Opiniões

Folha terá duas novas colunas: “Bastos” e “Vânia Carvalho”

Vânia Carvalho e Alexandre Bastos preparam as novidades que revelarão nas páginas da Folha, em suas novas colunas (foto de Phillipe Moacyr)
Vânia Carvalho e Alexandre Bastos preparam as novidades que revelarão nas páginas da Folha, em suas novas colunas (foto de Phillipe Moacyr)

Após o retorno de Esdras, a partir de 18 de dezembro, e de Murillo Dieguez, desde 11 de janeiro, desta vez acompanhado do Gustavo Matheus, a Folha terá duas outras novidades em suas colunas: Alexandre Bastos e Vânia Carvalho. O primeiro, jornalista político respeitado e blogueiro mais acessado de Campos, apesar dos apenas 31 anos, começa a escrever a coluna “Bastos”, já a partir da edição do próximo sábado, dia 2 de março, sempre na página 3 da Folha Dois, na qual escreverá também todas as quartas. Já a segunda, publicitária de sucesso, conhecida dos leitores pela edição dominical da sua “Folha Estilo”, passará a assinar ainda a coluna “Vânia Carvalho”, também na Folha Dois, sempre na página 5, todas as sextas. Sua estreia na nova coluna se dará na próxima semana, no dia 8.

Sobrinho da saudosa jornalista Ângela Bastos, uma das maiores colunistas sociais na história da imprensa campista, Alexandre carrega no DNA o que poderia ser novidade na nova função de colunista solo, já que era e continuará a ser um dos colaboradores da coluna de opinião da Folha, o “Ponto Final”. Segundo ele, a proposta será apostar na veia mais jornalística do colunismo social, coisa em que sua tia foi uma das pioneiras em Campos, característica também herdada por quem a sucedeu, a jornalista Michelle Mayrink, primeira editora de Bastos. A interatividade com as redes sociais, as dicas de cinema e leitura, além, é claro, dos bastidores da política goitacá sempre em ebulição, serão pautas do novo espaço.

Já Vânia pretende fazer uma coluna mais baseada em fotos do que em textos, priorizando o aspecto gráfico, cada vez mais importante na mídia impressa, sobretudo num segundo caderno como a Folha Dois. Sua pretensão será abrir novos espaços às pessoas da cidade, que, garante, não serão apenas os clientes da sua vasta pasta publicitária.

Mentira não pode ficar impune

A mentira grotesca e infundada alardeada pelo deputado federal Garotinho contra Christiano Abreu Barbosa da Folha da Manhã é mais um episódio triste dessa lamentável carreira política marcada pelo baixíssimo nível das atividades políticas, porém com sucesso eleitoral.

Acusar Christiano Abreu Barbosa de falsificar documentos em relação ao IPTU chega a ser ridículo… (Leia AQUI)

A questão é, por que perder tempo inventando tal absurdo? Ou a questão agora é ter humildade admitir o erro?

O fato é que Campos dos Goytacazes precisa é de uma política com ética, palavra essa que inexiste na família Garotinho, na maioria dos políticos de nossa região e do país que se miram nos resultados eleitorais dessa e de outras famílias para servir de exemplo…

É preciso punição para os que mentem dessa forma!

Além disso, nem Garotinho nem ninguém do governo Rosinha explicou porque contratou uma empresa que disponibilizou o sigilo fiscal de todos os contribuintes campistas, conforme denúncia do Blog (aqui) e, depois da denúncia, tirou o link do ar sem nenhuma explicação aos contribuintes.

Gente como Garotinho é assim: ou mente ou se omite.

Publicado aqui, no blog Erik Schunk.

Mentiras de Anthony sobre IPTU: discussão agora é na Justiça

Sem abandonar sua obsessão patológica pela mentira, tão bem definida há 13 anos pelo saudoso ex-governador Leonel Brizola, o deputado federal Anthony Matheus, o Garotinho (PR), que também é evangélico, insiste em quebrar o mandamento bíblico que veda o falso testemunho (Êxodo, 20:16). Bem verdade que em sua nota mais recente, feita hoje, aqui, ele baixou o tom virulento e desproporcional com que, desde a última segunda, dia 25, vem usando seu blog para caluniar, levianamente, o diretor e blogueiro da Folha Christiano Abreu Barbosa como falsificador de documento, chegando a ilustrar postagem com uma foto deste com a esposa, que nada tem com a história, num desrespeito à família alheia que talvez só possa ser concebido por quem é mal quisto na sua própria. Tudo porque, Christiano, na última sexta, dia 22, alertou aqui para a cobrança do IPTU com dois valores para um mesmo imóvel, feita pela Prefeitura de Campos, cujo link para retirada da segunda via do imposto está fora do ar desde o dia 17, sem nenhuma satisfação aos contribuintes.

O fato é que, considerada “falsa” por Anthony Matheus, o Garotinho, a guia retirada a partir do link (enquanto ele ainda estava no ar), com preço maior do que o registrado no carnê do IPTU depois recebido pelo mesmo imóvel, foi paga desde ontem, na Caixa Econômica Federal. Como Christiano noticiou aqui, o dinheiro já entrou nas contas bilionárias do governo Rosinha (PR), exercido de fato, mas não de direito, pelo marido. Deveria servir de ponto final a qualquer um que pautasse sua discussão pela lógica. Todavia, como este nunca foi o caso de Anthony Matheus, o Garotinho, ele hoje voltou a usar seu blog para ilustrar seus grandes conhecimentos em fraudar documentos públicos, só para depois creditá-los a Christiano. Ademais, tentando se fazer de vítima, papel a que costumeiramente recorre quando não tem como se contrapor aos fatos — alguém se lembra da sua greve de fome, mal sucedida, quando estourou o escândalo das Greds? —, Anthony Matheus, o Garotinho, usou do seu poder de deputado para representar hoje, na Procuradoria da Câmara Federal, contra Christiano e este blog.

O motivo? Caluniado como falsificador de documento por quem ensinou mais de uma vez como fazê-lo, classificado como “mentiroso” e comunicador incapaz, tendo exposta a imagem física da sua própria família, vendo ser evocado em vão o nome do seu pai falecido, que em vida não se livrou de também sofrer ataques da mesma fonte vil, Christiano disse que tais explosões “são características de personalidades borderline” (entenda aqui o que é borderline). Em outras palavras, Christiano é acusado deliberadamente como falsificador de documentos, por ter cumprido a função de utilidade pública sobre um erro de cobrança no IPTU, é por isso vilipendiado em sua honra, e se torna alvo de uma representação proposta por quem teve sua virulência posta em analogia de característica, sem nenhuma pretensão de diagnóstico, com uma patologia psiquiátrica — que, aliás, tem tratamento.

Christiano não é médico. E nem é preciso sê-lo para saber que qualquer diagnóstico clínico raro se dá pela manifestação de apenas um aparente sintoma. Assim como, de maneira mais genérica, afirmou há 23 séculos o filho de um médico, um tal de Aristóteles: “Um ato não constitui um ser”.

Da medicina e da filosofia à política, por certo, não foi por apenas uma mentira que Brizola afirmou se tratar Anthony Matheus, o Garotinho, de um mentiroso contumaz.

Mas e este “Opiniões”, no qual até então não havia sido feita a analogia das mentiras levianas e reiteradas de Anthony Matheus, o Garotinho, com nenhuma patologia psiquiátrica? Por que, então, este blog também foi alvo na representação do todo poderoso deputado na Procuradoria da Câmara Federal? Simples: porque Brizola disse numa entrevista à Folha que aquele que criou politicamente, para depois traí-lo, “não cora, não se altera porque ele é frio nesses objetivos, e é por isso que mente, tem tão pouco amor pela verdade”. Como Brizola não só pensava isso, como disse numa matéria gravada e publicada na Folha desde 3 de dezembro de 2000, e o blog tem boa memória e republicou, por se encaixar como luva ao caso presente, este “Opiniões” entrou na representação apenas por ter feito o link ao post no qual Christiano, em seu “Ponto de vista”, fez menção ao transtorno de personalidade limítrofe.

Em outros blog, como aqui, no “Estou procurando o que fazer…”, o jornalista e ex-prefeito Sérgio Mendes (PPS), que também não é, nem se arroga ser psiquiatra, foi muito mais enfático na associação do transtorno borderline ao comportamento pessoal e político de Antonhy Matheus, o Garotinho. Por sua vez, aqui, o jornalista Ricardo André Vasconcelos, “para mim o melhor da cidade, em seu conjunto de qualidade de texto, equilíbrio, integridade e caráter”, nas palavras de Christiano que faço minhas, resumiu todo o caso: “falso é o deputado, não o carnê do IPTU”. Eles ficaram livres da representação, não porque meu irmão ou eu escrevamos melhor, sejamos mais contundentes ou tenhamos melhores argumentos, mas apenas porque somos diretores da Folha da Manhã — o alvo em que mira Anthony Matheus, o Garotinho, na tentativa torpe de denegrir um grupo de comunicação que não pode controlar.

Abaixo, como postou aqui o Christiano, o documento que atesta o primeiro passo dado na ação cível contra Anthony Matheus, o Garotinho, onde este vai pagar devidamente, goste ou não, por suas deslavadas mentiras. Na sequência, entraremos também com uma queixa-crime no Supremo Tribunal Federal, foro privilegiado de que goza o deputado. E até que a Justiça se pronuncie, ou à exceção de outro fato novo, não mais pretendo falar sobre o caso, até porque tenho coisas mais importantes, e certamente mais prazerosas para tratar do quem vive e atua em total descolamento da realidade.

Faço apenas uma ressalva, que espero não ser confundida com as bravatas de outros: enquanto formos vivos Diva, Christiano, eu e, sobretudo, o legado jornalístico do meu pai, só um insano poderá crer que a Folha da Manhã algum dia se deixará intimidar ou pautar pelos delírios de poder de quem quer que seja, muito menos de Anthony Matheus, o Garotinho.

Grerj paga da ação cível ingressada contra Anthony Matheus, o Garotinho
Grerj paga da ação cível ingressada contra Anthony Matheus, o Garotinho

IPTU de Campos entre as coincidências e a mentira

“O Darcy Ribeiro sempre dizia que o homem é o único ser vivo que cora. E você percebe que Garotinho não cora. Ele fica sempre com a mesma cara macilenta. Ele não se altera, porque ele é frio nesses objetivos, e é por isso que ele mente, tem tão pouco amor pela verdade”. Dada numa entrevista exclusiva à Folha, publicada em 3 de dezembro de 2000, a definição do saudoso ex-governador Leonel Brizola não envelheceu nestes últimos 13 anos. E nada indica, no tempo de vida do deputado federal Anthony Matheus, o Garotinho (PR), que venha a se tornar velha algum dia.

Embora virulenta e desproporcional, a reação adotada em seu blog, desde segunda, por Anthony Matheus, o Garotinho, contra o diretor da Folha Christiano Abreu Barbosa, depois que este denunciou em seu blog, na última sexta, a cobrança do IPTU de Campos com dois valores para um mesmo imóvel, não chega a ser surpresa. Todavia, mesmo para quem se tornou nacionalmente conhecido pela irresponsabilidade das declarações, espanta a pretensão de usar como argumento uma mentira tão deslavada quanto uma suposta falsificação de documentos, da qual Christiano foi acusado levianamente.

Na incapacidade de aprender com seus erros ou de medir os outros por régua que não seja a própria, Anthony Matheus, o Garotinho, não só se negou a dizer a verdade e se retratar, como na insolúvel tarefa de provar o que não houve, usou seu blog para montar ontem um didático manual de como poderia ter sido feita a falsificação que, pelo menos se espera, nunca tenha ultrapassado os limites virtuais de quem de fato governa o município de Campos.

Apelidado de “Coronel Bolinha” nos seus tempos de secretário de Segurança, no governo estadual de Rosinha, atuação cujo maior destaque ficou por conta da sua condenação posterior pela Justiça Federal como chefe de quadrilha armada, uma das “provas” apresentadas em seu blog, pelo “especialista” em falsificações, foi uma aludida diferença na margem do boleto do IPTU gerado via net, que qualquer garotinho de verdade sabe ser variável de acordo com a impressora usada para gerar a cópia.

Ao largo dos argumentos retóricos pré-jardim de infância, o fato é que no mundo de quem já viveu o suficiente para se tornar homem, e agir como tal, a guia do IPTU gerada pela net, com valor superior ao carnê recebido depois pelo proprietário do imóvel, foi paga ontem. Ou seja, já se encontra depositada na conta bilionária do governo Rosinha. Ainda que, logicamente, a restituição da diferença vá ser exigida na Justiça, a mesma na qual será acionado por suas mentiras, cível e criminalmente, um réu já contumaz, ainda que indiferente: Anthony Matheus, o Garotinho.

A guia em questão foi gerada a partir do link que estava no Portal da Prefeitura até o último dia 17, quando foi simplesmente retirado do ar, sem nenhuma satisfação ao contribuinte. Coincidência ou não, foi no dia seguinte ao médico e ex-candidato a prefeito de Campos Erik Schunk (Psol) denunciar em seu blog que, a partir do link, qualquer um poderia saber o nome de qualquer proprietário de imóvel de Campos, bem como quanto cada um deles pagaria de IPTU, naquilo que acusou ser quebra de sigilo fiscal.

Coincidência ou não, até o fechamento desta coluna, o link ainda não havia voltado ao ar. Coincidência ou não, foi através dele que o valor maior do IPTU veio cobrado ao proprietário do imóvel, gerando toda a polêmica, no que parece ter sido um simples erro de sistema. Até porque se deve evitar repetir Anthony Matheus, o Garotinho, pela simples oposição, não se pode cometer a leviandade de afirmar ter se tratado de uma falsificação da secretaria municipal de Finanças.

Se o filósofo alemão Friederich Nietzsche ressalvou que “coincidências não há”, um seu compatriota, o ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels, cunhou uma máxima que qualquer um que já tenha convivido com Anthony Matheus, o Garotinho, teve a chance de ouvir repetida da sua boca, ao menos uma vez, com aquela mesma “cara macilenta” descrita por Brizola: “Uma mentira, repetida mil vezes, torna-se verdade”. Entre a coincidência e a mentira, o que se espera, e se exige, é que nenhum outro contribuinte seja conduzido pela Prefeitura de Campos a pagar o IPTU do seu vizinho.


Publicado hoje, na coluna Ponto Final, na edição impressa da Folha.

Falso é o deputado e não o carnê do IPTU

A MATÉRIA ABAIXO É DO BLOG PONTO DE VISTA, DE CHRISTIANO ABREU BARBOSA (AQUI), MAS O TÍTULO ACIMA É UMA CONSTATAÇÃO DO AUTOR DO “EU PENSO QUE…”:


CASO “CUIDADO COM A 2ª VIA DO IPTU”: BOLETO “FALSO” DE GAROTINHO ENTRA NO CAIXA DA PREFEITURA DE CAMPOS

Por Christiano, em 26-02-2013 – 15h25
O deputado federal Garotinho, através do moderador do seu blog, insiste em uma cruzada, iniciada contra este blog e, pelo visto, contra a Folha da Manhã. Não se sabe a obscura razão do ex-governador em transformar mais um erro de IPTU da sua Secretaria de Finanças em um problema de grande dimensão, usando a sua já conhecida tática de mentiras, calúnia e difamação.
Provavelmente a razão é não ter controle editorial sobre a Folha da Manhã e, talvez, sobre este blog, que aborda preferencialmente assuntos ligado à economia, mas que também fala de política, procurando ser sempre bastante equilibrado, apontando sobre acertos e erros administrativos do poder público.
Fato é que ele enveredou, como quase sempre, por uma linha agressiva, de baixo nível e sem limites, expondo até, de maneira não autorizada, a foto de minha esposa, que nada tem com o caso. Ele não respeita nem as famílias. Aliás, tem obsessão pela minha, pois já agrediu também com calúnias o meu pai, a minha mãe e o meu irmão.
Não há como ficar se trocando em baixo nível e não vou fazer este jogo. Estas explosões dele são características de personalidades borderline (entenda aqui o que é bordeline). Não sou eu quem vai resolver o seu problema. O caminho é a justiça e já estão sendo propostas ações cível e criminal contra ele. Qualquer nova agressão pessoal não será respondida e servirá somente para embasar ainda mais as ações.
Com relação ao erro grosseiro da Secretaria de Finanças na emissão da 2ª via do IPTU, recurso aliás que tem tantos problemas que está fora do ar há mais de uma semana, cada hora o ex-governador fala uma coisa. A afirmação de hoje é que o boleto do Banco do Brasil, gerado pelo site da Prefeitura como 2ª via do IPTU, é falso e que eu, que nem sou o contribuinte, pasmem, o falsifiquei.
Pois bem, o boleto do Banco do Brasil (que é da 2ª via, mais cara do que o carnê) é tão falso, tão falso, mas tão falso, que foi pago hoje pelo contribuinte (clique na imagem para ampliar):
Obviamente o devido ressarcimento sobre as diferenças será pedido pelo contribuinte.
Atualização às 18h12 de 26/02/2013: Correção.
Publicado aqui, no blog “Eu penso que…”, do jornalista Ricardo André Vasconcelos.

Um Garotinho perdido entre tantas funções

Por alexandre bastos, em 26-02-2013 – 0h35

Nos últimos dias, mesmo com tantas funções (deputado federal, líder do PR, presidente estadual do PR, pai de família, radialista, blogueiro, profeta, dono da Palavra de Paz, pré-candidato ao governo do Estado e professor na escolinha dos vereadores campistas), Anthony Garotinho parece ter assumido, de uma vez por todas, a Prefeitura de Campos.

Primeiro, após o Jornal Nacional mostrar a triste realidade do Caps III (aqui), ele se fez de vítima, admitiu falhas e garantiu que a Prefeitura iria tomar providências. E a prefeita Rosinha, disse o que sobre o assunto? Até agora, nada…

Depois, dando uma de Inspetor Clouseau, do filme “A Pantera Cor de Rosa”, ele lançou uma teoria conspiratória e afirmou que o blog “Ponto de Vista”, do Christiano Abreu Barbosa, teria falsificado carnês do IPTU. Antes mesmo que a Prefeitura se manifestasse, Garotinho afirmou que o governo municipal, através da Procuradoria, iria fazer uma denúncia ao Ministério Público. Porém, na ânsia de acusar, o inspetor trapalhão se esqueceu de apurar. “A secretaria parece ter vendido uma história cabeluda de montagem e falsificação de documentos para o seu líder político que, de maneira inconsequente, como sempre, embarcou e a publicou em seu blog”, disse Christiano (aqui).

Montagem/Blog do Esdras

Com tantas funções, teorias conspiratórias e metas, Garotinho parece um pouco perdido. Ataca Sérgio Cabral, Pezão, a Folha, a Globo, Nelson Nahim, Sérgio Côrtes, Carla Machado, Neco, Lindbergh, Eduardo Paes, Ricardo Teixeira, Picciani, Carlos Arthur Nuzman, Eike Batista, entre outras dezenas de pessoas e instituições. Assim, se colocando como a única criatura capaz de salvar Campos, o Estado do Rio e o Brasil, ele comete um erro clássico. Não sabe a hora de parar. Não digo desistir, mas respirar entre um combate e outro.

Leis do Poder — Garotinho é um grande estrategista e conhecedor das “Leis do Poder”. Ele sabe que o momento da vitória é quase sempre o mais perigoso. No calor da vitória, a arrogância e o excesso de confiança podem fazer um líder avançar além da sua meta e, ao ir longe demais, conquista muitos adversários e não consegue combater um de cada vez. E aí, com esse erro primário de estratégia, mesmo com tantos inimigos, Garotinho corre o risco de perder para o seu principal adversário: ele mesmo.

Publicado aqui, no Blog do Bastos.

IPTU: Boleto “falso” para Anthony Matheus entra nos cofres de Rosinha

IPTU-valores-diferentes-2a-via-Internet-paga
“Falso” para Anthony Matheus, o Garotinho, o boleto gerado através de link da Prefeitura de Campos, retirado do ar desde o dia 17, entrou hoje na conta do governo Rosinha

Primeiro o deputado federal Anthony Matheus, o Garotinho (PR), acusou aqui o blogueiro e diretor da Folha Christiano Abreu Barbosa de falsificar documentos em relação ao IPTU de Campos, cuja cobrança para um mesmo imóvel foi feita com dois valores diferentes. Desde a denúncia inicial, aqui, na última sexta-feira, dia 22, Christiano teve a responsabilidade de evidenciar com provas o que afirmou. Quanto a Anthony Matheus, o Garotinho, só hoje, dois posts e um dia depois de tecer suas primeiras acusações virulentas e mentirosas, ele apresentou aqui suas supostas provas, entre elas um aludido recuo “fora dos padrões” que qualquer garotinho de verdade sabe depender, tão somente, dos padrões da impressora na qual um documento é copiado via net.

De qualquer maneira, Christiano pôs fim a qualquer discussão, aqui, pelo menos para aqueles que pautam as suas pela razão: “falsa” para Anthony Matheus, o Garotinho, a guia gerada através de um link do Portal da Prefeitura de Campos, cujos problemas o fizeram ser retirado do ar, sem nenhuma explicação ao contribuinte, desde o último dia 17,  e que foi emitida com um valor maior do que o que consta no carnê do IPTU depois recebido pelo proprietário do imóvel, foi devidamente paga, entrando nos cofres bilionários do governo Rosinha.

E agora? O prefeito de fato de Campos vai admitir o erro, seu e da administração na qual manda e desmana, ao arrepio da lei? Vai se retratar, ou persistir com sua insistência patológica na mentira, seguindo a máxima mais famosa de Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista? Fala, Anthony Matheus!

Atualizado às 18h26 para correção.

IPTU de Campos: Rosinha erra, Garotinho mente

Em relação ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), os erros primários cometidos pelo governo Rosinha Garotinho (PR) estão longe de ser novidade. Há pouco mais de três anos, em 29 de janeiro de 2010, a prefeita foi obrigada a cancelar (aqui) o aumento abusivo que queria impor ao tributo, em média de 80%, com casos de reajuste de até 150%. Mas não o fez para aliviar o bolso daqueles que a elegeram. Fez porque foi obrigada, porque seu aumento, além de abusivo, era inconstitucional, como denunciou à época, no programa Folha no Ar, o competente advogado tributarista Carlos Alexandre.

Na coletiva que então convocou para anunciar seu recuo, diante da derrota certa nos tribunais, Rosinha constrangeu publicamente seu então secretário de Finanças, Francisco Esqueff, presente ao evento em que foi repetidas vezes culpado pela prefeita, não só pelo aumento, como por ter publicado o reajuste em Diário Oficial só 90 dias depois do que manda a Constituição. Se na ocasião aguentou tudo calado, por essas e outras, Esqueff depois deixaria o governo rosa.

Aparentemente incapaz de aprender com os próprios erros, o governo Rosinha cometeu recentemente outra ilegalidade com o IPTU, quebrando o sigilo fiscal de todos os proprietários de imóvel de Campos. O caso veio à tona no blog do médico e ex-candidato a prefeito pelo PSOL Erik Schunk, que denunciou (aqui) o link no Portal da Prefeitura de Campos, no qual, a título de retirar a segunda via do carnê do IPTU, qualquer um poderia não só ter acesso ao nome dos proprietários de todos os imóveis do município, como saber quanto cada um pagaria de imposto.

Erik fez a denúncia no último dia 16. Pelo visto, ela surtiu efeito. Menos de 24 horas depois, a Prefeitura tirou o link do ar, como registrou em 17 de fevereiro, no seu blog, o jornalista Ricardo André Vasconcelos (aqui). Quanto à satisfação devida ao cidadão? Nas palavras do Ricardo: “Desnecessário dizer, mas, vá lá: o link sumiu do portal sem nenhuma explicação, porque essa turma trata o contribuinte assim mesmo, sem o menor respeito”.

Pois ontem, maior responsável pela sucessão de equívocos, já que governa de fato o município de Campos, mesmo sem ter direito de fazê-lo, o deputado federal Anthony Matheus, o Garotinho (PR), usou seu blog (aqui) atacar o diretor da Folha e também blogueiro Christiano Abreu Barbosa. Tudo porque, em seu “Ponto de vista”, Christiano havia denunciado (aqui), na última sexta, dia 22, dois valores diferentes do IPTU cobrado pela Prefeitura para o mesmo imóvel.

Se, pela internet, a guia gerada foi de R$ 361,70 (descontados os 10% no pagamento à vista), quando recebeu o carnê emitido pelo governo Rosinha, o proprietário constatou a inexplicável redução do valor para R$ 281,31 em parcela única. Na diferença, a possibilidade de uma tunga de R$ 80,39 no bolso do contribuinte. Com as devidas provas, no didatismo e equilíbrio que sempre marcaram seu “Ponto de vista”, Christiano fez o alerta, abrindo democraticamente o espaço do seu blog à manifestação da secretaria de Finanças.

Todavia, ao que parece, quem responde pela pasta de Finanças, depois que Esqueff a largou, no lugar de esclarecer a questão, preferiu o papel de moleque de recados, indo choramingar pela própria incompetência no colo do patrão. O resultado? Anthony Matheus, o Garotinho, sem nenhuma prova, usou seu blog ontem para acusar de falsificação quem de fato as apresentou. E, pior, em outra caso flagrante de quebra de sigilo fiscal, divulgou o nome do proprietário do imóvel, que havia sido eticamente preservado (aqui) por Christiano.

Na dúvida de como um deputado federal pode ter livre acesso aos dados dos contribuintes de uma prefeitura, fica a certeza: Anthony Matheus, o Garotinho, condenado pela Justiça Federal como chefe de quadrilha armada, terá que se retratar, dizendo a verdade, ou pagará devidamente por sua leviandade, criminal e civelmente (aqui). Em todo caso, assistindo a um legislador brincar de prefeito, inclusive trazendo a público informações cujo sigilo deveria ser resguardado em lei, talvez fosse o caso de se ecoar a pergunta do ex-candidato a prefeito do PRP José Geraldo: “Onde está o Ministério Público de Campos?”


Publicado hoje, na coluna Ponto Final, na versão impressa da Folha da Manhã.

Fechar Menu