Opiniões

Oposição na política e na visão da realidade goitacá reage à análise de Hirano

 

Como já havia acontecido (aqui) depois que o deputado federal Paulo Feijó (PR) disse (aqui) em entrevista à Folha, publicada em 23 de fevereiro, que Rosinha Garotinho (PR) era “a prefeita de melhores resultados na história do município”, também repercutiram hoje na oposição as declarações do líder governista na Câmara de Campos, Paulo Hirano (PR). Pré-candidato a deputado estadual, das várias coisas que o vereador falou na entrevista publicada (aqui) na Folha, em sua edição impressa do último domingo, a análise francamente elogiosa ao governo Rosinha, parecendo antecipar o discurso governista de continuidade à sucessão da prefeita, em 2016, foi o que provocou hoje a reação de vários oposicionistas em Campos.

Entre todos os ouvidos, apenas o presidente da Fenorte e pré-candidato a deputado federal Nelson Nanhim (SDD), apesar da conclusão crítica, reconheceu algumas virtudes na administração municipal da cunhada, enquanto Odete Rocha, pré-candidata à Alerj pelo PC do B, fez uma análise mais genérica. Já o pré-candidato a deputado federal Makhoul Moussallem (PT), o pré-candidato a estadual Erik Schunk (Psol), os dirigentes partidários José Geraldo (PRP) e Gustavo Matheus (PV), e os vereadores Marcão (PT, pelo qual também tem sua pré-candidatura à Alerj), Rafael Diniz (PPS) e Fred Machado (SDD) foram mais contundentes em suas discordâncias da avaliação de Hirano sobre o governo Rosinha.

Confira abaixo a oposição não apenas ideológica ou partidária, mas da apreensão da própria realidade, entre as forças políticas de Campos:

 

Paulo Hirano, líder de Rosinha na Câmara de Vereadores e pré-candidato do PR a deputado estadual, teve sua análise sobre o governo Rosinha, em entrevista publicada ontem, na Folha e neste blog, respondida hoje pela oposição
Paulo Hirano, líder de Rosinha na Câmara de Vereadores e pré-candidato do PR a deputado estadual, teve sua análise sobre o governo Rosinha, em entrevista publicada ontem, na Folha e neste blog, respondida hoje pela oposição

“Dificilmente alguém vai superar o que a prefeita Rosinha Garotinho fez. Ela implantou uma nova era na política de Campos. Não há outro caminho para melhorar a qualidade de vida da população que não seja esse. É preciso dar continuidade a esse modelo de gestão.”

 

Deputado federal e pré-candidato à reeleição pelo PR, Paulo Feijó também provocou reações da oposição, com suas declarações em outra entrevista à Folha, publicada em 23 de fevereiro
Deputado federal e pré-candidato à reeleição pelo PR, Paulo Feijó também provocou reações da oposição, com suas declarações em outra entrevista à Folha, publicada em 23 de fevereiro

“Fui oposição a Garotinho durante 20 anos. Neste período praticamente ganhei todas as eleições que disputei, ocupando o espaço oposicionista. Esse espaço foi diminuindo com a fragmentação da oposição. Fiz aliança com Garotinho, em 2008, ajudando a eleger Rosinha prefeita, e hoje considero Rosinha a prefeita de melhores resultados na história do município de Campos. Atualmente, essa parceria de seis anos, traduzida em bons resultados, como já falamos, me fez conhecer melhor a pessoa e o homem público que Garotinho é. Político de muito trabalho, dedicação integral, muito preparado, experiente, de muitos serviços prestados e de relacionamento no mundo político, jurídico e empresarial. É um excelente amigo. Política é assim que se faz, e o político que quiser se consolidar tem que seguir este caminho. Poucos sãos os políticos de vida longa no município de Campos e no Brasil. A oposição em Campos está começando, isso requer dedicação, tempo, competência, bom conceito e serviços prestados. Essa oposição não vai se consolidar em curto prazo.”

 

Nelson Nahim
Nelson Nahim

“Claro que o governo da prefeita Rosinha teve avanços em várias áreas, tanto que a avaliação do seu governo é boa. Eu mesmo, como prefeito interino durante seis meses, pude realizar muita coisa. Porém, estamos muito longe de alcançar o que necessita a nossa população. Sou totalmente contra esse modelo de gestão, onde a maioria das empresas que executam obras e serviços para o município são de fora e milhões de reais todo mês deixam de circular em nossa economia; onde o Programa de Estratégia da Família, antigo PSF, por mim homologado, ainda não saiu do papel e milhares de pessoas que poderiam estar sendo atendidas em casa, desafogando os postos de saúde e hospitais, permanecem com filas em seus corredores; onde pacientes com câncer tenham que deixar a nossa cidade para se tratar em Itaperuna, onde faltam fraldas geriátricas, onde não há de fato uma política concreta para valorizar o servidor da Prefeitura, pois não adianta escola e creche bonita, posto de saúde novo, com servidores desmotivados. Para sermos justos temos que reconhecer o que foi feito, porém afirmar que ninguém fará melhor, seria afirmar que em nossa cidade todos os demais campistas são totalmente incompetentes, mesmo porque, com um orçamento de 2.5 bilhões, basta ao gestor ser honesto e ter uma boa equipe técnica.”

 

Makhoul Moussallem
Makhoul Moussallem

“O líder da situação na Câmara de Vereadores deve estar morando em outro município ou virou um nefelibata sem nenhum contato com a Terra. Achar que a prefeita implantou uma nova era política em Campos é desconhecer que este mesmo grupo já está há 20 anos no poder. Gostaria muito que as afirmações do Dr. Paulo Hirano correspondessem à realidade, mas não é o que acontece. Não vimos uma nova era e sim uma repetição do mesmo modelo de duas décadas, apenas com variações de acordo com a personalidade do chefe do executivo. A educação continua no último lugar no Ideb, a saúde continua com os mesmo problemas de antes e vai de mal a pior, como eu entendo que deve ser a saúde e não como eles entendem; o trânsito visivelmente caótico, a segurança e o transporte deixando a desejar, os shows acontecendo da mesma maneira. Se é isso que ele deseja continuar, acredito que não deve gostar da população e sim do grupo ao qual passou a pertencer, ao que parece com muito gosto.”

 

Marcão
Marcão

“No que tange às afirmações do nobre edil Paulo Hirano, sinceramente não acho nem um pouco difícil superar este governo. O orçamento da prefeita Rosinha aprovado nas leis orçamentárias entre 2009 e 2014 está no montante de R$ 11,8 bilhões. Ou seja, Rosinha teve à disposição em 6 anos aquilo que nenhum outro gestor na história do município de Campos teve. Aí eu faço as seguintes perguntas, o orçamento melhorou ou piorou? A educação melhorou? Não, é a pior do estado! Aí me vem à cabeça outra pergunta: Esses recursos estão sendo bem empregados? Não, a creche escola do Jardim Ceasa está mais de 90% paga e não tem nem 50% pronta, com fortes indícios de improbidade. Afirmo que pode ser feito mais e melhor do que vem sendo feito pelo atual governo. Quanto ao fato de dar continuidade a este modelo de gestão, onde a prefeita age como se fosse uma rainha que ordena e os súditos não podem questioná-la, isso não funciona. Um governo que não tem transparência, não aceita controle social, nem gestão participativa, não pode ser contínuo.”

 

Fred Machado
Fred Machado

“Penso, sinceramente, que o modelo de gestão apresentado por este governo é um dos que considero mais retrógrados. Modelo este que preza a desinformação aos seus munícipes, através de recusa de informações que são feitas tanto no Legislativo, quanto ao cidadão que paga impostos. Modelo de gestão que se nega a discutir o orçamento participativo e também a transparência, não pode ser nunca seguido como exemplo por ninguém, principalmente agora que, em demonstrações recentes, tivemos nas ruas o clamor do povo buscando a transparência e participação em decisões políticas.Com todo respeito, discordo plenamente do líder do governo.”

 

 

Rafael Diniz
Rafael Diniz

“Quem acompanha os trabalhos do líder do Governo na Câmara, Dr. Paulo Hirano, sabe que o que ele mais faz é defender o indefensável. Logo, já é normal ver declarações como essa. Só que jamais poderia concordar com essas palavras. Não podemos deixar de lembrar que temos a pior educação do nosso Estado, sofremos com falta de remédios, ambulâncias que não chegam, falta de estrutura nos postos, desvalorização de nossos servidores, além de tantos outros problemas vividos diariamente por nossa população. Sem falar nos altos gastos com shows que, na minha opinião, não os diferencia em nada do governo passado que eles tanto criticam, muito pelo contrário, a cada show pago, vejo mais semelhanças. Além, é claro, da completa ausência de transparência. Os defensores desse governo se esquecem que eles já estão nessa administração há mais de 5 anos, isso falando apenas desses dois últimos mandatos. E eu pergunto: Será que mudou alguma coisa? Temos certeza que não!”

 

Odete Rocha
Odete Rocha

“Quando faço referência a uma nova era na política, reporto-me aos governos de Lula/Dilma e seus programas como o “Minha Casa, Minha Vida”, que chegou aos vários municípios do Brasil, por exemplo. Outro ponto a destacar está no fato de um governo para ser ousado e insuperável não poderá ter reservas ao investir na educação. Desde a valorização do seus profissionais , quanto na estrutura onde a mesma acontece. E, a superação nada mais é que a dinâmica de se poder dialogar com as novas contradições que qualquer sociedade impõe. Lembrar ainda que uma gestão inigualável e insuperável deva ser uma excelência na saúde, na educação, no transporte público, na aplicação dos recursos públicos.”

 

Erik Schunk
Erik Schunk

“É uma afirmação tão absurda, mas tão absurda, que beira às raias da insanidade. Que era tão maravilhosa é essa que mantém a educação do município no último lugar no Ideb? Que lugar maravilhoso é esse em que os pacientes dos hospitais são atendidos no chão ou em macas no corredor? Sem falar que estamos abaixo da crítica em termos de mobilidade urbana e os gastos milionários e suspeitos com os shows causam indignação nas pessoas que estão vendo os postos de saúde sem remédios, não tem PSF. Sob nenhum aspecto, seja sanitário, epidemiológico ou demográfico, não há nada que justifique essa euforia do líder do governo. Até as ambulâncias alugadas por R$ 2 milhões por mês não chegam. Os médicos, os professores, os guardas municipais, todos estão insatisfeitos e vem o vereador Paulo Hirano dizer que Rosinha inaugurou uma ‘nova era’? Isso é um deboche para agradar seus patrões. Será que Hirano foi contaminado pela doença do chefe que acredita nas próprias mentiras que inventa?

 

Gustavo Matheus
Gustavo Matheus

“Mais uma vez o governo, através de seus interlocutores, exala prepotência e arrogância, requisitos, estes sim, pelos quais ficarão marcados por toda história. O referido trecho muito se assemelha ao que disse Jesus em resposta a indagação de Tomé, em João 14:6. ‘Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim’. Não é a primeira vez que esse grupelho rosa equipara seus líderes a Jesus Cristo. Uma piada de muito mau gosto. O que eles não falam, por exemplo, é que o orçamento da prefeita Rosinha é 100 vezes maior que a maioria dos prefeitos que comandaram este município. A verdade é que Campos foi grande em muitos aspectos. Sua história, se conduzida por políticos que ouvem a população, sabendo diferenciar o que as pessoas querem, do que realmente precisam, jamais permitiria que esta rica planície chegasse ao caos que se encontra. O legado da prefeita Rosinha é obter a pior Educação do Estado. Para quem não sabe, é a primeira vez que Campos ocupa a última colocação no Ideb. E, ao mesmo tempo, enquanto as Escolas e Creches desmoronam física e moralmente, torrar mais de R$ 100 milhões criando um sambódromo que recebe eventos de três a quatro vezes ao ano. O dr. Hirano tem toda razão: ‘dificilmente alguém irá superar o que Rosinha fez’. Afinal, doutor, deixar uma cidade rica como Campos com o último lugar na Educação Básica era um feito inédito até Rosinha.”

 

José Geraldo
José Geraldo

“O excelente médico Paulo Hirano está tomado por delírios na sua posição de líder do governo. A própria Rosinha consegui se superar na incompetência neste segundo mandato, porque sequer cumpriu suas metas programáticas de 2008 até hoje, com todo o dinheiro que joga pelos ralos. A ‘nova era’ que Rosinha implantou na política de Campos, trazida de sua experiência de  governadora, foi um grande esquema de superfaturamentos de obras, shows, contratações de terceirizados, esquemas de licitações  furadas, como no caso das ambulâncias e do transporte coletivo, ambos sem solução até hoje; política de assistencialismo barato, cooptação dos vereadores com aumento de despesas e muito mais. A qualidade de vida de nossa população continua a mesma desde o início da era Garotinho: péssima. Bairros e distritos sem infraestrutura e assistência, escolas aos pedaços, postos de saúde abandonados e sem material, falta de transporte nas horas críticas, estradas sem manutenção, obras inacabadas pra todos os lados, falta investimento em qualificação de mão-de-obra e sobra assistencialismo barato. A isso ele chama de avanço na qualidade de vida do povo? Quanto ao atual modelo de gestão, é preciso defenestrar esse modelo que só olha para si mesmo e para seus projetos pessoais e familiares, que usa o dinheiro do povo para arregimentar cabos eleitorais e candidatos pra todos os lados, em prol da eleição de seu chefe maior; um modelo que não prioriza a cidade e seu povo, o futuro de sua população e a real melhora na qualidade de vida de todos.

Este post tem 9 comentários

  1. Novamente Marcao e Gustavo Matheus comentam com conteúdo e perspicacia. É duro demais ter que aturar Paulo Feijo e Hirano, dizendo essas baboseiras. Fora rosaceos!!!1

  2. Se somarmos os votos dos declarantes acima não é sufuciente para eleger um deputado estadual acho que a população não concorda com suas posições

  3. Paulo Feijó político decadente, quando viu que tava queimado “mudou de lado” junto com o Paulo Hirano, se mostram ultrapassados, (trecho excluído pela moderação) e sem um pingo de personalidade. Cidadãos que nos fazem ter vergonha de tê-los nessa cidade.Erik veja bem “uma mentira contada várias vezes se torna realidade é assim que esse povo vive.

  4. NAHIN CONCORDA PQ PARTICIPOU DA QUADRILHA ATE POUCO TEMPO ATRAS… QUANDO LHE ERA CONVENIENTE !!!

    AGORA QUE NAO É, AMENIZA A CATASTROFE QUE ESSA GESTAO É !

    ESSES (trecho excluído pela moderação) QUE FALAM, FALAM E NAO TRABALHAM ESTAO VIVENDO NA FICÇÃO, PQ A REALIDADE DESSE GOVERNINHO MEDIOCRE E INCOMPETENTE E TAO NITIDO QUE SO NAO VE QUEM PRECISA FINGIR NAO VE !!!

    ENQUANTO ISSO O POVO QUE SE DANE….

    ESSA GESTAO E A PIOR DE TODOS OS TEMPOS, QUE SAUDADES DE MOCAIBER !!!

  5. Sempre os mesmos comentaristas? Não dá para variar?
    Quando lemos o nome do comentarista´já dá para antecipar o que ele vai dizer de tão repetitivo que ficou a falácia destes caras, a maior parte derrotado e pretensos candidatos, mesmo com rarícima chance de conseguir uma votação que dê respaldo as suas pretenções.
    Vamos ouvir a opnião de pessoas isentas ou será que em Campos não têm?
    Já estamos cansados de ouvir a versão “oficial” (dos representantes da Prefeita) e a versão dos “preteridos”.
    Só faltou incluir o Roberto Henriques…

  6. Chupa oposição hahaha

  7. Nova era esta por vir. aguardem. SULEDIL vai resolver tudo isso que essa MÍNIMA oposição propõe.

  8. Ou seja, quando abre a boca, provoca tiro no próprio pé e acaba atingindo de forma negativa aqueles que pensa bajular e proteger! Quem tem um “aliado” assim, intempestivo e pouco atento, não precisa de “inimigo”!

    O problema é que quando Paulo Hirano tenta ser “estratégico” com suas explicações bajuladoras, se esquece que há ‘cabeças pensantes’ nesta cidade que o superam em argumentos, até porque o ‘nobre’ vereador não tem mesmo muito o que proteger.

    Esta é a maior virtude da Verdade! Por mais que se tente dourar a pílula ou pintar perú para parecer um pavão, a realidade sempre mostra o que é, não dá pra enganar!

  9. Jesus Cristo, quanta besteira!!! E o jornal dá publicidade a isso, os ignorantes acreditam.O que houve de melhora nessa cidade? Nem lazer temos aqui.

Deixe uma resposta

Fechar Menu