Opiniões

Visto de Marte, o Sol é azul

Cosmonauta Yuri Gagarin a bordo da nave Vostok, na qual foi o primeiro homem no espaço e constatou com seus próprios olhos que a Terra é azul
Em abril de 1961, o cosmonauta Yuri Gagarin a bordo da nave Vostok, na qual foi o primeiro homem no espaço e a ver com seus olhos que a Terra é azul

 

“A Terra é azul!”. Foi o que teria dito em reação espontânea o cosmonauta russo Yuri Alekseievitch Gagarin (1934/68), em 12 de abril de 1961, ao olhar pela janela da nave espacial Vostok, a bordo da qual se tornou o primeiro homem em órbita da Terra. Pois, divulgadas ontem, fotos feitas pela sonda Curiosity, no último dia 15 de abril, quase 54 anos exatos após o voo espacial de Gagarin, revelaram que visto em seu poente no solo do planeta Marte, o Sol também é azul.

De acordo com um comunicado oficial da Nasa: “Isso faz com que as cores azuis da mistura de luzes vindas do Sol fiquem mais concentradas na parte do céu onde o astro se encontra, em comparação com a maior dispersão do amarelo e do vermelho. O efeito é mais pronunciado perto do pôr do Sol, quando a luz vinda do Sol cruza um caminho maior na atmosfera do que ao meio-dia”.

Tiradas por uma Mast Camera, que captura as cores de forma bastante similar ao olho humano, a sequência de quatro imagens foi tirada num intervalo de 6 minutos e 51 segundos e mostra o Sol  azul se escondendo por trás de montanhas do Planeta Vermelho, como Marte ficou conhecido por sua cor vista da Terra, numa localidade que os astrônomos batizaram como cratera Gale.

Confira abaixo uma foto e aqui a sequência completa no site da Nasa.

 

Sol azul em Marte (NASA-JPL-Caltech-MSSS-Texas A&M Univ)
Em abril de 2015, o Sol azul em Marte (NASA-JPL-Caltech-MSSS-Texas A&M Univ)

 

 

Este post tem um comentário

  1. Católicos leigos reagem a comunistas disfarçados de bispos.

    Muito se tem falado da infiltração comunista nas instituições católicas. Padres como Paulo Ricardo, Rodrigo Maia e Jose Augusto, além de leigos (católicos que não foram ordenados padres) como Olavo de Carvalho têm falado sobre esta infiltração e corrosão que os comunistas têm feito dentro destas instituições.

    Isto já vem de longa data, mas realmente ganhou força na década de 60 com o fortalecimento do marxismo cultural e da influência dos autores da Escola de Frankfurt. Nesta época começaram a ser desenvolvidas as condições para a queda do Muro de Berlim, e do fim daquilo que poderíamos chamar de primeira Guerra Fria.

    A segunda começou logo depois com uma intensificação dos processos que estabeleciam a mentalidade da época e que ocultavam, através da guerra cultural, inimigos antes explícitos e declarados. De uma hora para outra, a guerra não era tanto para demonstrar qual lado era mais forte militarmente (podendo subjugar o outro), mas para converter e estupidificar os não convertidos.

    No Brasil e em outras partes do mundo, boa parte desta conversão não era mais explícita. Não havia e em grande parte não há uma doutrinação propriamente dita, mas a adoção lenta e parcial de valores, conceitos e conhecimento (ou desconhecimento) parcial de fatos que tornem as pessoas úteis aos criptocomunistas.

    Pela dedicação de alguns e um pouco de bons ventos, o desconhecimento da atuação de criptocomunistas tem caído vertiginosamente, a ponto de começarmos a visualizar uma contra-revolução da cultura em curso, assim como começarmos a ver as primeiras reações do laicato católico à presença de criptocomunistas nas instituições da igreja ou que se passam por pertencentes a ela, como no vídeo a seguir:

    https://www.youtube.com/watch?v=SQGY9-JIuXw

    Significado de Criptocomunista:
    Que é comunista, mas não aparenta ou oculta.

    http://www.criticapolitica.org/2015/05/catolicos-leigos-reagem-comunistas.html

Deixe uma resposta

Fechar Menu