Opiniões

Ponto final — Pedofilia, quem pagará o preço pelo resto da sua vida?

Ponto final

 

“Meninas de Guarus”

Como escreve o jornalista Esdras Pereira em sua coluna na página 7, no caso conhecido como “Meninas de Guarus”, tão graves quanto as suspeitas de prostituição de menores, comercialização e consumo de drogas e até homicídio, são as denúncias de manipulação dos depoimentos e do inquérito para tentativa e prática de extorsão. Afinal, não custa lembrar que policiais civis que participaram da investigação depois acabariam presos por crime de extorsão, em outro caso, no município vizinho de Italva.

 

Nelson Nahim

Sem sombra de dúvida, além da gravidade das denúncias, o que mais chamou a atenção da grande mídia ao caso foi a suspeita de envolvimento do ex-vereador Nelson Nahim (PSD), irmão e opositor do deputado federal Anthony Garotinho (PR), ainda referência da política estadual e nacional. E não deixa de ser irônico constatar que quem mais se ufanou pela ação de ontem, ecoado por seu assessor parlamentar Cláudio Andrade, foi o deputado estadual não reeleito Roberto Henriques, também do PSD e cuja eleição em 2010 só aconteceu a partir do apoio de Nahim, à época prefeito interino.

 

“Repórteres” da internet

Como Esdras também frisou, as denúncias de extorsão sequer foram citadas ontem pelos “afobados ‘repórteres’ artesanais da internet”, que não sabem distinguir opinião de fato, nem fato de fofoca. Como uma suposta verdade não pode ser utilizada na tentativa de se endossar 10 mentiras reunidas no mesmo bolo, sobretudo se for para atender a interesses tão criminosos quanto a causa da investigação, é preciso também ter cautela na hora de separar os suspeitos por seus supostos crimes.

 

Presos por quê?

No mandado de prisão preventiva, que não equivale a condenação, o juiz Leonardo Cajueiro distinguiu: “há reiteradas notícias do emprego de violência  por parte dos denunciados Leilson (Rocha da Silva), Thiago (Machado Calil), Fabrício (Trindade Calil) e Ronaldo (de Souza Santos) sobre as adolescentes submetidas à exploração sexual”. Para o magistrado, os quatro são os “supostos líderes do grupo”. “Quanto aos réus Nelson (Nahim) e Sérgio (Crespo Gimenes Júnior), há notícias (…) de que ambos estariam constrangendo as vítimas e testemunhas”, explicou o juiz da 3ª Vara Criminal.

 

Morte em vida

Dos seis mandados de prisão, só não se cumpriu o de Thiago Calil, que estaria foragido. Há ainda 14 outras pessoas suspeitas. Segundo o próprio Ministério Público e a Polícia Civil, todos os nomes deveriam ter sido mantidos em sigilo. Mas foi intenção muito mal conduzida, permitindo todo tipo de especulação até o vazamento das prisões. Sejam estas mantidas ou não, independente de qualquer julgamento num tribunal, a palavra “pedofilia” é capaz de condenar à morte em vida, perante à sociedade, qualquer um que for a ela associado, a partir de supostas evidências ou pura leviandade.

 

Jurisprudência paulista

Foi o caso da Escola Base de São Paulo, em 1994, fechada depois que seus dois diretores, mais uma professora e um motorista foram acusados de molestar sexualmente crianças de 4 anos. Quatro foram também os absolvidos pela lei, mas que nunca se livraram da suspeita. Ou você, caro leitor, se pai ou mãe, teria a coragem de colocar seu filho para estudar na escola em que qualquer um deles trabalhasse? Por este dano moral irreversível, só a Rede Globo foi obrigada a pagar R$ 1,35 milhão aos inocentes que colocou como suspeitos de pedofilia, com base na Polícia Civil e Ministério Público paulistas.

 

Quem pagará?

Assim que o caso “Meninas de Guarus” estourou, a Folha da Manhã foi o primeiro e até então único a noticiá-lo, em sua capa de 7 de junho de 2009. Jamais faremos questão de dar sobre ele nenhuma palavra final, que só caberá à Justiça em caso de condenação. Porque se algum suposto envolvido for inocentado no fim, só resta saber quem pagará o preço pelo resto da sua vida.

 

 

Publicado hoje na Folha

 

Atualização às 13h20 para introduzir correção feita aqui pelo leitor Rodolfo

 

 

 

Este post tem 29 comentários

  1. Como advogado criminalista na labuta profissional por mais de 24 anos, raríssimas vezes li um comentário tão coerente nas páginas de um jornal, fruto de grande inteligência e vivência, parabéns ao nobre profissional por sua isenção, transparência e preocupação em realmente, informar aos seus leitores o que interessa, sem a teatralização desnecessária das manchetes, com o puro propósito de vender o jornal, deixo aqui a minha admiração e respeito pelo profissional responsável por essa coluna.

  2. Comentário perfeito do Dr. Marcelo, parabéns também a vc pelo comentário!!! realmente, o jornalista sempre pauta pela qualidade da informação.

  3. Parabens pelo coerente texto,eu ainda vi um jornaleco colocar a foto de uma pessoa citada nas investigações onde o angulo insinua que a pessoa estava dentro da viatura policial, lamentável tratar pessoas que estão sendo investigadas como criminosos.

  4. não entendo o por que atrapalhar as investigações ,são advogados dos acusados?

  5. Concordo com todos, inclusive não acredito que existam padres pedófilos, nem traficantes, ladrões, estelionatários, entre outros inocentes acusados de terem praticado fatos tipificados como conduta ilícita no Código Penal do Brasil. Que sejam abertas as portas das prisões do Brasil, e libertem a todos os pobres miseráveis ¨vítimas do sistema¨ perverso instalado há séculos pelo ¨homem¨, e deixemos ¨tudo¨para esse tal de ¨Deus¨se é que ele existe, julgar…

  6. Li, Reli e também achei absolutamente coerente a posição externada pelo colunista. Endosso o que disse no seu comentário o Marcelo Costa. Não é hora de tripudiar encima de quem quer que seja, antes que se lhe seja dado o sagrado e constitucional direito à defesa. Infelizmente, o jornalista policial, investigativo, está sempre à postos em seus plantões nas Delegacias para trazer a informação e a notícia no momento que ela chega, sem com isso, fazer juízo de valor do que noticia. é esse o seu papel, e mister.

  7. Corrigindo sua informação, o partido político é o PSD, não o PRB.

  8. Caros Marcelo Costa Lopes, Carlos Heitor, Celio e José Geraldo,

    Grato pela generosidade das palavras!

    Abçs!

    Aluysio

  9. (Trecho excluído pela moderação) e o Direito Constitucional é humano, jamais ¨SAGRADO¨, o ¨SAGRADO¨, que também prevê nossa Constituição, é o Direito à Vida, que para os que nascem em um berço confortável, não têm a menor noção do que se passa nos bastidores da exploração da miséria humana, nunca sentiram o odor que uma casa em um bairro periférico exala, ¨verdadeiras senzalas¨. Afirmo mais uma vez, torço para que exista algo após a morte física…

  10. Caro Marcos Andrade Moreira,

    Como pode atrapalhar as investigações quem primeiro as noticiou? Para quem vc (mal) advoga?

    Grato pela chance do esclarecimento!

    Aluysio

  11. Caro Rodolfo,

    Na pretensão de ironia, o que vc faz chama-se sofisma das partes, erro retórico cometido por quem se arroga poder julgar o todo pela característica (suposta) de uma parte. Suas generalizações são tão perigosas quanto quaisquer outras. Por elas, na via oposta, já que o destino é a morte, talvez o melhor para cada um de nós fosse arrumar uma pá, cavar a terra, deitar ao fundo da cova e esperar.
    Quanto ao fato do PSD, não o PRB, ser o partido de Nahim e Henriques, vc está absolutamente certo. Pelo erro, pedimos desculpas a vc e a todos os demais leitores.

    Grato pela chance de debate e pela correção!

    Aluysio

  12. Texto, perfeito , quem ganha e o leitor, mais deveriam , citar o os nomes dos vinte envolvidos, para que cada cidadão , seja um policial, não manter em segredode jjustiça, mais já fo um grande passo dentro deste enorme circo, onde tudo , fica abafado, tem muita coisa. pra ser esclarecida, e e só mecher ,que vai aparecer, estamos guardando, parabéns Promotora. que tomou a iniciativa e ao Ilmo. Sr Juiz Dr.Leonardo Cajueiro.

  13. Aluysio, não quero perder para você em um debate público, e tenho que usar de ironia para sobreviver a tanta fraqueza de caráter dos homens que habitam a Terra, concordo, se por causa das ironias, você perceber em minha personalidade uma intolerância, dou à mão a palmatória, me tornei intolerante a diversas coisas, inclusive, você não postou a que aparece para mim um trecho (trecho excluído pela moderação),

  14. Não poste a última nem mais nenhuma, me utilizo deste meio para lhe informar, que serei mero espectador de Campos dos Goytacazes, que se colocar uma lona, vira circo, se cercar vira um manicômio…

  15. Mais uma para você ler, refletir, e não postar:¨ ONDE HÁ FUMAÇA, HÁ FOGO¨ (trecho excluído pela moderação)

  16. Parabéns pelo equilíbrio. Eu só queria ver o ilustre jornalista – e o ilustre veículo – terem o mesmo cuidado e precaução (‘não vamos condenar antecipadamente’, ‘vamos esperar a justiça julgar’, ‘olha esse outro caso em que pessoas foram acusadas mas depois inocentadas’) também em relação a outras personalidades. O cuidado apresentado nesse artigo tem que se ter por princípio, independente de inclinações e preferências (políticas?) pessoais.

  17. Prezado Aluysio,
    Parabéns pela belíssima matéria, apenas considerei desnecessário seu comentário quanto ao Henriques, apenas o mesmo fez o papel dele como Parlamentar de cobrar uma solução do caso “Meninas de Guarus” em que nós (população)agradecemos a iniciativa do Deputado, pois queremos uma solução de um caso tão grave que envolve menores.
    Acredito que ninguém sabia quem eram os supostos envolvidos, pois o caso era tratado em sigilo de justiça e cabe também aos réus o direito ao contraditório e que acredito e espero que o Nahim seja inocente, que inclusive votei nele e o aprecio como político.
    Mas, se o MP teve essa decisão, devem estar bem fundamentados para envolver uma pessoa tão pública ao caso. Devemos aguardar, antes de qualquer pronunciamento leviano. Obrigada.

  18. Todos queriam , que este caso , fosse. esclarecidos , sera que alguem , pelo tempo, que levou , estavam achando que era um João da Silva , qualquer , aguardempara ver o resto , , dos envolvidos, pelo que estou vendo , os comentários, acima , vão todo morrer de pena dos acusados , invertendo os valores , as famils das meninas mortas vão sr culpadas de terem nascidas do sexo feminino, se fosse um qualquer queriam ter enforcado sem julgamento, para ben Ilmo Dr. Leonardo Cajueiro, que Deus te ilumine em favor dos fracos e oprimids

  19. No final todos eles vão provar que são “inocentes” e isso não vai dar em coisa alguma. Dizem que “onde há fumaça há fogo”, maaassss…. Não quando diz respeito aos figurões aí. Quanto à Folha ( da qual eu sou leitor) tratar o assunto “cheia de dedos”, eu entendo. O “figurão” maior era apoiado por ela para ser Deputado Estadual, o quê é um direito que ela tem e eu respeito.

  20. Belos comentários nobres colegas José Inácio e Ana, nada a acrescentar.

  21. Pelas entrelinhas de seu comentário, nota=se um tom de crítica ao deputado Roberto Henriques… será que por ele ter sido apoiado por Nahim,deveria ter ficado em silêncio, sem exercer o seu papel de cobrar a atenção da Justiça e da sociedade para estes crimes bárbaros? Será que a ética exigida pelo cargo que ele ora assume,não deveria se sobrepor a essas questões políticas? (Trecho excluído pela moderação)

  22. A questão não é mais politica se A e irmão de B, fato que a exploração sexual em nossa cidade é uma realidade e tem envolvimento de gente que tem poder e dinheiro, é uma pena, que não se tenha uma disposição de ir a fundo no problema, e pior, não existe a menor vontade de punir os culpados.
    Nesta hora não aparecem os defensores da família e da moral e dos bons costumes. Onde eles estão?

  23. Caro José Inácio, comentarista das 19h59 de ontem,

    Do coração do meu coração, como diria o príncipe da Dinamarca, espero que vc esteja certo.

    Abç e grato pela cobrança!

    Aluysio

  24. Caro Decio Barcelos, comentarista das 22h02 de ontem,

    Sim, aguardemos.

    Abç e grato pela chance da concordância!

    Aluysio

  25. Caro Aguinaldo Colares, comentarista das 22h04 de ontem,

    Vc parece estar tão bem informado sobre o caso, quanto sobre a eleição do último dia 6. Nela, Nelson Nahim concorreu a deputado federal, não estadual.

    Abç e grato pela chance da correção!

    Aluysio

  26. Caro Marcelo Soares, comentarista das 11h44 de hj,

    Bons costumes às favas, oxalá vc esteja certo: “a questão não é mais política”.

    Abç e grato pela chance da observação!

    Aluysio

  27. caro aluizio,deveria rever os teores das tuas resposta,lembro-lhe bem,que vcs noticiaram ,que alguns foram presos por querer obstruir as investigações,palavras de vcs,estranho a reação me pareceu uma brindagem ou foi uma imparcialidade?

  28. Caro Marcos Andre Moreira,

    Se qualquer reação pareceu a vc uma “brindagem”, as coisas podem estar ainda piores do que parecem.

    Abç e grato pela chance da ressalva!

    Aluysio

  29. caro Aluizio concordo com vc,com certeza a coisas piores que não sabemos,devemos neste momento excluir citações de perseguições politicas,pois o caso a anos é de indagações, cobrança de resposta ,em outros momentos feitos pela imprensa ,e pela sociedade,gostaria de ver o Magno Malta se pronunciando neste momento ,não nós cabe acusações neste momento a figura A ou B ,mais sim ,resposta da justiça,com lisura e transparencia ,de quem os verdadeiros culpados ‘JÁ NÃO NOS CABE ACUSAÇÕES,MAIS TEMOS QUE SER ALTAMENTE CRITICOS QUANDO AS COISAS CERTAS,SÃO DISTORCIDAS”

Deixe uma resposta

Fechar Menu