Opiniões

Garotinho teme ser envolvido na investigação sobre financiamento dos protestos de rua?

Garotinho

 

Quem conhece o modus operandi do deputado federal e pré-candidato a governador Anthony Garotinho (PR), e a repetição do seu modo de agir não torna o conhecimento difícil, pode ser levado a crer que ele teme ser envolvido nas investigações sobre o financiamento e utilização política dos protestos de rua no Rio, que levaram à morte o cinegrafista Santiago Andrade, atingido por um rojão em manifestação no dia 6 e morto no dia 10. Em caso de dúvida, basta ler aqui, aqui e aqui o que parece ser a defesa prévia de Garotinho, feita desde ontem em seu blog.

Atualização às 17h06: Se for pela lista que a revista Veja teve acesso e divulgou aqui, na tarde de hoje, Garotinho não tem o que temer sobre a investigação do financiamento das manifestações de rua, nas quais estão aparecem dois vereadores do Psol, um juiz e um delegado da Polícia Civil. A tranquilidade do deputado tende a permanecer enquanto o grupo investigado for o Black  Bloc, não o “Ocupa Cabral”.

Atualização às 19h41: Em seu blog, o jornalista Alexandre Bastos já havia republicado aqui a lista divulgada pela Veja.

Após Rosinha sugerir CPI dos Shows, Hirano diz que ela não haverá

(Foto de Valmir Oliveira - Folha da Manhã)
(Foto de Valmir Oliveira – Folha da Manhã)

 

Segundo esclareceu agora há pouco o líder governista Paulo Hirano (PR), não haverá uma CPI na Câmara de Campos para investigar os shows nos governos municipais anteriores. Como revelou aqui a Blog do Bastos, a sugestão foi feita pela própria prefeita Rosinha Garotinho (PR), pressionada pelas críticas à contratação de shows no verão do Farol, durante uma reunião na noite da última segunda-feira (10/02) para apoiar a pré-candidatura de Geraldo Pudim (PR) a deputado estadual. Também pré-candidato à Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), Hirano não esteve presente no evento pró-Pudim prestigiado pelo casal Garotinho e vários outros vereadores do rolo compressor governista.

Hoje, após o término da audiência pública na Câmara, para discutir a cobrança de pedágio na BR 101 pela concessionária Autopista Fluminense, o líder da situação se informou sobre o que quis dizer a prefeita, dois dias atrás, quanto à contratação de shows nos governos anteriores. Hirano afirmou que não Rosinha não teria sugerido, nem será proposta uma nova CPI. Em meio aos questionamentos sobre os shows do verão de 2014, no máximo se divulgaria o relatório da CPI da Fundação Zumbi dos Palmares, sobre denúncias durante o governo Alexandre Mocaiber (PSB), que se encerrou em 2008, antes de apoiar a reeleição da prefeita em 2012.

Mesmo com a CPI da Zumbi concluída desde 2009, quando já era prefeita, tendo ao seu lado quatro (Kellinho, Albertinho, Abdu Neme e Gil Vianna) dos cinco vereadores (mais Rogério Matoso) que compuseram a comissão, e com o relatório final encaminhado desde então ao Ministério Público, há mais de quatro anos, Rosinha afirmou em público na última segunda:

— Não tenho medo da verdade. Vamos mostrar a cachorrada que tinha no passado. Isso tudo já foi investigado (na CPI da Zumbi), mas o presidente anterior do Legislativo (Nelson Nahim) não colocou para frente.

Desde ontem, Nahim havia desmentido aqui o possível ato falho da fala da prefeita:

— Ela está completamente equivocada. Melhor seria se informar sobre os fatos, ocorridos durante o seu próprio governo, antes de falar. Foi tudo apurado. Todas as pessoas foram ouvidas. Tudo foi gravado. Tudo que os vereadores pediram, foi feito. Os relatórios finais, não só da CPI da Fundação Zumbi, mas também da Campos Luz, foram concluídos e entregues ao Ministério Público. Se Rosinha quiser, basta oficiar o presidente da Câmara, Edson Batista (PTB), para ter acesso a todos os arquivos. Aliás, deveria tê-lo feito, antes de vir a público falar o que não houve.

Pedágio na BR 101: vereador Magal cobra ação de políticos de Campos e região

(Foto de Valmir Oliveira - Folha da Manhã)
(Foto de Valmir Oliveira – Folha da Manhã)

 

O vereador Jorge Magal (PR-RJ) acaba de discursar na audiência pública que trata da situação da BR 101, conhecida como “Rodovia da Morte”, que está acontecendo nesta tarde na Câmara de Campos. Enfático, acusou as representações políticas de toda a região, inclusive Campos, de se ausentarem no apoio às medidas do Ministério Público Estadual e da 1ª Vara Cível de Campos, que acabaram por suspender a cobrança de pedágio por quase dois meses. “Foi uma atitude estranha. O juiz Ralph toma uma decisão corajosa em defesa de nossa sociedade e o que vemos é uma parcela diminuta de nossas representações manifestarem seu apoio. Nesse ponto, faço questão de destacar o papel importante dos nossos órgãos de imprensa, incansáveis no apoio àqueles que trafegam pela BR 101”, destacou Magal.

A sessão especial conta com a participação de vereadores de diversos municípios, mas não conta com um representante sequer da Autopista Fluminense, concessionária da rodovia. Magal voltou a chamar a atenção de todos em relação à cobrança ilegal de pedágio na praça da Região Norte (entre Guandu e Conselheiro Josino, relativo ao trecho que liga Campos à divisa com o Estado do Espírito Santo). “Na primeira audiência, em outubro do ano passado, o superintendente da Autopista, Odílio de Jesus Ferreira, afirmou que a duplicação da rodovia entre o quilômetro zero e Campos não constava no programa. Se eles não tinham autorização pra duplicar ali, se nada foi feito de melhoria, como é possível uma praça de pedágio? Trata-se de um roubo autorizado pelo Governo Federal”, finalizou Magal, apresentando um vídeo onde Odílio Ferreira fala no plenário que este trecho citado não está no contrato, apesar da cobrança de pedágio 24 horas por dia.

 

Da assessoria do vereador.

Arnaldo: “Por que Rosinha fica tão irritada com as críticas à cultura?”

(Montagem de Lgomes)
(Montagem de Lgomes)

 

“Ela pode vir quente. Quem não deve, não teme, ainda mais quem ataca quando não tem como se defender. Só não entendo porque alguém tão blindado quanto a prefeita, sempre indiferente a todas as cobranças, que nunca se manifesta sobre nada do seu governo, tenha tomado tanto as dores das muitas críticas que têm sido feitas à política de shows no Farol, comandada pela sua nova melhor amiga, a Patrícia Cordeiro (presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima). Por que será?”. Foi o que questionou hoje o ex-prefeito Arnado Vianna (PDT) sobre a declaração de Rosinha Garotinho (PR), dada num evento de apoio à pré-candidatura a deputado estadual de Geraldo Pudim (PR), na noite da última segunda (confira aqui), quando a prefeita propôs em público, ao presidente da Câmara Edson Batista (PTB), a abertura de uma CPI para investigar a promoção de shows nos governos municipais passados.

Além de questionamentos, Arnaldo também fez cobranças dos atos administrativos de Rosinha na cultura do município:

— A prefeita não precisaria nem de uma CPI para finalmente explicar à população campista, principalmente à sua classe artística, por que extinguiu a Fundação Trianon, criada em meu governo, assim como fez com a Fundação Zumbi e a secretaria de Cultura, para centralizar todas as decisões de cultura e eventos da cidade nas mãos da sua nova melhor amiga Patrícia Cordeiro. Desde sua desastrada reforma administrativa do ano passado, até agora, nenhuma satisfação foi dada sobre isso. Talvez, quando responderam porque fizeram isso e em nome de quais interesses, se torne também mais claro porque Rosinha fica tão irritada quando alguém critica a política cultural e de eventos do seu governo. E as críticas, todas elas pertinentes, têm sido muitas. Só não têm respostas. O que me leva novamente a perguntar: Por que será?

Nahim responde Rosinha: “Ela deveria se informar melhor sobre o seu próprio governo”

(Montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
(Montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

“Ela está completamente equivocada. Melhor seria se informar sobre os fatos, ocorridos durante o seu próprio governo, antes de falar”. Foi o que disse hoje o ex-vereador Nelson Nahim (PSD), ao tomar ciência das declarações feitas ontem à noite pela prefeita Rosinha Garotinho (PR), que na tentativa de defender as críticas presentes sobre sua política cultural e de eventos, sobretudo na programação de verão do Farol, tentou revirar o passado, atribuindo ao cunhado uma má vontade quando era presidente da Câmara, em relação à CPI do Legislativo que, em 2009, investigou os atos da  Fundação Zumbi dos Palmares durante o governo Alexandre Mocaiber (PSB). Segundo o Blog do Bastos revelou aqui, disparou ontem a prefeita:

— Não tenho medo da verdade. Vamos mostrar a cachorrada que tinha no passado. Isso tudo já foi investigado, mas o presidente anterior do Legislativo não colocou para frente.

Citado, mesmo sem ser nomeado, Nahim deu nomes hoje em sua resposta:

— Foi tudo apurado. Todas as pessoas foram ouvidas. Tudo foi gravado. Tudo que os vereadores pediram, foi feito. Os relatórios finais, não só da CPI da Fundação Zumbi, mas também da Campos Luz, foram concluídos e entregues ao Ministério Público. Se Rosinha quiser, basta oficiar o presidente da Câmara, Edson Batista (PTB), para ter acesso a todos os arquivos. Aliás, deveria tê-lo feito, antes de vir a público falar o que não houve. Caso tenha se esquecido do que aconteceu em seu governo, de cabeça eu lembro os membros da CPI da Zumbi, presidida pelo vereador Kelinho (PR), relatada pelo vereador Albertinho (Pros, então PP), sendo ainda composta pelos vereadores Abdu Neme (PR, então PSB), Gil Viana (PR, então PSDC) e Rogério Matoso (PPS), único integrante da oposição.

Sobre a possibilidade de ter sua política de shows investigada, nos seis meses de 2010 nos quais assumiu interinamente a Prefeitura, na primeira das duas cassações de Rosinha, que ontem também propôs uma CPI para investigar os shows das gestões passadas, Nahim também se disse tranquilo:

—  Todo cidadão sabe que não troquei um só assessor no minha interinidade como prefeito. Todos foram mantidos, à exceção de Linda Mara (hoje vereadora pelo Pros), que saiu por vontade própria para acompanhar Rosinha. Se for investigar o ato de um secretário ou assessor, será o de um secretário ou assessor que estava e ainda está no governo Rosinha, incluindo a atual presidente da Fundação Jornalista Oswaldo Lima, Patrícia Cordeiro. Mas sou a favor de que se investigue mesmo, pois se desvios foram ou continuam sendo cometidos, e um prefeito não tem como saber de todos, o responsável tem mesmo que ser punido exemplarmente.

Mocaiber sobre ameaça de Rosinha com CPI dos Shows: “É sempre a mesma coisa”

(Montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
(Montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

“É sempre a mesma coisa. Quando não têm como responder pelo presente, eles tentam atacar o passado”. Alvo costumeiro dos governistas para evitar responder as críticas à atual gestão municipal, já no segundo mandato de Rosinha Garotinho (PR), seu antecessor no cargo, o ex-prefeito Alexandre Mocaiber (PSB), disse estar com a “consciência tranquila” e não ter “nada a temer”, diante da ameaça feita ontem à noite pela prefeita de Campos, segundo divulgado aqui, no Blog do Bastos: “Aproveitando que o presidente da Câmara. Dr. Edson Batista está aqui, sugiro uma CPI dos Shows para levantar todos os gastos com shows nos governos passados. Não tenho medo da verdade. Vamos mostrar a cachorrada que tinha no passado”.

Na tentativa defender a amiga e presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Patrícia Cordeiro, cujos valores pagos e prioridades administrativas na contratação de shows no Farol têm sido alvos constantes de questionamentos na mídia local (relembre aqui, aquiaqui, aqui e aqui), além de um pedido de informação do vereador Rafael Diniz (confira aqui), Rosinha atacou Mocaiber, que a apoiou em sua reeleição à Prefeitura em 2012, diante do completo silêncio sobre a questão por parte do seu marido, o deputado federal e pré-candidato a governador, Anthony Garotinho (PR), presente ontem ao evento também prestigiado por boa parte do rolo compressor governista na Câmara Municipal, visando apoiar a pré-candidatura de Geraldo Pudim (PR) a deputado estadual. Isto, enquanto no mesmo dia e horário, seus dois filhos, Wladimir e Clarissa Garotinho (ambos do PR) promoviam outro evento em Campos, mas para prestigiar  a pré-candidatura de Bruno Dauaire (PR), que briga pela chance de disputar com Pudim uma vaga na Alerj.

 

Fechar Menu