Opiniões

Advogados de Arnaldo vão recorrer no TRE contra liminar de Rosinha

O blogueiro acabou de falar por telefone com o advogado João Batista de Oliveira, que representa o ex-deputado e ex-prefeito Arnaldo Vianna (PDT) na ação que gerou por duas vezes a cassação da prefeita Rosinha (PR). Ele informou que já na próxima segunda-feira, pretende ingressar no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com um agravo regimental contra a decisão liminar monocrática do desembargador federal Sergio Schwaitzer, responsável pela manutenção de Rosinha na Prefeitura por 30 dias, após dois de afastamento.

Caso o relator não mude sua decisão, o que parece pouco provável, o agravo será apreciado no plenário do TRE tão atacado pelo deputado federal Anthony Garotinho (PR) nos últimos dias, onde as probabilidades contrárias aos desejos do ex-governador podem aumentar.

Sangue e porrada na política de Campos

Na lente da talentosa (e corajosa) repórter-fotográfica da Folha Mariana Ricci, as cenas do ringue de vale-tudo que se tornou não só a Câmara de Vereadores, na tarde de hoje, como toda a prática política de Campos. 

Salvo os feridos, morta foi a democracia…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rosinha consegue liminar no TRE para se manter prefeita

Comemoração de militantes na Prefeitura e de vereadores governistas na Câmara, onde uma confusão generalizada se deu após Nelson Nahim ter sido empossado como chefe do Executivo. O motivo: Rosinha voltou ao cargo por um período de 30 dias, através de decisão liminar monocrática concedida pelo desembargador federal Sergio Schwaitzer, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Daqui a pouco, mais informações…

 

Atualização às 16h25: Apenas um minuto antes deste blogueiro, o procurador do município Francisco de Assis Pessanha Filho, já havia anunciado aqui, em seu próprio blog, a vitória de Rosinha no TRE.

 

Atualização às 16h28: O blogueiro acabou de falar com a jornalista Luciana Souza Batista, da assessoria do TRE. Ela não confirmou a liminar favorável a Rosinha, que teria sido dada pelo desembargador federal Sergio Schwaitzer, mas informou que este se encontra reunido com sua assessora, a portas fechadas em seu gabinete, para liberar daqui a pouco sua decisão.

 

Atualização às 16h53: Editor-geral da Folha, o jornalista e blogueiro Luiz Costa revelou aqui a reação de Nahim em entrevista coletiva agora há pouco, na Câmara, onde em poucas horas tomou posse como prefeito, se viu envolvido num confusão generalizada e recebeu a notícia da manutenção de Rosinha na Prefeitura, por decisão liminar monocrática do TRE. Depois de tudo, ele questionou publicamente o desequilíbrio emocional do irmão, Anthony Garotinho, que disse precisar de tratamento psiquiátrico. Ele também deixou claro não ter mais clima para continuar no PR. Segundo o jornalista Roberto Barbosa já havia adiantado aqui, o rumo do irmão de Garotinho seria o PMDB, pelo qual concorreria à Prefeitura em 2012, contra sua cunhada Rosinha.

 

Atualização às 19h05: Para conhcer a decisão liminar favorável a Rosinha, clique aqui, no blog do procurador municipal Francisco de Assis Pessanha Filho. Para ler a comunicação oficial do TRE, clique aqui.

Procurador dá exemplo a ser seguido como blogueiro

Ao noticiar aqui, em primeira mão, o revés do indeferimento no TSE da reclamação contra a cassação de Rosinha pela 100ª ZE de Campos, o procurador do município Francisco de Assis Pessanha Filho agiu com um ética que está longe de ser a tônica da blogosfera local.

Em meio às paixões desde ontem tão acirradas, poderia (e deveria) servir de exemplo a generoso número de blogueiros locais, contrários e favoráveis ao grupo político de Garotinho — incluindo o próprio. Aparentemente opostos no campo das idéias, são quase sempre homogêneos na pequenez da prática.

Consultor da defesa de Rosinha diz que resistência é legal

“Se Rosinha me ligasse, dizendo que diante da sua recusa em deixar a Prefeitura, a polícia apareceu lá para prendê-la, diria que ela está legalmente correta em não se submeter. Ninguém é obrigado a cumprir um ofício judicial, que foi o instrumento usado pela juíza para impor a posse de Nahim. E em sua sentença, correta tecnicamente, embora injusta no meu modo de ver, ela não expediu nenhum mandamento judicial que sustentasse isso. O que tem que ser cumprido é um mandado judicial, não um ofício judicial”.

Por telefone, a opinião foi dada ao blogueiro pelo desembargador aposentado Francisco de Assis Pessanha, pai do procurador homômino do município de Campos e consultor do escritório de defesa de Rosinha. Conforme disse ontem aqui ao blog, bem como a vários outros setores da mídia, ele voltou a afirmar hoje que a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) que foi julgada ontem pela juíza da 100ª ZE de Campos, Grácia Cristina Moreira do Rosário, não poderia gerar o cassação efetiva da prefeita:

—   Pela artigo 15 da lei 64/90, que estava em vigor no fato gerador, o que poderia resultar no afastamento seria a Aime (Ação de Impugnação de Mandato Eleitoral), que foi desmembrada dessa Aije que foi julgada ontem, e segue em curso em Brasília. Além disso, só uma condenação pelo artigo 41-A da lei 9.504/97, por captação ilegal de sufrágio (compra de voto), o que não foi o caso.

Repercussões da cassação de Rosinha — Dr. Aluízio

 

(Foto de Silésio Corrêa)
(Foto de Silésio Corrêa)

 

 

Dr. Aluízio (deputado federal do PV de Macaé) —“Não conheço o processo nem tenho a formação técnica necessária para analisá-lo, mas me parece que a sentença é desproporcional. Cassar uma prefeita eleita por voto popular, numa cidade da importância de Campos, por conta de uma entrevista de rádio, acho que é forte demais. Mas agora cabe à Justiça resolver a questão.”

Nahim: Se eu me omitir, quem assume o governo de Campos é a oposição

Além da marcação da sua posse como prefeito, às 15h de amanhã, na Câmara Municipal, Nahim disse ao blog que não sabe como ficará a situação da sua cunhada Rosinha, cassada pela segunda vez, que ainda está na Prefeitura, onde está acampada desde ontem e prometeu aqui resistir ao cumprimento da sentença judicial:

— Estou cumprindo uma determinação legal. Ainda esperei o dia de ontem e parte do de hoje, para que não exitisse qualquer dúvida sobre o que determinou a Justiça. Agora que o juízo da 100ª Zona Eleitoral esclareceu sua decisão, após nossa consulta, não posso me omitir. Até porque, se eu não assumir, a Prefeitura passará ao vice-presidente da Câmara, vereador Rogério Matoso (PPS). Ou seja, se eu me negar a cumprir a determinação, quem assume o governo de Campos é a oposição.

Nahim revelou não ter conversado nem com a cunhada, nem com o irmão, deputado federal Anthony Garotinho (PR), da sua decisão de tomar posse, mais uma vez, como prefeito interino:

— Falei apenas com o procurador do município, Francisco de Assis Pessanha Filho, a quem expliquei que não teria outro caminho a tomar a não ser assumir a Prefeitura.

Fechar Menu