso dos advogados em geral a cargos de legislador.       

 

(Foto de Silésio Corrêa)
(Foto de Silésio Corrêa)

 

 

Opiniões – Com a chegada de três novos juízes para Campos em novembro, e mais três em dezembro, a partir da ação da OAB local, entende que a principal meta deste seu mandato de reeleição foi cumprida? Em caso afirmativo, qual seria a próxima?

Filipe Estefan – Penso que a luta pelo aprimoramento das instituições jurídicas, em especial, a celeridade dos processos será sempre uma bandeira da instituição OAB, uma vez que como legítimos defensores da efetividade da Lei, não podemos esmorecer e acomodar. Realmente foi uma grande conquista, não só dos advogados, mas de toda a sociedade, visto que existe uma carência de mais de 150 magistrados no judiciário fluminense. Quero agradecer a Defensoria Pública de Campos, nas pessoas dos drs. Thiago Abud e Lúcio Campinho; ao sindicato dos Bancários, na pessoa de Rafanele Alves Pereira; ao sindicato da Cedae, na pessoa de Tadeu Coimbra Bessa;  à Federação dos Bancários, na pessoa de Iraciny Soares da Veiga; ao sindicato dos servidores públicos do município de São Francisco de Itabapoana, na pessoa de Dr. Claudio Heringer; pelo apoio incondicional à luta dos advogados nessa empreitada. Mas existem outras metas que pretendemos alcançar ainda nesta gestão, e para tanto continuamos trabalhando. Não quero antecipar, mas temos projetos que estão sendo desenvolvidos para o bem estar dos advogados e estagiários, e que serão divulgados em tempo oportuno.  

 

Opiniões – A maneira como vocês agiu para garantir a promoção de novos juízes para Campos, cobrando ao Tribunal de Justiça (TJ) junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ao mesmo tempo em que buscava a solução negociada com o presidente do TJ, Luiz Zveiter, demonstra a ação em duas frentes. Diria que essa disposição de cobrar com firmeza, mas sem abrir mão também da via política, é uma marca da OAB sob sua gestão?

Estefan – Com certeza, endurecemos sem deixarmos de acreditar na força e na capacidade do diálogo. Em que pese o êxito no pedido de providência interposto junto ao CNJ, a reunião com o presidente do TJ/RJ, dr. Luiz Zveiter, ocorrida em julho, foi coroada de êxito. Já na reunião, o presidente do TJ/RJ reconheceu nossos esforços e a relevância da comarca de Campos dos Goytacazes no contexto regional, e firmou o compromisso de resolver os problemas da Comarca. De imediato, determinou a realização de um mutirão nos meses de agosto e setembro deste ano, designando um grupo de sete magistrados para compor as varas que estavam sem titulares para os atos, despachos e sentenças e realização de audiências. Ato contínuo, montou uma grupo de sentença na capital, com a incumbência de cada magistrado proferir um mínimo de 35 sentenças. O resultado foi muito positivo, onde as estatísticas de produtividade duplicaram. Em seguida, no mês de outubro deste ano foram abertos os editais de promoção da 1ª Vara Cível, 3ª Vara Cível, e 2ª Vara Criminal, que foram preenchidas, cujos magistrados já tomaram posse como titulares das respectivas varas. Agora, recentemente, no início do mês de novembro, foram abertos os editais de promoção da 2ª Vara Cível, 4ª Vara Cível e da 1ª Vara Criminal, cujos magistrados já estão empossados, e, provavelmente estarão no desempenho de suas atribuições a partir do mês de dezembro de 2010. Não posso deixar de agradecer ao presidente do TJ/RJ, dr. Luiz Zveiter, pela forma cordial e elegante que recebeu os membros da OAB-Campos. Talvez essa seja a marca de nossa administração: a luta por aquilo que acreditamos, com atitude e respeito! 

 

Opiniões – Mesmo quando todos os seis novos titulares estiverem atuando, ainda ficará vaga a titularidade do 2º Juizado Especial, deixado há cerca de 20 dias pelo juiz Cláudio Ferreira Rodrigues. Há previsão de preenchimento?

Estefan – Ainda não, uma vez que o Tribunal de Justiça está passando por um momento de eleição de sua nova diretoria, estamos acompanhando o desenrolar dos fatos, para voltarmos a interagir com a nova presidência do TJ/RJ. De toda sorte, defendemos que a nova gestão promova, o mais rápido possível, o concurso público para preenchimento das vagas de magistrado no TJ/RJ.

 

Opiniões – Estamos caminhando para o fim do primeiro ano do seu segundo triênio à frente da OAB. Ainda que talvez possa ser cedo para uma definição, mas você pensa em se candidatar a um terceiro mandato? Por quê?

Estefan – Não. Penso que dois mandatos são suficientes. Acredito que estamos cumprindo fielmente nossa missão, buscando o trabalho para alcançarmos os resultados pretendidos. A advocacia possui inúmeros outros nomes capazes de representar a classe com igual ou maior desenvoltura.

 

Opiniões – Entre os cinco diretores e 35 conselheiros eleitos contigo, mediante o desejo de 70% dos seus pares, especulam-se vários nomes que poderiam sucedê-lo. Fala-se em Carlos Fernando Monteiro, em Alexandre Ribeiro de Souza, em Viviane Beyruth , em Jorge Delani , em Inês Ururahy , em Paulo Leirson , em Maria Elizabeth de Castro José, em Felipe Oliveira , além de Janses Calil Siqueira. Destacaria um destes nomes ou algum outro?

Estefan – Ainda é cedo para falarmos de sucessão à presidência da 12ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, uma vez que, conforme destacado na pergunta acima, estamos terminando o primeiro ano do segundo mandato, e ainda é prematura a definição de um nome, mas com certeza o nome do candidato será escolhido em consenso pelo Conselho da Subseção. Quanto aos nomes acima indagados, penso que são grandes profissionais do Direito e demonstram liderança natural, sem contar que gozam de prestígio no mundo jurídico. Entretanto, o Conselho da Subseção saberá escolher, no momento oportuno, o nome que irá representar de forma digna e competente a nossa classe.

 

Opiniões – Em comentário ao blog (aqui), que noticiou em primeira mão a vinda dos novos juízes, o leitor Renato Aloísio Silveira deixou o comentário: “E pensar que um blogueiro caluniador dizia aos quatro ventos que o Filipe iria largar a presidência da OAB para ser candidato a deputado estadual e outras mentiras”. Isso realmente chegou a acontecer? Em caso positivo, como reagiu?

Estefan – Em ano de eleição, muita coisa é dita e muita coisa ventilada. Acredito que as discussões travadas entre candidatos a dirigentes da OAB têm que ser mantidas no mais alto nível, em respeito à instituição, aos advogados e à sociedade. Nosso comportamento sempre foi pautado no trabalho com seriedade e ética, e torcemos que estes sejam os ideais daqueles que almejam o poder.
 

Opiniões – Uma vez que você largar a OAB para se candidatar a qualquer coisa fora dela se provou realmente uma mentira, resta ainda a pergunta: você pensa, no futuro, em disputar algum cargo eletivo na política partidária? Como está sua filiação ao PPS de São João da Barra e como enxergou a candidatura a deputado estadual do ex-presidente da OAB Andral Tavares Filho, pelo PV, na última eleição?

Estefan – Eu diria ainda é cedo para pensar em política partidária. Talvez ainda precise amadurecer a idéia de disputar um cargo político partidário. Estou filiado ao PPS de São João da Barra desde 2003, mas não fiz o recadastramento. Enxerguei com muito bons olhos a candidatura de Andral Tavares a deputado estadual. Penso que os advogados têm que reassumir posições de destaque no poder Legislativo. Acredito que, até por força do exercício da profissão, os advogados estão preparados para legislar, afinal de contas, a lei é o nosso cotidiano. Lembro com certo orgulho, que ao lado de Ulisses Guimarães, o grande nome na condução dos trabalhos de elaboração e redação da Constituição Brasileira de 1988 foi o advogado Bernardo Cabral, que funcionou como relator, desempenhando um relevante papel na consolidação da Carta Cidadã.

Fechar Menu