Opiniões

Do Baixinho ao Galo: “Você está entre os cinco da minha mão que respeito como jogador de futebol”

Mais visando o descanso do leitor que o meu, havia prometido não escrever nada do último post de ontem até a próxima segunda, à exceção de duas postagens previamente escritas e agendadas, uma para o sábado, uma para domingo. Entretanto, ontem à noite, ao assistir ao programa “Zico na Área” do canal Esporte Interativo, numa histórica entrevista dada por Romário a Zico, não pude conter a emoção ao assistir ao pedido de desculpas, público e reiterado, do Baixinho ao Galo de Quintino, em relação ao polêmico corte do primeiro da Seleção Brasileira, da qual o segundo era coordenador técnico, às vésperas da Copa de 1998, na França, que seria vencida pelos Bleus de Zinedine Zidane. A endossar tudo aquilo que qualquer um que entenda um pouco de futebol, já estava tão careca de saber quanto um campo de várzea, disse o lendário camisa 11 ao imortal camisa 10, sejam, ambos, no futebol brasileiro ou mundial:

— Você é um dos caras que eu… poucos… vou ser bem sincero, respeito poucos! Você está, boto aqui na minha mão, entre os cinco que respeito como jogador de futebol!

Ouvir isso do Baixinho sobre o Galo, para mim, se nada mais houvesse daqui a segunda, já teria valido por todo o feriado.

Abaixo, a chamada da entrevista…

Com postagens no sábado e domingo, pausa de hoje à segunda

pausa

Por motivo de ordem pessoal, do resto do dia de hoje até a próxima segunda, dia 3 de junho, o blogueiro dará uma pausa em suas atividades. Exceção será feita no sábado, para anunciar devidamente duas entrevistas exclusivas que serão publicadas na edição impressa da Folha de domingo, quando serão também disponibilizadas, uma aqui, neste “Opiniões”, e a outra no Blog do Bastos. Ainda no domingo, o blog trará o artigo que também será publicado naquele mesmo dia, na Folha impressa. Mas todas se tratarão de postagens previamente feitas e agendadas. De hoje até segunda, o hiato do tempo presente avança ao futuro como num improviso de jazz e blues…

Novo blog na área: “Camposdetodosnós”, do Zé Geraldo

Desde o início da tarde de ontem, a Folha Online passou a hospedar um novo blog: o “Camposdetodosnós”, do José Geraldo. Empresário que ganhou destaque na vida pública ao disputar pelo PRP a eleição à Prefeitura de Campos, em 2012, há algum tempo ele vem, como leitor e comentarista, participando ativamente dos debates nos blogs da Folha Online, de onde a transição para ter seu próprio espaço de discussões se deu de maneira natural.

Quem conhece o Zé Geraldo como homem público e ativista político, sabe tanto da sua capacidade técnica de discutir os problemas da cidade e da região, quanto da sua veemência ao fazê-lo. Com o devido respeito aos limites da responsabilidade, exigido a todos que escrevem sob hospedagem da Folha Online, não é difícil prever, portanto, o que dele se pode esperar enquanto blogueiro. Bem vindo e boa sorte, Zé!

Prostituição de menores e extorsão com novo promotor e investigações reabertas

Roberto Henriques anuncia que investigações sobre caso “Meninas de Guarus” serão retomadas

O procurador geral de Justiça do Estado do Rio, Marfan Vieira, determinou que as investigações do “Meninas de Guarus” estão reabertas e que na próxima segunda-feira ele anuncia o nome do promotor de Justiça que será responsável pelo caso.

A informação foi dada nessa quarta-feira pelo deputado estadual Marcelo Freixo, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Alerj ao deputado estadual Roberto Henriques, requerente da audiência pública que aconteceu na Câmara Municipal de Campos no dia 17 de maio.

“As informações que recebi do deputado Marcelo Freixo demonstram que não foi em vão a luta da população de Campos, que se organizou pelas redes sociais, blogs e imprensa, e minha luta enquanto deputado estadual, que busquei através da aprovação e realização da audiência pública a verdade e a justiça”.

Participam também do processo de discussão, pela Alerj, as comissões de Defesa dos Direitos da Mulher e dos Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso.

Marcelo Freixo esteve diretamente com o procurador Marfan e relatou o caso, que considerou de extrema gravidade. Outras iniciativas, como solicitação de documentos aos órgãos envolvidos no caso, à época, também estão sendo tomadas pela Comissão de Direitos Humanos e Cidadania.

— Contribuí para que não terminasse nos arquivos o pavoroso inquérito que assombrou e deixou perplexa toda a população de Campos e que se arrasta desde o ano de 2009, sem qualquer solução. O que orientou sempre a todos foi a busca pela justiça e proteção às crianças e adolescentes de Campos dos Goytacazes — disse Roberto Henriques.

Marcelo Freixo também informou a Roberto Henriques que estará à disposição da imprensa de Campos na próxima quarta-feira, 5, para prestar mais esclarecimentos sobre o caso.

Da assessoria do deputado Roberto Henriques.

Atualização às 12h33 de 31/05: Aqui, alguns minutos antes desde “Opiniões”, a jornalista  Jane Nunes já havia publicado a nota da assessoria do deputado, publicada também aqui, mais de quatro horas depois, pelo blogueiro Cláudio Andrade.

Quais os motivos reais da expulsão de Jivago Faria do PRB de Vieira Reis?

Noticiada pelos jornalistas Alexandre Bastos (aqui) e Suzy Monteiro (aqui), a expulsão do atual presidente da Companhia de Desenvolvimento de Campos (Codemca), Jivago Faria, do PRB, braço político da Igreja Universal do Reino de Deus, ainda não tem motivos reais conhecidos. Em comunicado assinado pelo ex-vereador e ex-bispo da Universal Joildo Vieira Reis (PRB), cujo ex-propagandista Dayvison Miranda (PRB) herdou seu mandato na Câmara de Campos, “desobediência/infidelidade” são as causas assumidas, pelo menos publicamente, à exclusão de Jivago dos quadros do partido. Ainda mais constrangedor, como lembrou aqui jornalista Saulo Pessanha, é o fato de que o presidente da Codemca, também obreiro da Universal, faz hoje aniversário. Nessa queda de braço, aparentemente vencida por Vieira Reis, o que se comenta dentro e fora da Universal e do PRB, é que os motivos reais da expulsão de Jivago, de fato, teve vias paralelas com recente e desagradável episódio envolvendo o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB).

Atualização às 16h49: Aqui, quem também falou sobre o caso, e sobre ele teceu pertinentes indagações, foi o ex-prefeito, jornalista e blogueiro Sérgio Mendes (PPS), no “Estou procurando o que fazer”.

Sobre GAP, oposição em Campos também assume papel que lhe pertence


GAP: Oposição quer desvendar mistérios

Por Alexandre Bastos, em 29-05-2013 – 12h03

A bancada de oposição da Câmara de Campos não desistiu de cobrar informações detalhadas sobre a relação entre a Prefeitura de Campos e a empresa GAP, que segundo matéria publicada pela revista Época (aqui), seria comandada por um fantasma. Na semana passada o vereador Nildo Cardoso (PMDB), líder da bancada de oposição, afirmou que o grupo cobraria explicações esta semana. Porém, o requerimento não foi colocado na pauta de ontem (28) e não deve ser apreciado hoje (29), já que a Câmara deverá contar com uma sessão festiva. Tudo indica que o debate vai ficar para a próxima terça-feira. “Não vamos deixar de cobrar explicações sobre a GAP. Até porque, tendo em vista as denúncias, a situação é muito séria. Somos vereadores de Campos e estamos aqui para cobrar uma explicação bem clara. Não adianta falar em perseguição ou teoria da conspiração. Mais de R$ 30 milhões foram gastos, alguns recursos ainda estão sendo pagos e isto é bem real”, disse Nildo Cardoso.

Para Rafael Diniz (PPS), muitas explicações são necessárias. “Bem antes das matérias na grande mídia este contrato com a GAP já vinha sendo questionado pelo Ministério Público. É como eu sempre tenho dito. Se não existe nada errado, por que não liberar todas as informações e debater o assunto de forma técnica e transparente?” indagou o parlamentar, que também busca informações, ao lado do vereador Fred Machado (PSD), sobre o Carnaval fora de época e os quiosques demolidos pela Prefeitura. “Todos os nossos pedidos são sobre gastos públicos. Não estamos pedindo esclarecimentos sobre a vida particular de ninguém. Infelizmente, os pedidos foram negados pela Câmara e agora protocolamos diretamente na Prefeitura. Espero que o governo municipal cumpra o que determina a Lei de Acesso à Informação e pare de levar uma discussão técnica para o lado político”, frisou.

Sobre Bolsa Família, oposição, enfim, assume seu papel

Aécio Neves (Foto: Jose Cruz/ABr)
Aécio Neves (Foto: Jose Cruz/ABr)

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), cobrou nesta terça-feira (28), em entrevista à imprensa, que a presidente Dilma Rousseff faça um pedido público de desculpas pelas informações incorretas divulgadas pela Caixa Econômica Federal sobre o programa Bolsa Família.

No fim de semana retrasado, boatos sobre o fim do programa levaram milhares de pessoas às agências em ao menos 12 estados do país. Nesta segunda (27), a Caixa Econômica admitiu que, por equívoco, deu informações erradas sobre a antecipação de pagamentos e informou que havia liberado recursos do Bolsa Familia na sexta-feira (17), um dia antes do início dos boatos de que o programa seria suspenso.

Antes o banco havia informado que a antecipação ocorrera somente no sábado (18), após a divulgação dos boatos, para preservar a integridade física dos beneficiários que fossem em busca do seu benefício e evitar tumultos nas agências. Em entrevista coletiva nesta segunda (27), o presidente da Caixa Econômica, Jorge Hereda, chegou a pedir desculpas pelas informações contraditórias.

“Como presidente nacional do PSDB, quero dizer que são muito poucas as desculpas.  A senhora presidente da República deve um pedido de desculpas formal a todos os brasileiros. Nesse episódio, foi mais uma vez uma instituição pública servindo a um governo e não ao Estado brasileiro”, afirmou Aécio Neves.

Leia a postagem original aqui, no G1.

Dilma, a mãe dos cleptocratas

Jornalista Elio Gaspari
Jornalista Elio Gaspari

Por Elio Gaspari

Com a prodigalidade de uma imperatriz, a doutora Dilma anunciou em Adis Abeba que perdoou as dívidas de doze países africanos com o Brasil. Coisa de US$ 900 milhões. O Congo-Brazzaville ficará livre de um espeto de US$ 352 milhões.

Quem lê a palavra “perdão” associada a um país africano pode pensar num gesto altruísta, em proveito de crianças como Denis, que nasceu na pobre província de Oyo, num país assolado por conflitos durante os quais quatro presidentes foram depostos e um assassinado, cuja taxa de matrículas de crianças declinou de 79% em 1991 para 44% em 2005. No Congo Brazzaville 70% da população vivem com menos de US$ 1 por dia.

Lenda. Denis Sassou Nguesso nasceu na pobre província de Oyo, mas se deu bem na vida. Foi militar, socialista e estatizante. Esteve no poder de 1979 a 1992, voltou em 1997 e lá permanece, como um autocrata bilionário privatista. Tem 16 imóveis em Paris, filhos riquíssimos e seu país está entre os mais corruptos do mundo.

O socialista convertido em privatista do próprio bolso Denis Sassou Nguesso, presidente do Congo-Brazzaville
O socialista estatizante convertido em privatista do próprio bolso Denis Sassou Nguesso, presidente do Congo-Brazzaville

Em tese, o perdão da doutora destina-se a alavancar interesses empresariais brasileiros. Todas as dívidas caloteadas envolveram créditos de bancos oficiais concedidos exatamente com esse argumento. As relações promíscuas do Planalto com a banca pública, exportadores e empreiteiras têm uma história de fracassos.

O namoro com Saddam Hussein custou as pernas à Mendes Junior e o campo de Majnoon à Petrobras. Em 2010 o soba da Guiné Equatorial, visitado por Lula durante seu mandarinato, negociava a compra de um tríplex de dois mil metros quadrados na Avenida Vieira Souto. Coisa de US$ 10 milhões.

Do tamanho de Alagoas, essa Guiné tem a maior renda per capita da África e um dos piores índices de desenvolvimento do mundo.

O repórter José Casado chamou a atenção para uma coincidência: em 2007, quando a doutora Dilma era chefe da Casa Civil, o governo anunciou o perdão de uma dívida de US$ 932 milhões.

Se o anúncio de Adis Abeba foi verdadeiro, em seis anos a Viúva morreu em US$ 1,8 bilhão. Se foi marquetagem, bobo é quem acredita nele.

O Brasil tornou-se um grande fornecedor de bens e serviços para países africanos e a Petrobras tem bons negócios na região.

As empreiteiras nacionais têm obras em Angola e na Líbia. Lá, tiveram uma dor de cabeça quando uma revolta derrubou e matou Muamar Kadafi, um “amigo, irmão e líder”, segundo Lula. Acolitado por empresários, seu filho expôs em São Paulo uma dezena de quadros medonhos.

Em Luanda os negócios vão bem, obrigado, e a filha do presidente José Eduardo Santos é hoje a mulher mais rica da África, com um cofrinho de US$ 2 bilhões. Ela tem 39 anos e ele está no poder há 33.

Se o Brasil não fizer negócios com os sobas, os chineses farão, assim como os americanos e europeus os fizeram.

A caixinha de Kadafi para universidades inglesas e americanas, assim como para a campanha do presidente francês Nicolas Sarkozy, está aí para provar isso. Contudo, aos poucos a comunidade internacional (noves fora a China) procura estabelecer um padrão de moralidade nos negócios com regimes ditatoriais corruptos.

A doutora diz que “o engajamento com a África tem um sentido estratégico”. Antes tivesse. O que há é oportunismo, do mesmo tipo que ligava o Brasil ao colonialismo português ou aos delírios de Saddam Hussein e do “irmão” líbio.

Publicado hoje em O Globo.

Expoente: Negado na Câmara e Prefeitura, pedido de informação agora está no TJ

As relações entre a Prefeitura de Campos e a empresa Expoente (conheça-a aqui), relativas à compra e venda de material didático para o ensino fundamental do município, pior de todo o Estado do Rio segundo o  Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), agora estão na Justiça. Após ter seus pedidos de informação sobre as compras sem licitação do governo Rosinha (PR) à Expoente, em 2011 e 2012, no valor conjunto de mais de R$ 18 milhões, negados pelo “rolo compressor” governista da Câmara (relembre aqui), nas sessões de 19 e 26 de março, negativa que depois seria confirmada também pelo próprio Executivo, em 15 de maio, num controverso parecer da Procuradoria do Município (relembre aqui), o vereador Marcão PT cumpriu o prometido: com base na lei federal 12.527, de acesso à informação pública (conheça-a aqui), ele ingressou no último dia 22 com um mandado de segurança, com pedido de liminar, junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Como o diretor geral do Observatório de Controle do Setor Público, o advogado José Paes, além dos vereadores Fred Machado (PSD), Rafael Diniz (PPS) e Nildo Cardoso (PMDB) tiveram outros pedidos de informação igualmente negados,  a decisão do TJ-RJ primeiro do pedido de liminar e, depois, do mérito do mandado de segurança de Marcão, pode definir como serão a partir dela as relações entre o governo Rosinha e todos aqueles que, investidos ou não de mandato popular, queiram ter o acesso garantido em lei às informações públicas do município. É esperar para ver…

Enquanto isso, seguem abaixo o registro do TRE-RJ do recebimento do pedido de Marcão e a íntegra do mesmo:

Registro do TR-RJ ao pedido de Marcão (reprodução de Luiz Carlos)
Registro do TR-RJ ao pedido de Marcão (reprodução de Luiz Carlos)
Pedido de Marcão - 1ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - 1ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - 2ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - 2ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - 3ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - 3ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - 4ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - 4ª parte (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - parte final (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Pedido de Marcão - parte final (reprodução de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Fechar Menu