Opiniões

Intenções de depois da reunião no Trianon

A partir da reunião da manhã de ontem, no foyer do Trianon, entre representantes dos artistas do município e a presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Patricia Cordeiro (confira aqui), costurada pelo superintendente (ex-secretário) de Cultura Orávio de Campos Soares, a estilista Lívia Amorim, após o encontro, usou a democracia irrefreável das redes sociais para publicar aqui um texto, na forma de uma carta de intenções, que o blog pede licença para republicar…

Lívia Amorim, estilista
Lívia Amorim, estilista

A reunião de hoje (ontem, 17/07) me faz refletir em alguns aspectos:

1 – Deixar claro que não é só por 0,20 centavos, ou pelo gargalo da possível censura a Nelson Rodrigues que estamos militando. Mas por uma cidade que invista em cultura de fato;

2 – Deixar claro que as nossas críticas não são de cunho pessoal, mas muitas vezes as de quem defende o “governo” são. E não vamos tolerar ofensas ou ameças;

3 – Deixar claro que desejamos melhorias para toda classe artística, independente do segmento;

4 – Deixar claro que exigimos maior participação popular. Queremos vez e voz;

5 – Deixar claro que queremos legalidade e transparência nos processos de seleção e contratação dos artistas e obras;

6 – Deixar claro que exigimos a criação do fundo de cultura. E temos urgência.

7 – Deixar claro que exigimos a abertura de editais para seleção de projetos. Com lisura.

8 – Deixar claro que após a criação dos editais, o poder público irá se comprometer a somente destinar verba para projetos de cultura desta forma;

9 – Deixar claro que queremos um fórum permanente para negociações com representantes de todos os segmentos artísticos;

10 – Deixar claro que o Conselho Municipal de Cultura deverá ser 50 por cento de sociedade civil, 50 por cento de poder público. Pessoas que compõe o governo não podem ser representantes da sociedade civil no conselho, como acontece atualmente;

11 – Deixar claro que as novas formas de cultura, que foram inseridas pelo MinC sejam representadas nos fóruns e nos conselhos;

12 – Deixar claro que não iremos parar de reivindicar.

Atualização às 19h24: O texto de Lívia foi publicado antes aqui, no blog “Estou procurando o que fazer”.

Este post tem 8 comentários

  1. Perfeito.

  2. Que bom que é para deixar claro e não rosa!

  3. Parabéns Livia Amorim.:Clara, direta e inteligente, vai em frente que atras vem gente.

  4. Patricia centralizou tudo na FCJOL.
    Nada pode ser decidido sem ela saber.
    O governo parece brincar de casinha, alguém faz o bolo confeita e manda para a toda poderosa ganhar os méritos e cortar o primeiro pedaço. E, o pior que a cara nem queima pois ela não se importa de usar o trabalho dos outros como se fosse seu, para ganhar prestígio com os INHOS.
    Ela exige que seja assim senão vai exonerar quem fizer o contrário.
    Tá difícil trabalhar nesse esquema pois ela não domina o assunto CULTURA mas quer ganhar a pauta para não perder a pose de poderosa.
    Quem fizer diferente, RODA.
    Será que GAROTINHO sabe disso? Duvido muito!! Mas ela garante que é ordem dele.

  5. O primeiro grande passo foi dado!!! Parabéns e que a luta continue!

  6. Mandou bem, Lívia. Pena que eles vão ignorar tudo isso. Gostaria de saber qual foi o orçamento da cultura para esse ano, alguém poderia me informar? Posso estar ansioso para reivindicar investimentos na cultura e não ter mais dinheiro. Será que estouraram o orçamento com shows. Não creio…

  7. Cuidado, Aluysio, essa mulher vem tombando desde Caparebus, onde já era colada com turma não muito boa. De cultura, não sabe nada, mas de fazer show com o repasse a quem interessa, é especialista. Fala muito de você, por já ter esquecido as idas e vindas da sua origem, que na Bahia, em Carapebus ou agora, em Campos, não é das melhores. Fique atento!

  8. Patr´cia tá se sentindo vitoriosa.
    Ela afirma que Rosinha não dá sequencia a nada, inicia as coisas e não tem pulso para manter até o fim.

Deixe uma resposta

Fechar Menu