Opiniões

Crítica de cinema — Muita ação, veículos de sonhos e destreza surreal em 3D

Colyseu

 

 

Velozes e furiosos 7

 

Mateusinho 4Velozes e furiosos 7 — Poucos objetos promovem tanta sedução quanto os carros fazem com os homens . O carro seduz porque é uma espécie de extensão do corpo. Dá a sensação de que o indivíduo se torna mais potente, menos lento, mais robusto, menos vulnerável.

A sedução passa, primeiramente, pela potência do motor. Curiosamente, a unidade de medida dos motores é “cavalo de força”. Uma alusão à masculinidade dos equinos e a força de seus corpos. Quanto mais cavalos um motor possui, mais virilidade sugere. Corridas de carro são mania mundial. A relação entre velocidade e masculinidade já mereceu estudos psicológico-comportamentais interessantes.

Para o psicólogo Francesco Albanese, que há anos estuda psicologia do trânsito, é preciso voltar a Freud e à psicanálise. Por estar associado subjetivamente a atributos considerados viris, como velocidade e potência, o carro se presta melhor a ser alvo de um processo de identificação masculina. E onde há identificação, há projeção da própria personalidade. Há, porém, uma explicação neurobiológica para o fascínio pelas altas velocidades: a consciência (ainda que parcial) do risco desencadeia no organismo reações neurológicas e hormonais. A elevação dos níveis de adrenalina induz à hiperatividade do sistema nervoso e confere uma espécie de euforia artificial que, para alguns, pode resultar em satisfação. O carro dá ao motorista a oportunidade de experimentar seu corpo elevado a velocidades que, por si só, não alcançariam. Correr faz parte do sonho humano por superação.

Nas telas, o fascínio por automóveis e velocidade já foi explorado em produções  de grande sucesso  como  “Juventude transviada”(1955) com James Dean ao volante de um Chevrolet Special Deluxe 1941 ; “Viva Las Vegas”(1964), com Elvis Presley; na série 007, com Sean Connery e outros atores no papel do agente secreto James Bond; na comédia dirigida por Robert Stevenson “Se meu fusca falasse” (1968) e na animação japonesa “Speed Racer”(60’/70’) com seu poderoso Mach5.

O estúdio Universal Pictures lançou o 7º filme da sua franquia “Fast and furious”, “Velozes e Furiosos 7” no Brasil. Com direção de James Wan (de “Jogos Mortais”,de 2004; e “Invocação do Mal”, de 2013) e produção de Michael Fottrell, Vin Diesel e Neal H. Moritz, que contaram com US$ 230 milhões para manutenção do elenco, efeitos em 3D, equipes de dublês, locações maravilhosas e muito carro bacana para destruir. Segundo o Wall Street Journal os veículos foram destruídos durante as filmagens do longa em Colorado, Atlanta e Abu Dhabi. A lista dos possantes que foram para o ferro-velho é de deixar qualquer apaixonado por carros babando: foram muitos Mercedes-Benz, um Ford Crown Victoria e um Mitsubishi Montero.

No elenco, atores já conhecidos dos filmes anteriores da franquia como Vin Diesel (“O Resgate do Soldado Ryan”, de 1998; “Eclipse mortal”, de 2000; e “Riddick — A ascensão”, de 2013) é o alpha da equipe motorizada Dominic “Dom” Toretto. Diesel, além de protagonista, é produtor da franquia V&F. Paul Walker (“ Mergulho radical”, de 2005; “Contagem Regressiva”, de 2013 e “Distrito 13”, de 2013) vítima fatal de um acidente automobilístico em novembro de 2013, antes do fim das filmagens, é Brian O’Conner , bem treinado e corajoso membro da equipe de Dom, viciado em adrenalina com dificuldades em levar uma vida tranquila com sua esposa, Mia Toretto, interpretada pela bela atriz panamenha (filha da modelo brasileira Maria João Leão de Souza) Jordana Brewster (de “Uma história a três”, de 2001; e Annapolis, de 2006). Jason Statham (ator e lutador de artes marciais britânico – “Collateral”, de 2004, “Carga Explosiva” de 2002, 2005 e 2008; além de “Os Mercenários”, de 2010, 2012 e2014) é o frio e explosivo vilão Deckard, que não deixa nada de pé em busca de sua vingança. Dwayne Johnson ou The Rock (“A Rocha” — ex jogador de futebol americano e lutador de wrestling profisssional  (“O escorpião rei”, de 2002; e “Hércules”, de 2014) interpreta o chefe da agência de inteligência norte americana Luke Hoobs (Tyrese Gibson de “Transformes”, de 2007; e “Legião”, de 2009) como o engraçadinho Roman Pearce ( Ludacris, ator e rapper americano) de Tej, o especialista em tecnologia. Michelle Rodriguez (“Girlfight”, de 2000; “Residentl evil”, de 2002; “Avatar”, de 2009 e “Resident evil: Retribution”, de 2012) como Leticia “Letty” Ortiz, esposa de Dom que sofre de amnésia temporária. Nathalie Emmanuel (“Twwnty8k”, de 2012; e “Games of thrones”, de 2013) como a toda linda hacker Megan, criadora do programa “Olho de Deus”, que consegue acessar  todas as câmeras de vigilância e celulares do mundo. Participação de Kurt Russell (“Fuga de Nova York”, de 1981; “Stargate”, de 1994; e Vanilla Sky”, de 2001) de Mr.Nobody.

Na trama, a equipe motorizada de Dom precisa resgatar a hacker, que está nas mãos de uma gangue também motorizada, e o dispositivo contendo o programa Olho de Deus, para deixarem de ser a caça e virarem caçadores do vilão vingativo e explosivo Deckard. Além das várias explosões, muitos tiros e lutas corporais eles encenam um salto de um avião, com seus carros mexidos, de paraquedas.  A seguir, aterrissam em estrada sinuosa no alto de montanha no Azerbaijão entre floresta e precipícios. Aprontam na festa de arromba do príncipe árabe (estilo ostentação) conseguindo, com um super-carro (Lykan Hypersport – de 0 a100 Km/h em menos de 3 segundos e valor US$ 11 milhões),  voar entre o alto de três torres em Dubai, acabando em uma galeria de arte da terceira torre, atropelando estátuas de terracota chinesas. O grand finale fica para as cenas noturnas nas ruas de Los Angeles, onde a equipe está em casa. A disputa entre a turma de Dom e os vilões, envolve carros preparadíssimos (claro), drones e helicópteros hiper armados. As perseguições e combates destroem com força as ruas e prédios da cidade para no final amansar em uma praia pacata da República Dominicana. Os efeitos convincentes em 3D, os super-carros, as locações, as lindas moças e o número generoso de cenas de ação com lutas entre os fortões, tiroteios, explosões e perseguições com destrezas surreais, deixam os espectadores fixados na tela.

A antiga fórmula da franquia continua dando  certo. Acrescido da comoção com o falecimento do astro Paul Walker, “Velozes e Furiosos 7”  se transformou correndo (com trocadilho) no líder de bilheteria 2015 em mais de 67 países, e a arrecadação já passa do bilhão de dólares. Pule de 10 a produção de 8º filme.

Seguro que a diversão e adrenalina são garantidas.

 

Mateusinho viu

 

Publicado ontem na Folha Dois

 

Confira o trailer do filme:

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu