Opiniões

Aluizio Siqueira defende Neco e diz: “Se há Judas nessa história, não somos nós”

Sem citar uma única vez o nome de Carla Machado, ex-prefeita de São João da Barra e pré-candidata a deputada estadual, o presidente reeleito do Legislativo municipal Aluizio Siqueira entoou como mantra sua fidelidade ao prefeito Neco, ao PMDB e à pré-candidatura a governador de Luiz Fernando Pezão. O vereador só demonstrou irritação com a insistência em se saber mais sobre a aproximação do seu grupo político e de Neco, a quem considera “a maior liderança política da região”, com Garotinho. Sobre a explosão da violência nas praias sanjoanenses neste verão (aqui), apontou como solução a instalação de uma Companhia Independente da PM no município. Quanto ao racha de Neco, e por tabela seu, com Carla, ressalvou: “Se tem Judas nessa história, não somos nós”.

 

Aluizio Siqueira

 

Folha da Manhã – Você ressaltou (aqui) a unanimidade na sua reeleição à presidência da Câmara. Tirar a vice-presidência da Soninha Pereira (PT), vereadora sabidamente ligada à ex-prefeita Carla Machado (PT), fez parte desta unanimidade?

Aluizio Siqueira – Na reunião após definido a composição da mesa na primeira eleição, surgiu a pergunta sobre a próxima eleição. E a resposta foi: “Vocês se entendam entre vocês”. A partir daí, a liberdade para cada um se articular e demonstrar aos outros o seu interesse. A vereadora Sônia, em uma conversa no gabinete da Câmara, declarou que votaria com o que o grupo decidisse, estando ela na mesa ou não. Daí a unanimidade.

 

Folha – Mesmo ressaltando que sua reeleição foi desejo dos vereadores, você também admitiu que Neco (PMDB) sabia de todos os passos na definição da nova mesa diretora. Como não atribuir ao prefeito a condução desse processo, assim como Carla fez na sua primeira eleição a presidente do Legislativo?

Aluizio – Pelo  simples fato do prefeito não ter telefonado, ou conversado com os vereadores para reconduzir ou colocar alguém na mesa. Mas, volto a dizer, de cada passo, de cada conversa para a eleição que aconteceu, ele era informado.

 

Folha – Embora tenha ressalvado que caberia aos dois responderem, você admitiu que há indícios do rompimento entre Neco e Carla. Quais são?

Aluizio – O posicionamento político, a mudança de partido, o apoio a pré-candidatos ao governo do Estado diferentes, ataques a membros do governo em redes sociais, etc. Algo mais, cabe aos dois responder.

 

Folha – Até que ponto o fato de Carla ter se desligado do PMDB, no qual você e Neco se mantém, para migrar ao PT do pré-candidato a governador Lindbergh Farias, deu a vocês carta branca com o comando estadual do partido para romper com a ex-prefeita?

Aluizio – Estou no PMDB desde setembro de 2011, me reelegi vereador em 2012 para meu segundo mandato, com 1.300 votos. O prefeito Neco entrou no PMDB em 2003,se reelegeu vereador em 2004 e 2008, sendo o mais votado no pleito, e em 2012 elegeu-se prefeito. Nós continuamos no PMDB, acreditamos no PMDB e vamos trabalhar para o pré-candidato a governador do PMDB, Pezão. Quanto à carta branca, nosso pré-candidato Pezão deu ao prefeito Neco, para que São João da Barra seja o QG da sua campanha no Norte Fluminense.

 

Folha – Em comentários em blogs (aqui e aqui), que parecem reproduzir o pensamento de parte do eleitorado sanjoanense, você e Neco são tratados de “Judas”, pelo afastamento e possível rompimento com Carla, fundamental na eleição de um e outro. Como mudar essa imagem?

Aluizio – Se tem Judas nessa história, não somos nós. Estamos no PMDB, onde fomos eleitos. Sobre comentários, principalmente em blogs, e você como blogueiro, diga-se de passagem de um blog sério, sabe que nem todos tem o cuidado de manter o nível de seus comentários e se prevenir de fakes. Nosso objetivo é trabalhar por São João da Barra.

 

Folha – Você também declarou que, caso se confirme o racha com Carla, ficaria com Neco. Faria o contrário se ela fosse a prefeita?

Aluizio – Acredito que na política só alcançaremos vitórias trabalhando em grupo. Fui eleito junto com o prefeito Neco para trabalhar pelo município. Sei da sua sensibilidade com os problemas da população, confio nas suas boas intenções e capacidade de administrar. Assim como, quando fui eleito no palanque do governo passado, do qual fui líder, o defendi arduamente nos momentos mais difíceis.

 

Folha – SJB tem duas pré-candidaturas fortes à deputado estadual: Carla e Bruno Dauaire (PR), que tem o apoio dos irmãos Clarissa e Wladimir Garotinho (aqui). Isso sem contar o vereador Kaká (PT do B). Com quem vocês caminharão?

Aluizio – Convenções partidárias ainda não foram realizadas, nenhum nome foi ainda confirmado como candidato. Quando essa questão for resolvida, sentaremos com nosso prefeito Neco, atualmente a maior liderança política da região, e com o PMDB, para definirmos com quem caminharemos. Como pré-candidato forte no município o mais presente e atuante na comunidade é o vereador Kaká, que pode surpreender em outubro.

 

Folha – A relação próxima de Neco com o presidente da Alerj, Paulo Melo (PMDB), pode fazer com que o partido em SJB apoie um candidato de fora? Como isso se explicaria, diante de três opções locais, a um eleitor tão bairrista quanto o sanjoanense?

Aluizio – Não temos nomes definidos. A relação do prefeito com o presidente da Alerj é institucional e de amizade. Essa boa relação tem trazido bons frutos para o município. Após essa definição, conversaremos com o prefeito, com nosso grupo político e a direção do PMDB, para juntos decidimos com quem caminharemos. Vale lembrar a fidelidade partidária.

 

Folha – Acha que o rompimento entre Neco e Carla prejudica mais a ela, pela perda de apoio da máquina municipal na corrida à Alerj, ou a ele, pelo trabalho que a ex-prefeita poderia dar se, independente de outubro, assumir a oposição local?

Aluizio – Acho que com o rompimento todos perdem, pois política se faz em grupo e “um reino divido não prospera”. Sobre quem assumirá a oposição ou não, sinceramente, estou preocupado em continuar trabalhando pela população sanjoanense, como sempre fiz.

 

Folha – Consta que você comentaria a boca pequena que Neco lhe deve o fato da Câmara, na prática, hoje ser integralmente governista. Essa dívida, se existe, estaria paga com sua reeleição à presidência? Como teve êxito nesse trabalho de pacificação, após a oposição no Legislativo ter criado tantos danos no último governo Carla?

Aluizio – O prefeito Neco não me deve nada. Eu que na questão pessoal devo a ele. Como todos sabem, estou com um filho passando por tratamento de saúde na cidade do Rio de Janeiro, e o prefeito Neco  tem sido de uma amizade e companheirismo que só pratica quem gosta da gente de verdade. Já a pacificação veio naturalmente, pelo  estilo democrático e de respeito em lidar com os oito vereadores. Desde que assumi a presidência, todos os vereadores são tratados igualmente, tendo condições e estrutura para trabalharem.Vale ressaltar a habilidade do prefeito em tratar e ouvir os nove vereadores. Prova disso foi a visita histórica de todo legislativo junto com o prefeito a Brasília.

 

Folha – Além de Kaká, o outro edil teoricamente de oposição é Franquis Areas (PR), eleito na nova mesa como segundo secretário. Você disse ter sido para honrar os 1.409 eleitores que fizeram dele o vereador mais votado de SJB. Além do jogo para a galera, ter Franquis próximo não é também manter a boca do túnel aberta com o deputado federal Anthony Garotinho (PR), no caso deste vencer o jogo para governador?

Aluizio – Sou vereador e não jogador, que faz graça na ânsia de aparecer. Tenho trabalhado com seriedade para o bem comum e para que o Legislativo desempenhe suas funções da melhor maneira possível em prol da sociedade sanjoanense. O vereador Franquis manifestou o desejo de ocupar um lugar na mesa, para contribuir com o trabalho e o clima de paz que se instalou na Câmara, tendo sido eleito por unanimidade. Não preciso abrir boca de túnel nenhuma, pois a luz no fim do túnel que pretendo atravessar é o pré-candidato do PMDB Pezão.

 

Folha – Até que ponto a participação rápida de Ranulfo Vidigal no governo Neco endossaria, ou não, essa comentada aproximação do seu grupo com Garotinho?

Aluizio – Achei que esta especulação já havia se perdido. O próprio ex-secretário, quando entrou e saiu do governo, deixou claro que não tinha mais ligação com o grupo do PR.

 

Folha – Fechado com Pezão (PMDB) a governador, sem fechar as portas com Garotinho, o pior dos mundos para o seu grupo seria a eleição de Lindbergh? Assim como Campos, SJB só define seu quadro após outubro?

Aluizio – Sobre a pré-candidatura de Pezão, o grupo está fechado. Quanto a não fechar portas para o PR é uma análise sua. Sobre outros pré-candidatos, não houve convenção e não tem candidatura definida. Já a eleição de 2016, vamos aguardar passar a 2014.

 

Folha – Como vê a escalada da violência nas praias de SJB, nas quais já foram registrados 11 homicídios neste verão (aqui)? Neco teve uma reunião na quarta com representantes da Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, além da Guarda Civil, para tratar da segurança no Carnaval. De prático, como estancar a violência que acompanha os royalties e o Porto do Açu? 

Aluizio – Junto com o Executivo, a Câmara vem trabalhando muito esse problema nacional que se chama violência. Fizemos requerimento solicitando ao governador a implantação de uma Companhia Independente da PM, realizamos audiência pública na Câmara com a Policia Civil, a PM, a PRF e a Guarda Municipal. No início deste ano, encaminhamos ofícios às autoridades de segurança pública, solicitando aumento de efetivo, trabalho em conjunto e operações que visam à redução da violência, o que vem ocorrendo. Ressalto o sucesso nas soluções dos crimes por parte da Polícia Civil, e as apreensões da PM e PRF. Por último, acreditamos que a implantação da Companhia Independente da PM em SJB aumentará o efetivo e as condições dos policiais enfrentarem a criminalidade, consequentemente, aumentando a segurança da população. No mais, agradeço a oportunidade e que Deus abençoe nossa São João da Barra.

Este post tem 7 comentários

  1. muito coerente as palavras d aluisio.mostrou.se equilibrado e voltado para os anseios do povo.parabens

  2. Isso mesmo,candidato que more aki só temos um,KAKA! tomara que o povo avalie isso na hora d escolher,chega dessa gente que só lembra de SJB d 4 em 4 anos.

  3. QUEM ERA VC ALUISIO? (Trecho excluído pela moderação)…AGORA COME NO PRATO Q COMEU? (Trecho excluído pela moderação)..MAS JA SE PASSARAM 1 ANO E 3 MESES..FALTA POUCO PARA A MULHER GUERREIRA ASSUMIR NOVAMENTE NOSSA SJB E METER O PÉ NESSES JUDAS Q ELA ELEGEU INCLUSIVE VC..MAS QUEM AQUI FAZ AQUI PAGA,,VC ESTA SENTINDO NAUM PÉ MESMO (trecho excluído pela moderação)

  4. Parabéns vereador Aluisio, palavras coerentes e sensatas esclarecendo ” a quem deseja ser esclarecido” .

  5. Aluizio, como sempre coerente, decente e ponderado em suas palavras. São João da Barra está com Neco, porque está vendo o esforço dele em consertar o que precisa melhorar. Parabéns Neco e Aluizio, sem brigas é que se vai para a frente.

  6. Parabéns Aluizio,por ser coerente em suas palavras e reconhecimento do trabalho feito pelo vereador Kaka,que realmente pode surpreender em outubro pelo grande nº de votos.
    O povo precisar realmente ver quem mora e fará coisas importantes para o municipio,vir aqui de 4 em 4 anos só pedir votos ou falar que mora aqui quando na realidade quando virou ex se mudou para Campos com a desculpa do estudo do filho,não engana mais ninguém.

  7. Sábias palavras presidente. Continue assim,determinado e fiel ao povo Sanjoanense. O Trabalho não pode e não vai Parar!!! Juntos somos muito mais!!!

Deixe uma resposta

Fechar Menu