Opiniões

Modelo venezuelano dos Garotinho para Campos prioriza obras sobre educação

Aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, o economista e ex-garotista Ranulfo Vidigal usou o colega (como economista, não garotista) Wilson Diniz, analista do jornal O Dia, para traçar interessantes paralelos da Campos dos Garotinho com a Venezuela bolivariana de Hugo Chávez e Nicolás Maduro. Vale a pena conferida:

 

Chávez Garotinho

 

Modelo venezuelano dos Garotinhos

• Voltando a analisar os números surpreendentes das contas do governo venezuelano de Campos, a partir de 2009 a 2013, os valores absolutos são impressionantes revelando como uma governante coloca em ação políticas fracassadas que condena toda uma população a um futuro caótico projetado para uma década.

• Olhando os valores pela Teoria do Ciclo da Vida, conjugando escalas do nascer a até ao quarto ciclo de idade, do ciclo dos primeiros anos de estudo, desde creche aos 24 anos, quando termina a fase do curso universitário, e mais, o ciclo que o jovem entra no mercado de trabalho e se aposenta, os números da cidade Campos administrados pelos Garotinhos, é comparável a cidades que sofreram holocausto de guerras. Vejamos para tentar explicar a vocês campistas.

• Analisando as fases que o jovem entra no Ensino Básico, na idade mais importante na formação da base do Primeiro Grau, os indicadores da Educação são estarrecedores. Estes jovens num futuro bem próximo, quando estão entrando no mercado de trabalho só conseguirão uma vaga no mercado informal, ou em empregos com baixos salários para sobreviver. Cria-se então um “exército de reserva” para manipulação política dependente do governo que está de plantão e de uma usina de mão de obra desqualificada para oferta no mercado a salários baixos.

• Um governante tem que ter conhecimentos mínimos do que se publica nos manuais dos organismos internacionais, sobre o perigo de não se priorizar a educação como meta fundamental de políticas públicas humanitárias. As consequências são conhecidas da maioria das pessoas, como o efeito do aumento dos índices de criminalidade e de surgimento de fanáticos religiosos prometerem o Reino do Céu como recompensa pelo seu fracasso aqui em vida.

• Os Garotinhos nestes seis anos de governos com suas políticas poderiam ter plantado a semente do saber básico para as crianças campistas, não só pelo lado de políticas públicas, mas pelo sentimento de ‘compaixão humana e espiritual como cristão.

• Pensadores do mundo chamam a atenção para a questão da Educação. Derek Bok, Reitor da Universidade de Harvard, protagonizou a celebre frase, “o governante que diz que não tem dinheiro para educação é porque não sabe o preço da ignorância”. A jovem paquistanesa, Malala Yousafzí, ganhou Prêmio Nobel com outra frase que encantou o mundo. “uma criança, um professor, um livro e um lápis põem mudar o mundo”.

• Diante de tanta riqueza filosófica, é impossível compreender a gestão da educação em Campos implantada pelos Garotinhos. Entende-se que eles não tiveram a oportunidade de estudar em universidades consagradas, mas como políticos tem a obrigação de ofertar para os mais pobres uma educação do Ensino Básico de qualidade, pois o que não faltou desde 2009 foram recursos das transferências governamentais.

• Delfim Neto afirmou que “o ignorante não é aquele que não conhece o assunto, mas aquele que acha que conhece”. No caso do Garotinho, ele mesmo foi vítima num programa de televisão, pois não respondeu qual era a fórmula da água. Recentemente, apareceu em confraternização recebendo um diploma universitário de ensino à distância de uma faculdade sem expressão da região norte do país.

• O Instituto Ethos, publicou estudos fotografando que sem formação, o profissional não consegue uma vaga de trabalho.

• Pergunta-se: será que os Garotinhos são míopes? Não sabem que a seleção para se conseguir uma vaga de treinee num banco, o candidato tem que concorrer fazendo um prova de seleção on-line de conhecimentos em lógica e matemática.

• No último concurso de um grande banco do país se escreveram 25 mil candidatos. Foram selecionados 30, depois que foram entrevistados em língua inglesa.

• OLHANDO AS CONTAS DA PREFEITURA, OS GAROTINHOS GASTAM O DOBRO DO ORÇAMENTO EM OBRAS ( R$ 630 MILHÕES) EM MÉDIA DESDE 2010, E NA EDUCAÇÃO, APENAS 14% DO ORÇAMENTO, OU SEJA, R$ 320 MILHÕES.

• Cabe à imprensa bater no tema e chamar a oposição para o debate e denunciar o HOLOCAUSTO EDUCACIONAL DO ENSINO BÁSICO.

• Voltarei a analisar as contas dos Garotinhos.

• De Wilson Diniz, economista e analista político do O Dia.

 

Este post tem um comentário

  1. Para ser politico não precisa comprovar qualificação para assumir o cargo.
    Acho que deveria passar por uma seleção, igual a um candidado que tenta uma vaga para trabalho e precisa ser selecionado por pontos em um concurso. Só assim teria alguma chance do candidato politico gerir melhor seu cargo.
    Acima de tudo ser honesto. Será que estou sonhando?

Deixe uma resposta

Fechar Menu