Opiniões

Delegada de SJB fala sobre violência e diz ter solucionado 9 dos 11 homicídios do verão

Sobre a explosão da violência nas praias de São João da Barra (informe-se aqui), onde 11 homicídios já foram praticados só neste verão, a delegada titular da 145ª DP, Madeleine Farias Rangel Bôa Morte, emitiu hoje uma nota oficial, divulgada por e-mail, na qual garante que nove dos 11 assassinatos já teriam sido solucionados por sua equipe de investigação. Abaixo, a nota da delegada, que sutilmente expõe a contradição do crescimento da demanda por segurança com os shows do verão e os efetivos de que dispõem as Polícias Civil e Militar em SJB:

 

Delegada Madeleine

 

NOTA OFICIAL

A Delegada Titular da 145º Delegacia de Polícia vem a público informar que dos 11 homicídios ocorridos na cidade de São João da Barra de 01 Janeiro do corrente ano até a presente data, amplamente noticiados pela imprensa local, 09 estão solucionados, de sorte que os suspeitos de autoria e participação encontram-se presos, à disposição da Justiça ou foragidos.

Com relação às investigações que ainda não foram concluídas, a Polícia Civil já tem pistas da autoria e trabalha para, em breve, também localizar e prender os responsáveis.

Cumpre salientar que, na cidade de São João da Barra, as polícias Militar e Civil tem feito um grande esforço conjunto para evitar a ocorrência de tais crimes com o efetivo que possuem a sua disposição e que o grande deslocamento da população da região em direção às praias, em virtude dos eventos que acontecem no período de verão, tem atraído criminosos e contribuído para o aumento das ocorrências na cidade de São João da Barra.

Quando resta impossível evitar a prática de tais crimes, é nosso dever solucioná-los, encontrar os criminosos e deixar que a Justiça do nosso país faça a sua parte. E isto é o que todos, com união de esforços, temos feito.

Finalmente, as Polícias Civil e Militar pedem que os moradores denunciem os crimes e o paradeiro dos criminosos que ainda não foram presos, fotos abaixo, através do Disque Denúncia (22) 2741-1373, (22) 2723-1177 e 190.

Madeleine Farias Rangel Bôa Morte

Delegada Titular

Disputa pelo governo do Rio racha prefeito e vice de Macaé

Assumir a coordenação política regional da pré-candidatura de Luiz Fernando Pezão (PMDB) — como o jornalista Ilimar Franco noticiou em O Globo, e o Saulo Pessanha divulgou aqui, na blogosfera local —, parece ter custado ao prefeito de Macaé, Dr. Aluizio (PV), um racha em seu próprio governo. Seu vice-prefeito, o petista Danilo Funke, hoje não só tornou pública em seu blog, aqui, sua discordância política com o alinhamento da Prefeitura de Macaé  com o PMDB fluminense, como reafirmou seu compromisso com a pré-candidatura de Lindbergh Farias. Enquanto não vêm ao ar os próximos capítulos dessa novela macaense, confira abaixo a contundente nota de Funke:

 

Danilo Funke

 

Nota de Esclarecimento

Publicado em 27/02/14

A partir das críticas, e-mails e telefonemas que colocam em dúvida a minha COERÊNCIA, me sinto na obrigação de esclarecer alguns aspectos. A notícia publicada na coluna “Panorama Político”, jornal O Globo, de que o Prefeito da cidade de Macaé, Dr. Aluízio – eleito junto comigo -, seria um dos coordenadores de campanha de Luiz Fernando Pezão, sucessor de Sérgio Cabral para Governador do Estado, me deixou inconformado e acredito que tenha decepcionado a população macaense.

Apesar da atitude do prefeito, NÃO CONCORDO COM A ALIANÇA ELEITORAL COM O GOVERNO QUE ABANDONOU MACAÉ E REGIÃO DURANTE OS ÚLTIMOS SETE ANOS. NÃO EXISTE, ATÉ O MOMENTO, OBRA DE INFRAESTRUTRA OU SERVIÇO PÚBLICO QUE JUSTIFIQUE TAL COMPROMISSO.

Macaé e região carecem de investimentos na área de mobilidade urbana, fornecimento de água potável, segurança pública e educação e, no entanto, se viram completamente negligenciadas pelo Estado. Nunca aceitaria esta aliança oportunista que desconsidera essa falta de investimento e essa pouca atenção.

Quando fui o único vereador de oposição, ao longo do meu mandato pautei minha intervenção parlamentar pela defesa dos excluídos, em busca da transparência e respeito da aplicação dos recursos na gestão pública, assim como pauto hoje minha atuação como vice-prefeito. Portanto, neste momento soa no mínimo incoerente me associar a grupos políticos que respaldavam um antigo governo no qual nos apresentamos como ALTERNATIVA PARA UM PROJETO DE MUDANÇA para o município de Macaé, segundo expectativa e confiança depositada pela população.

Fomos ao longo do período pré-eleitoral motivados pelo senador Lindbergh Farias a montar a aliança que se sagrou vitoriosa. O senador não poupou esforços em convencer o PT a constituir uma aliança com o PV e aliados. Lindbergh esteve inúmeras vezes em Macaé durante a campanha e tem sido um parceiro incansável na busca de melhorar a relação com o governo federal e ampliar os investimentos em nossa cidade. Aproveito para reafirmar minha lealdade ao senador Lindbergh, porque afinal, se para alguns a palavra não vale muito coisa, não posso abrir mão da minha palavra, que é o único bem que possuo. Não conseguiria olhar para a minha família se perdesse a minha honra.

Polêmica da Fenorte: RH convida Cleber ao debate, aconselha Gustavo e cala sobre Nahim

Sobre a polêmica iniciada aqui,  com sua proposta em carta aberta ao governador Sérgio Cabral (PMDB), de transformar a Fundação Estadual do Norte Fluminense (Fenorte) em secretaria estadual do Norte e Noroeste Fluminense, o deputado estadual Roberto Henriques (PSD) fez aqui um comentário no blog, ao qual ora conferimos a relevância maior de post. Nele, Roberto convida ao debate pessoal o advogado, blogueiro e diretor de Controle de Licitações do Observatório Social de Campos (conheça-o aqui), Cleber Tinoco. O deputado citou o também blogueiro e presidente do PV de Campos, Gustavo Matheus, a quem aconselhou: “não entres pela porta larga da perdição”. Cleber (aqui) e Gustavo (aqui) fizeram avaliações críticas da proposta para a Fenorte. Já sobre as declarações de Nelson Nahim, também do PSD, que preside a Fundação e considerou (aqui) a ideia como “falta de bom senso”, nada disse Henriques.

Abaixo, a íntegra do que escreveu o deputado:

 

Roberto Henriques, Cleber Tinoco e Gustavo Matheus (montagem de Helen Souza)
Roberto Henriques, Cleber Tinoco e Gustavo Matheus (montagem de Helen Souza)

 

Caríssimos Aluysio, Zé Renato, leitores e comentaristas, saibam que fico feliz quando nossa gente está discutindo os temas que envolvem nosso cotidiano. Pior seria o silêncio sepulcral das mentes mortas, que desistiram de cogitar acerca desta maravilhosa viagem cósmica para qual a espiral histórica nos arrasta. Bendita seja a pluralidade das nossa ideias, desde que esta não esteja servil aos interesses meramente particulares,tais como: defesas de privilégios, interesses inconfessáveis envolvendo a coisa pública, falsa postura ética, dentre outras. Coloco-me à inteira disposição daqueles que não se escondem em anonimatos, dos que sinceramente discutem dominados pelo espírito público, dos que não se cansam de filosofar na simplicidade e abertura ao próximo, bem como dos que se entregam as lutas que edificam. Não tenho medo,sou absolutamente tranquilo nos ambientes onde se travam discussões,porém preocupam-me as raivosas reações de alguns… Não discutem…. reclamam direitos que não lhes pertencem; exalam iras, porque sabem que seus argumentos são falsos e interesseiros. Tenho pontos de divergências com a opinião em tela sobre minha “carta aberta” dada pelo Dr. Cleber Tinoco, porém o parabenizo por buscar discordar orientando-se pelos caminhos dos seus argumentos e serenamente disponibilizar matéria e condições para aprofundar uma avaliação com as garantias das regras da civilidade. Saudável e contributiva posição para o sagrado direito de qualquer pessoa questionar a minha atuação parlamentar. Estou aberto, Dr. Cleber, a aprofundar para melhorar cada produto do trabalho que executo. O gabinete que está a mim disponibilizado, custeado pelo dinheiro público,0 tem portas abertas, como aceitaria prazerosamente um convite do senhor para ir ao seu escritório. Aluysio e Zé Renato, encerro, respeitando outros comentários, lamento que tantos outros são apenas argumentos que servem à vaidade de posições preconceituosas e noutros, reconheço-os apenas como gritos de manjados fisiológicos que não levo a sério…. Não dedico a eles sequer um “período composto”, muito menos uma oração… A eles outra oração… Que Deus tire de seus corações o ódio que nutrem pela pela democracia. Quanto ao Gustavo Matheus, rogo para que não entres pela porta larga da perdição… Andas nervoso, perdeste o traquejo da boa escrita? Segure firme, promissor escriba… Cartola lhes diria: “Ainda e cedo… Preste Atenção…Ouça-me bem… Cuidado!!!! A vida é um moinho…” Eu, humildemente, lhes digo : Sobre o jovem, repousa a presunção da inocência. Ao blog, obrigado pelo espaço. Fraterno abraço a todos. Abraça-os, Roberto Henriques.

 

IFF Guarus faz protesto e programa fechar BR 101 para pedir segurança

Daqui a pouco, às 10h30, alunos, professores e servidores do campus Campos-Guarus do Instituto Federal Fluminense (IFF) fazem uma manifestação às margens da BR 101, com previsão de interdição da principal rodovia do país, no trecho ao lado do 56º Batalhão de Infantaria (BI) do Exército, para protestar contra a falta de segurança nas imediações, onde estudantes têm sido seguidamente assaltados, apesar dos reiterados pedidos da direção da unidade de ensino ao 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Campos, solicitando mais policiamento na área. Quem também estará presente ao ato de protesto será o vereador Marcão (PT), que além de advogado é contador concursado do IFF. Só na última semana, foram registrados dois assaltos na saída da escola, na sexta, dia 21, e ontem (25/02).

Abaixo, o texto enviado pela jornalista Juliana Lima, assessora de gabinete e de imprensa da diretora do campus Guarus do IFF, Christiane Rodrigues:

 

IFF Guarus

 

Alunos e servidores do campus Campos-Guarus do Instituto Federal Fluminense têm sido vítimas, constantemente, de assaltantes na saída da escola, principalmente no turno da noite. A Direção Geral do campus já solicitou dezenas de vezes apoio da Polícia Militar, que alega falta de contingente e de viaturas para não atenderem o pedido de reforço na segurança diariamente.

Somente essa semana duas alunas foram vítimas de assalto à mão armada, assim que deixaram as dependências da escola. Os assaltos ocorreram na sexta-feira, dia 21 e ontem, dia 25, dias em que não havia a presença dos policiais militares. Em conversa com os alunos, a diretora geral do campus, Christiane Rodrigues, apresentou as dezenas de documentos enviados para o 8º BPM e disse que sua maior preocupação é com a vida desses alunos. “Não podemos ser reféns dessa violência, os alunos estão em iminência de trancarem seus cursos com medo de serem as próximas vítimas”, disse Christiane.

Nahim: proposta de Roberto Henriques para a Fenorte é falta de bom senso

Aqui, em carta aberta ao governador Sérgio Cabral (PMDB), o deputado estadual Roberto Henriques (PSD) propôs transformar a Fundação Estadual do Norte Fluminense (Fenorte) em secretaria estadual do Norte e Noroeste Fluminense. Aqui, quem criticou a ideia e deu seus motivos  foi o advogado Cleber Tinoco. Além dele e de maneira ainda mais contundente, quem classificou a proposta como “falta de bom senso” foi o próprio presidente da Fenorte, Nelson Nahim (PSD). Além de pertencerem ao mesmo partido, ambos são nele pré-candidatos a eleição em outubro: Henriques na tentativa de reeleição à Alerj e Nahim, à Câmara Federal.

Do que disse Nelson sobre a proposta de Roberto, cuja eleição em 2010 é em muito creditada ao apoio recebido do primeiro, que era prefeito interino à época, durante uma das duas cassações da prefeita Rosinha Garotinho (PR), confira abaixo na apuração e redação do jornalista da Folha Mário Sérgio Júnior:

 

(Montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
(Montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

A proposta é uma falta de bom senso. Respeito a opinião do Roberto, mas sou contra terminar com a Fenorte. A Fundação deveria ser fortalecida e essa proposta, com todo o respeito, foi feita por mim quando Rosinha era governadora. A ideia é fazer com que a Fenorte esteja ligada ao Gabinete do Governador e não mais subordinada à secretaria de Ciência e Tecnologia.

 

Atualização às 19h20: Quem também se pronunciou, contundente como de hábito, sobre a polêmica iniciada com a proposta de Roberto Henriques sobre a Fenorte, foi o blogueiro e presidente municipal do PV Gustavo Matheus. Confira aqui.

Aluizio Siqueira vê indícios do racha Carla/Neco e diz que ficaria com o prefeito

Reeleito presidente da Câmara Municipal de São João da Barra, na sessão da última quarta, dia 19, como o blog antecipou aqui, o vereador Aluizio Siqueira (PMDB) nega que a antecipação da eleição da mesa diretora tenha sido um golpe orquestrado pelo prefeito Neco (PMDB) contra sua principal cabo eleitoral em 2012, a ex-prefeita Carla Machado (PT), pré-candidata a deputada estadual em outubro. Antes, a própria Carla também havia dito aqui não se sentir vítima de uma manobra, assim como aquela considerada uma das suas vereadoras mais leais, Sônia Pereira (PT), que perdeu a vice-presidência da mesa e depois falou aqui, em entrevista à jornalista Dora Paula Paes. Aluizio, no entanto, admitiu que Neco costurou a antecipação que deu nova cara ao comando da Câmara, inclusive com a eleição como segundo secretário de Franquis Areas, do PR do deputado federal Anthony Garotinho e opositor renhido nos tempos do governo Carla. Sobre a ruptura entre esta e Neco, o presidente reeleito do Legislativo de SJB admitiu que há indícios e que, caso isso venha a se confirmar, ficaria ao lado do atual prefeito.

Abaixo, o que falou Aluizio:

 

Aluizio Siqueira

 

Reeleição — Já estava acordado entre os vereadores. Todos aprovaram o que fizemos no primeiro ano na presidência, o que nos levou a antecipar a eleição do segundo biênio. A unanimidade na votação prova que todos queriam a continuidade do comando, com algumas pequenas trocas na mesa.

Surpresa? — Na sessão de terça-feira (18/02), todos os vereadores estavam presentes e receberam a convocação para a eleição da nova mesa, na sessão ordinária do dia seguinte. Todos foram convocados na terça e compareceram na quarta. Ninguém foi pego de surpresa.

Papel de Neco — A articulação foi dos vereadores, mas Neco estava ciente de tudo. Na minha primeira eleição a presidente, a articulação foi de Carla, mas eu era uma incógnita, ninguém de fato sabia como seria meu desempenho. Agora, não, quando se sabia que fiz por onde na presidência, dando condições de trabalho a todos os vereadores. Por isso, volto a frisar, a unanimidade na minha reeleição.

Franquis na mesa — O Franquis sempre se mostrou um cara coerente, nunca fugiu da linhagem que ele defende. Mesmo na legislatura passada, quando pertencia à oposição que controlou a Câmara, ele nunca ocupou uma posição na mesa. Não sei o motivo, não cabe a mim opinar. O fato é que na última eleição, ele foi o vereador mais votado. Essa segunda secretaria que ele passou a ocupar agora é, inclusive, uma maneira de honrar os 1.409 votos que ele teve.

Racha de Carla e Neco — Para quem entende alguma coisa de política, inegável que há indícios do rompimento entre os dois. Mas essa é uma pergunta para eles responderem, não eu.

Com quem fica Aluizio? — Fico com o município. Partido político é só até a eleição, depois é São João da Barra. Mas darei total apoio ao prefeito, até onde entender que seu governo está atendendo à população. Meu pai dizia que fazenda é coisa para quem está fazendo, porque sempre há o que se fazer. São João da Barra tem problemas? Lógico que tem. Mas se não tivesse, não teria porque ter prefeito ou vereador.

Odete de volta à realidade crua e velha conhecida da educação em Campos

Após período de resguardo por motivos de saúde, motivo para se comemorar é a volta da professora Odete R0cha às atividades políticas, nas quais é pré-candidata a deputada estadual pelo seu PC do B, e do magistério no município. Ainda que, em relação especificamente à educação pública de Campos, ela não tenha encontrado muitos motivos para comemorar, como testemunhou aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, sob a curtição sincera dos amigos, eleitores e demais admiradores dessa mulher de luta, que o blog pede licença para transcrever abaixo:

 

 

Agora sim, a vida segue! Voltei à sala de aula na PMCG. Voltei feliz mesmo tendo que enfrentar salas onde os ventiladores não existem, ou estão quebrados , ou num espaço enorme há apenas um funcionando! Voltei prá DONANA, feliz! Uma felicidade contraditória , pois continuo a pautar as demandas da nossa categoria , angustiada com as lutas que ainda esta tem que travar para ser uma categoria valorizada. É uma felicidade de renascimento, de possibilidade reinventada, mas possibilidade! Mesmo que eu tenha que xerocar o material antes de chegar à escola para desenvolver uma atividade com o 6º ano. Mesmo que reclame pela falta de estrutura para poder xerocar uma simples folha, estou feliz! Algumas salas ainda continuam com quadro de giz, e minhas mãos estão em frangalhos! Mas, estou aqui: VIVA para ver, sentir e respirar tudo isto!

Advogado Cleber Tinoco contesta proposta de RH para transformar Fenorte em secretaria

Aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, o advogado, blogueiro e diretor de Controle de Licitações do Observatório Social de Campos (conheça-o aqui), Cleber Tinoco se posicionou contrário à proposta feita pelo deputado estadual Roberto Henriques (PSD) ao governador Sérgio Cabral, divulgada aqui, de transformar a Fenorte numa secretaria do Norte e Noroeste Fluminense. Elucidativo, como sempre, conheça abaixo os motivos do Cleber:

 

Cleber Tinoco
Cleber Tinoco

 

Com todo respeito ao Dep. Roberto Henriques, mas a sua proposta de transformar a Fenorte numa Secretaria de Estado não me parece boa. Primeiro, porque a divisão de competências entre as Secretarias do Estado é feita com base no critério material e não territorial, como propõe o Deputado. Segundo, porque a proposta implica despersonalizar a Fenorte, transformando-a em órgão e tornando-a incapaz de adquirir direitos e contrair obrigações, suprimindo, pois, sua autonomia financeira e patrimonial. Por fim, apenas para ficar com três razões, porque a proposta supõe que a Fenorte deixaria de estar vinculada a outra Secretaria para estar subordinada diretamente ao Governador, mas isso não conduz a nenhuma vantagem imediata para a realização da missão pensada para a Fenorte pelo Dep. Henriques, exceto pelo fato de se poder falar direto com o Governador.

Clarissa também analisa o que disse Feijó sobre casal Garotinho e oposição

Não foi só a oposição que reagiu (aqui) ao que disse Paulo Feijó (PR) em entrevista à Folha da Manhã, publicada aqui no último domingo (23/02), sobre a pré-candidatura de Anthony Garotinho (PR) a governador, a análise das gestões Rosinha (PR) na Prefeitura e da oposição ao casal em Campos. Citada na entrevista como puxadora de voto do PR, a deputada estadual Clarissa Garotinho, em visita ontem à Folha, também comentou algumas declarações do colega de legenda e adversário na corrida por uma cadeira na Câmara Federal. Confira abaixo, na apuração e redação do jornalista Alexandre Bastos, que deu aqui mais detalhes dos planos da deputada e seu partido para outubro:

 

Clarissa (foto de Mariana Ricci - Folha da Manhã)

“Dessa vez vou poder caminhar e pedir votos em minha cidade. E isso não atrapalha a candidatura do deputado federal Paulo Feijó, que também tem força em diversos municípios da região e conta com aliados em Campos. Nossa meta é eleger 10 deputados federais. Quero a minha eleição, mas também torço pela vitória do Feijó. Até porque, se for eleita, conto com a experiência dele ao meu lado em Brasília. Estamos todos cientes de que a nossa principal meta é a volta do deputado Garotinho ao governo do Estado. Caminho ao lado dele em todas as partes do estado e constatamos a necessidade de uma mudança de verdade. E o trabalho fica mais fácil em Campos, pela qual hoje a Rosinha é a prefeita melhor avaliada em todo o Estado. Comparando Campos com outros municípios do estado podemos notar que existem avanços em áreas de suma importância como saúde, educação e transporte. Na saúde a cidade é referência na área da imunização e na educação, apesar da última colocação no Ideb, que é uma herança dos governos passados, os números mostram avanços significativos. Já na questão do transporte, que é um problema em diversas cidades por conta do alto preço das passagens, foi implementado o Cartão Cidadão, com passagens a R$ 1,00. Os ônibus, por exemplo, poderiam ser bem melhores. Porém, como se trata de concessão, o que o governo pode fazer é pressionar. Inclusive, a prefeita chegou a cogitar a possibilidade de municipalizar o transporte. Reconheço a importância da oposição em uma democracia. Em muitos casos, ao apontar problemas e oferecer soluções, a oposição é fundamental. Sobre os oposicionistas de Campos, o que podemos notar é que ela encolheu nas urnas. A população escolheu eleger uma maioria governista. Essa é a voz das ruas que reflete na grande bancada governista”.

Fechar Menu