Opiniões

A fragilidade dos homens errados nos momentos certos

Ponto final

 

 

É, no mínimo, estranho

Relação entre repórter e fonte se baseia na confiança, tanto quanto honrar a palavra é questão de caráter. Se o ex-prefeito Alexandre Mocaiber disse mesmo que não teria dito apenas duas frases, das seis apuradas por telefone na noite de quarta e publicadas na matéria da página 2, que deu a manchete de capa da Folha, o que qualquer pessoa medianamente inteligente poderia concluir é o mesmo que o ex-prefeito de fato disse, sem se desmentir no dia seguinte: “É, no mínimo, estranho”.

 

Parasitas

Mais estranho ainda dizer que não disse o que disse para um jornal, é fazê-lo falando a outro no qual até bem pouco tempo era publicamente pedida sua prisão como ladrão dos cofres públicos. Mas não se deve condenar Mocaiber. Quem conviveu com ele, sabe que tem bom coração. Se possui um defeito, é a fragilidade, que muitas vezes já o fez refém de canalhas de toda a espécie, inclusive os que levaram seu governo a ser considerado o pior da história de Campos, muitos deles agora esforçados em fazer o mesmo com Rosinha, desde que, como qualquer outro parasita, se fartem daquilo que destroem.

 

Publicado hoje na Folha

 

Este post tem 3 comentários

  1. Mocaiber é digno de pena. No seu governo a roubalheira atingiu níveis absurdos. Quem não se lembra das malditas chuvas (naquela época!) que causaram danos horríveis na cidade e ele, por meio de obras emergenciais, liberou geral (trecho excluído pela moderação) Hj a procuradora socialite está muito bem apesar de (trecho excluído pela moderação), e o ex-prefeito está falido. Foi otário!

  2. e como sempre os vermes- parasitas alojadas no intestino- sobrevivem da merda e na merda que vivem.

    Os vermes? tantos (trecho excluído pela moderação), quantos (trecho excluído pela moderação).

  3. estranho nada,simplesmente. ele nao e sujeito (trecho excluído pela moderação).cansaram de chamar ele de ladrao e todos sabem quem chamava mas ele nao tem opiniao propria.

Deixe uma resposta para Edi Cardoso Cancelar resposta

Fechar Menu