Opiniões

Pelo PT de Campos, Odisséia quer aumentar bancada feminina na Alerj

Sua cessão da Prefeitura de Campos à assessoria parlamentar do senador, e pré-candidato a governador, Lindbergh Farias (PT), é só uma questão burocrática. Foi o que garantiu a ex-vereadora e professora Odisséia Carvalho, que não tem planos para desistir da sua própria pré-candidatura à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), uma das três que ostenta o PT de Campos, que nunca conseguiu eleger nenhum deputado estadual. Sobre os dois outros pré-candidatos petistas à Alerj, ela disse que trocou com o também professor Alexandre Lourenço, numa conversa, seus planos mútuos de se lançarem; enquanto sobre o vereador Marcão, cujo mandato declinou de analisar, disse que só soube dos seus planos para 2014 pela imprensa.

Foto de Mariana Ricci - Folha da Manhã
Foto de Mariana Ricci - Folha da Manhã

Folha da Manhã – Como reagiu ao cancelamento, por parte da Prefeitura de Campos, à sua cessão ao senador e pré-candidato a governador Lindbergh Farias?

Odisséia Carvalho – Essa questão é meramente burocrática e envolve prazos. Foi enviado no início deste ano, ao Governo de Estado e a Prefeitura de Campos dos Goytacazes, o pedido de cessão das minhas matrículas para ocupar o cargo de assistente parlamentar do senador Lindbergh Farias,o que não foi respondido em tempo hábil. A cessão do município saiu no DO de 21 de maio, e a do Estado tinha sido enviada para publicação,o que infelizmente não foi possível, pois minha nomeação no Senado ocorreu no dia 15 de abril e tinha apenas um mês para tomar posse. Atualmente, o Senado se encontra em recesso e será enviado um outro ofício solicitando minha cessão a ambos os órgãos, no qual espero ser atendida. É bom lembrar que a cessão é com ônus para o Senado e não onera os cofres públicos municipais, além de existir vários casos no município de Campos de profissionais com matrículas e cedidos  à Prefeitura, como o professor Suledil (Estado) e Fábio Ribeiro (Fenorte).

Folha – E quanto ao lançamento da pré-candidatura do vereador Marcão à Alerj, depois que você e o também professor Alexandre Lourenço já tinham posto seus nomes à mesma disputa?

Odisséia – O professor Alexandre Lourenço foi à minha residência e manifestou o desejo de se candidatar, quando coloquei que também é o nosso desejo de ocupar uma vaga na Alerj, o que fizemos formalmente na reunião do diretório do partido.No caso de Marcão, ele informou que realizou uma reunião com seu grupo político e soubemos pela imprensa  do seu interesse de se candidatar-se à Alerj, o que é legítimo e importante para o PT.

Folha – Há a possibilidade de você retirar sua pré-candidatura para apoiar Marcão ou Alexandre? Ou vai buscar com que um deles, ou ambos, se retirem da disputa para apoiá-la?

Odisséia – O PT é democrático e é necessário ampliar nossa bancada na Alerj. Em 2010, fizemos uma aliança e temos hoje cinco deputados e duas deputadas  do PT. Nessa eleição, teremos candidatura própria, com o pré-candidato Lindbergh Farias ao Governo do Estado e vamos aumentar nossa nominata e legenda. Nossa candidatura será mantida, sabemos que apoio sempre é importante e respeito a decisão dos companheiros, se desejarem manter suas candidaturas.

Folha – Como primeira suplente do PT como vereadora, se Marcão se elegesse deputado estadual, seu regresso à Câmara Municipal não seria uma possibilidade também interessante?

Odisséia – A representação do PT em todas as instâncias é importantíssima. Na reforma do estatuto do partido, ocorrida no  4º Congresso Nacional do PT, foi garantida a paridade, prevendo participação feminina de 50% na composição das nominatas. Não é natural que 52% da população brasileira seja mulheres  e apenas 9% ocupem as cadeiras no Congresso. Na Alerj, dos 70 deputados, apenas 12 são mulheres. Vamos  aumentar nossa bancada feminina do PT.

Folha – Qual sua avaliação da atuação de Marcão no mandato que já foi seu no Legislativo goitacá?

Odisséia – Na nossa concepção partidária, não existe mandato do vereador, mas do partido, baseado no nosso estatuto e princípios construídos ao longo de 33 anos de existência do PT. Cada legislador tem o seu perfil, sou oriunda dos movimentos sociais, filiada ao PT desde 1986.

Folha – Se insistir em três candidaturas locais à Alerj, o PT de Campos não corre o risco de cumprir mais uma vez a sina de nunca ter feito um deputado estadual?

Odisséia – Precisamos seguir com coragem e determinação, com representações do PT na região. Makhoul é pré-candidato a deputado federal e eu, Odisséia Carvalho, sou pré-candidata a deputada estadual. Estamos trabalhando e buscando apoios na região.

Publicado hoje na edição impressa da Folha.

Este post tem 5 comentários

  1. Tem que se ter um consenso.A vaidade pessoal tem que ser colocada ao lado..

  2. Se o Marcão for eleito Deputado a gente corre o risco de ter Odiosseia de volta a Camara de Vereadores? Que pena que vamos ter que torcer para o Marcão não se eleger!

  3. Importação de médicos cubanos pelo governo é preâmbulo criminoso de uma ditadura comunista

    Golpe baixo – Tão logo o governo de Dilma Rousseff anunciou a intenção de “importar” médicos cubanos – isso se deu antes do lançamento do programa “Mais Médicos” – o ucho.info afirmou, com a antecipação de sempre, que se tratava de um plano para trazer ao Brasil agentes da ditadura sanguinária dos irmãos Fidel e Raul Castro. Os esquerdistas nacionais se alvoroçaram com a informação, mas não há como contestar o óbvio.

    Temendo mais uma derrota no currículo d Dilma, os palacianos se apressaram em maquiar o plano, anunciando que médicos de outros países também viriam ao Brasil. Conversa fiada da pior qualidade, pois nenhum profissional da medicina aceitará trabalhar sem condições mínimas. E os locais para onde o governo quer mandar os médicos estrangeiros são desprovidos de infraestrutura de saúde.

    Na sequência surgiu a informação de que os médicos cubanos não operariam equipamentos sofisticados, mas, sim, trabalhariam para eliminar problemas simples de saúde, como diarreia, por exemplo. Esses pequenos problemas de saúde, que entopem os hospitais públicos, decorrem da falta de investimentos oficiais em saneamento básico, assunto que sempre fica nos palanques eleitorais.

    Para tentar ajudar a companheira Dilma Rousseff, o Palácio de Miraflores, sede do Executivo venezuelano, escalou o vice-presidente do país para falar sobre os médicos cubanos. Jorge Arreaza, que é genro do finado caudilho Hugo Chávez, lembrou as críticas da “oligarquia” à chegada de médicos cubanos na Venezuela.

    “Como foram duras a oligarquia venezuelana e os meios de comunicação privados, com o comandante (Hugo) Chávez, porque (…) decidiu estreitar a sua máxima expressão as relações com Cuba”, disse Arreaza na noite da última quarta-feira (24). “Vocês lembram como falavam da ‘cubanização’ (da Venezuela), como se metiam com os médicos cubanos? Depois eles são vistos indo aos CDIs que ficam perto das urbanizações de classe média, para ser atendidos. E saem felizes, porque são bem tratados”, completou o genro obediente.

    O detalhe nessa epopeia esquerdista é que esses médicos são, na verdade, agentes cubanos treinados para disseminar os conceitos obtusos do comunismo que impera na ilha caribenha. Prova maior está nos detalhes dos postos de saúde venezuelanos, onde sobram cartazes com imagens de Che Guevara e Simon Bolívar, como se a dupla representasse a derradeira solução para os problemas do universo. Fosse o modelo político esquerdista eficiente, Venezuela e Cuba não estariam mergulhadas em um misto de crise econômica e caos social, sem contar o regime totalitarista que ceifa a liberdade dos cidadãos.
    Dilma e seus seguidores que mudem o palavrório oficial, pois alegar que as inscrições no programa “Mais Médicos” foram fraudadas é desculpa esfarrapada para justificar a importação de agentes da ditadura cubana. E que fique claro, de uma vez por todas, que desistir ainda não é considerado crime no Brasil. Ou será que Fidel Castro dá mais ordens por aqui do que se imagina?

    http://ucho.info/?p=72336

  4. Manifestantes interrompem show
    da JMJ no rio; dois são detidos

    O que esse bando de marmanjos sem vergonha pretende? Destruir o capitalismo. Fazer a revolução, dizem os mascarados nas redes sociais. São idiotas que usam camisetas das Farc, e com a cara do assassino de Che Guevara! Che Guevara, “El chancho” (O PORCO), homofóbico que perseguiu milhares de homossexuais em Cuba, racista que detestava os negros cubanos; assassino que não pensava duas vezes para matar pessoas com tiros na cabeça.

    Che Guevara é o herói desses babacas? Eles não merecem ser tratados como cidadãos, pois não tratam a cidade como ela merece, e nem os seus habitantes. O que a Polícia espera para tratar adequadamente bandidos, quadrilhas que depredam São Paulo?

    O que Brasília espera para utilizar a Lei de Segurança Nacional? O que os impede? A simpatia para com os terroristas?

    http://laudaamassada.blogspot.com.br/2013/07/destruicao-na-av-paulista-onda-de.html#comment-form

  5. Quem começou todo o processo de extinção da Fundação Zumbi, bem lá atrás, foi essa senhora professora pré-candidata e oportunista da política de campos. Nós do Movimento Negro, tínhamos propósitos e responsabilidade com as políticas públicas e ações afirmativas nas discursões da igualdade racial. O nossos projetos, que davam continuidade ao processo de libertação do nosso povo afrodescendente, com a ascensão do negro dentro da nossa sociedade, foi brutalmente paralisado, quando nós negros, fomos negociados feitos escravos, para servir um projeto político isolado desta oportunista que não tem luz própria na política e que sempre usa o foco da situação e da oposição, pra estar pegando carona com a finalidade de atingir os seus objetivos a qualquer custo. Infelizmente, perdemos uma Fundação, que nos custou o suor do nosso rosto, pois a mesma foi conquistada com muita luta e que dava ao negro de Campos dos Goytacazes, toda uma referência de representatividade, para que nós negros pudéssemos estar discutindo em auto nível e no primeiro escalão da política administrativa, o nosso destino, mas infelizmente, fomos negociados nas bolsas de valores, com a moeda política e eleitoral. Foi muito duro, ter vivido aquela lastimável realidade, pois a nossa Fundação Zumbi dos Palmares, foi transformada em um Navio Negreiro, onde todos os sonhos da nossa população afrodescendente foram acorrentados, e comercializados de forma mesquinha e covarde, por esta (trecho excluído pela moderação), que em momento nenhum, quis saber, se a sua atitude, estaria adubando o início do assassinato da história do povo negro de Campos. Pois bem Senhora entendida e especialista em fazer politicagem (trecho excluído pela moderação). Quem será a próxima vítima dos seus golpes ambiciosos sem sustentabilidade moral em seus projetos políticos isolados e cavernosos? Todos que tentaram desprezar a nossa história, fez com que o tempo, escrevesse a nossa própria história muito mais forte. Como os falsos profetas, existem também os falsos ativistas que escondem a suas falsas estórias dentro das verdadeiras histórias, pois apesar de tudo que nós negros passamos e continuamos a passar, nas políticas sociais do nosso Município, uma coisa é certa: nunca conseguirá apagará a vergonha que ficou registrada por ter nos vendido, até porque, esta vergonha não é nossa, essa vergonha com certeza não é da comunidade negra, mas essa vergonha é toda da sua invisibilidade política, que tentou ser colorida com a nossa cor, com as nossas vidas, com a nossa história. Talvez, a sala de aula te espera, mas não como professora, pois o dom do puro e verdadeiro ensino é pra poucos, mas quem sabe se retornasse como aluno, poderia reciclar as suas vaidades, pra poder calçar o chinelo da humildade e aprender com quem sabe?

Deixe uma resposta

Fechar Menu