Opiniões

Na repercussão de Carla, Odisséia revela que não será mais candidata à Alerj

Na repercussão com os três pré-candidatos à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) anunciados no PT de Campos, citados na entrevista da ex-prefeita Carla Machado, também pré-candidata petista a deputada estadual, publicada  aqui no último domingo, uma revelação: a ex-vereadora Odisséia Carvalho não concorrerá mais no pleito de outubro. Segundo ela, a decisão de abrir mão da candidatura à Alerj se deu após fazer várias reuniões com seu grupo político, na qual chegou à conclusão de que é “mais importante ver a floresta do que a árvore”. Assim como o vereador Marcão, ela também saudou a entrada de Carla no PT, enquanto o professor Alexandre Lourenço preferiu tratar mais genericamente das pretensões do partido para as próximas eleições.

Na entrevista a Carla, lhe foi perguntado: “No PT de Campos, há três nomes que lançaram pré-candidaturas à Alerj: o vereador Marcão, a ex-vereadora Odisséia Carvalho e o professor Alexandre Lourenço. Não é gente demais?”. Ao que a candidata petista a deputada respondeu: “Quanto ao grande número de pré-candidatos do partido, isso é uma verdade. Creio que para o PT da região fazer representantes, seria melhor termos menos candidatos. Porém, todos têm direito à disputa”. Abaixo o que pensam sobre a questão os três correligionários da ex-prefeita de São João da Barra no PT de Campos:

 

Odisséia Carvalho
Odisséia Carvalho

“O Partido dos Trabalhadores em Campos se tornou nas eleições de 2012 a segunda força política, com a candidatura de Dr. Makhoul a prefeito a cidade. Hoje nosso partido está unido a nível nacional, estadual e municipal, na conquista da reeleição da companheira Dilma e da eleição do senador Lindbergh Farias, pré-candidato ao governo do Rio. Precisamos também eleger uma bancada forte para deputado federal e estadual, que traga benefícios para nossa região, e não simplesmente dar votos a quem depois esquece da nossa existência. Dr. Makhoul como pré candidato a deputado federal representa esse projeto, não só em 2014, mas com planejamento e ações na área da saúde, educação, orçamento participativo, visando uma mudança real em nosso município, em 2016. No final de 20013, recebi um convite do senador Lindbergh Farias para coordenar sua campanha na região, fiz várias reuniões com o grupo que me acompanha ao longo dessa caminhada e chegamos à conclusão que neste momento é mais importante ‘ver a floresta do que a árvore’. Portanto, como nosso projeto é coletivo, vamos abrir mão da candidatura a deputada estadual para ajudar a fortalecer o partido na região. A companheira Carla Machado é muito bem vinda ao PT e com certeza vai fortalecer o partido na região, bem como as candidaturas dos companheiros Marcão e Professor Alexandre. Como a política é dinâmica somente a conjuntura traçará o futuro”.

 

 

Vereador Marcão
Vereador Marcão

“O município de Campos tem aproximadamente 345 mil eleitores, São João da Barra, 32 mil, e São Francisco do Itabapoana 35 mil. Trabalhando bem esse eleitorado, podemos eleger dois candidatos pelo PT na região, a exemplo de Carla que tem vínculo em Campos, também tenho raízes sanjoanenses, meus avós paternos são da localidade de Cajueiro, e maternos, de Casa Sincera. Tenho vários familiares em São João, assim como em São Francisco. Quanto ao número de candidatos penso que o professor Alexandre é um grande companheiro, um jovem com grande futuro na política, assim como a ex- vereadora Odisséia. Concordo com Carla e também acredito na tese de que com menos candidaturas na região, apesar de todas serem legítimas, o PT aumenta a possibilidade de termos êxito em 2014. Como pré-candidato sonho em ser eleito deputado estadual e espero poder  ter ao meu lado companheiros valorosos. Hoje tenho ao meu lado na oposição um representante da família, o meu amigo Fred Machado. Em 2015, quem sabe não poderemos reeditar essa dobradinha com a família Machado na Alerj?”

 

 

Alexandre Lourenço
Alexandre Lourenço

“O Partido dos Trabalhadores, sempre foi conhecido pelos grandes debates de temas importantes para a sociedade brasileira e por abrigar diferentes correntes políticas e ideológicas. O número de pré-candidaturas do PT da região, reflete o pluralismo ideológico do partido, e são estilos diferentes de fazer política. Nas próximas eleições, teremos candidato do PT ao governo do Rio de janeiro, será uma candidatura popular, de esquerda, progressista e com chances reais de vitória. Não será fácil, muito pelo contrário, tem o Pezão com a máquina estadual, o deputado Garotinho e o senador Crivella, que são populares e muito fortes, teremos uma eleição disputadíssima. Acredito que um maior número de pré-candidatos do partido a Alerj, significa mais opção aos eleitores e um maior número de colaboradores para a eleição de um governo petista no Rio de Janeiro e para a reeleição da presidenta Dilma”.

Este post tem 7 comentários

  1. A Odisséia retirou a candidatura pq não tem voto, não se elegeu nem a vereadora e quando entrou foi pelo falecimento do saudoso e bom Renato Barbosa. A ex vereadora está visando o projeto pessoal para tentar retornar a cadeira em 2016 dentro do acordo com a Carla e com o Lindberg caso se eleja governador. Então Odisséia aprenda com Marcão a fazer uma política de grupo e sem rancor. Parabéns Marcão aprendeu muito bem com seu primo, conserve seu estilo. Você vai longe

  2. PO ALEXANDRE COM TODO RESPEITO…CARLA É A ÚNICA Q TEM CONDIÇOES TOTAIS DE SE ELEGER…PENSEM NO PARTIDO E N EM SI PROPRIO..SEM MAIS..PRA CIMA DELES CARLAAAAAAAAAAAAAAA

  3. Talvez, no momento o melhor para Brasil é banimento do PT!!!! e seus respectivos signatários.
    Corrupção atrás de corrupção. Sem entrar adequadamente no mérito, apenas alguns exemplo, enriquecimento do filho do LULA, PETROBRÁS, MENSALEIROS, RETIRADA RECENTE DO VICENTINHO PARA APOIAR PEC QUE RESTABECE ISENÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS PREVIDÊNCIA DEPOIS DE APOSENTADO…….

  4. Pensei que. Carla. Machado Tinha entrado pro partido que nada tinha a ver com ela, mas diante da ROUBALHEIRA DO PT ,da BANDIDAGEM instalada nesse governo, vejo que é o PARTIDO PERFEITO PARA CARLA MACHADO ! Kkkkk

  5. Essa não tem e nunca teve votos.

  6. Dilma despenca. É o fim desse governo medíocre.

    BLOG DO ORLANDO TAMBOSI

    E não adianta os petistas quererem lançar a candidatura de Lula, pois a blindagem do falastrão de São Bernardo já está deteriorada. Como diz Aécio, já deu, PT:

    A avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff caiu de 43% para 36% em relação a dezembro, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quinta-feira, 27. No mesmo período, o porcentual de entrevistados que consideram o governo regular registrou oscilação dentro da margem de erro de 35% para 36% dos e os que o avaliam o governo como ruim ou péssimo subiu de 20% para 27%.

    Foi a primeira vez, desde julho do ano passado, logo após os protestos de rua, que a presidente interrompeu a trajetória ascendente de avaliação positiva registrada a partir de setembro, nos levantamentos realizados pelo instituto. Na ocasião, ela registrou 31% de avaliação positiva. Em dezembro, o desempenho do governo Dilma havia subido de 37%, em setembro, para 43%.

    Na semana passada, o mesmo instituto divulgou pesquisa segundo a qual Dilma tem 43% das intenções de voto, o mesmo índice registrado em novembro de 2013, data do levantamento anterior. Com esse índice, a petista mantém a expectativa de vencer no 1º turno. O levantamento anterior foi realizado entre 13 e 17 de março.

    O porcentual dos entrevistados que aprovam a maneira da presidente Dilma Rousseff de governar caiu de 56% para 51%. Ao mesmo tempo, aqueles que desaprovam a maneira da atual presidente de governar subiram de 36% para 43%.

    Assim como a avaliação positiva, a aprovação da maneira de governar de Dilma inverteu a trajetória favorável. Em julho, 49% reprovavam a maneira de governar, superando, na ocasião, aqueles que a aprovavam, que eram 45%. Isso ocorreu logo após o início dos protestos de rua País afora. Foi a única vez que ela registrou uma reprovação superior à aprovação da maneira de governar desde que assumiu a presidência, em 2011.

    A confiança na presidente Dilma diminuiu de 52% para 48%. O porcentual dos que não confiam nela subiu no mesmo período de 41% para 47%. Na prática, os indicadores de confiança e desconfiança estão tecnicamente empatados. O índice dos que não souberam ou não quiseram responder a essa pergunta também oscilou de 7% para 5%, dentro da margem de erro. Nos dois primeiros anos de governo, 75% confiavam na presidente.

    A primeira pesquisa CNI/Ibope de 2014 foi realizada entre os dias 14 e 17 deste mês com 2.002 pessoas em 141 municípios. O levantamento tem margem de erro de dois pontos porcentuais e foi registrado na Justiça Eleitoral sob o número BR-00053-2014. A sondagem foi feita, portanto, antes da revelação de que a presidente Dilma Rousseff, quando presidia o Conselho de Administração da Petrobrás, votou a favor da compra de parte da refinaria de Pasadena com base em um resumo juridicamente “falho”.

    Em 2012, a estatal concluiu a compra da refinaria e pagou ao todo US$ 1,18 bilhão por Pasadena, que, sete anos antes, havia sido negociada por US$ 42,5 milhões à ex-sócia belga. A oposição protocolou nesta quinta o pedido para a abertura de uma CPI no Senado para investigar o caso. (Estadão).

    http://otambosi.blogspot.com.br/2014/03/dilma-despenca-e-o-fim-desse-governo.html

  7. Um “professor” que usa o termo “presidenta” só demostra o quanto a educação neste país está falida.

Deixe uma resposta

Fechar Menu