Opiniões

Artigo do domingo — A equação de Geraldo Pudim

Pudim doce

 

 

Fernando Leite Fernandes, jornalista, radialista, poeta e editor do blog “Fernando Leite & Outros quintais”
Fernando Leite Fernandes, jornalista, radialista, poeta e editor do blog “Fernando Leite & Outros quintais”

Por Fernando Leite Fernandes

 

Geraldo Pudim é o quadro mais bem preparado para governar esta Capitania de São Tomé, depois da passagem do exército do pequeno Átila, que nem gramínea deixou sobre o chão. Se não é o mais preparado, é um dos raros que ocupa a cena política local. O que há contra Pudim é o estigma por sua longeva lealdade ao líder espiritual dos povos. O que, invariavelmente, deveria ser visto como virtude, diante das atuais circunstâncias, se transformou em pesado fardo político.

Sem querer faltar com respeito ao Garotinho — já disse que um dia a história lhe fará justiça — ele, no tempo presente, encarna a metáfora cruel do lixo atômico, aquele que contamina os que estão à sua volta a anos luz de distância. As consultas dos institutos de pesquisa de opinião não deixam dúvidas. Escolha qualquer um do seu entorno e o resultado será o mesmo. O Garotinho não tem companheiros ou correligionários, têm seguidores. Sua ação ultra personalista e voluntariosa transcende os limites da civilidade dos partidos e beira às raias da cegueira das seitas.

A sucessão municipal que se aviziinha, revela uma reação nunca vista no pacífico e ordeiro povo de Campos. O eleitorado é um nervo exposto. Um expressivo segmento, ouso dizer que amplíssima maioria, não votará por dever ou escolha ou indignação cívica, mas por raiva. Aliás, esta, talvez seja a mais hercúlea realização da administração de plantão: uma monumental catedral de ódio sobre a cidadania.  Convenhamos, a sociedade sempre perde quando elege um gestor ou parlamentar pelo deboche ou pelo ódio. É uma satisfação momentânea, é um sinal, mas não é uma alternativa.

O deputado Geraldo Pudim sabe que há entre ele e o eleitorado uma couraça que precisa ser rompida. E como fazê-lo? É sua equação mais desafiadora. Tem em seu favor um acervo invejável: 30 anos de vida pública e nenhum escândalo de natureza política contabilizado, nenhuma acusação de improbidade administrativa, tem vida modesta, o que na realidade atual é indispensável salvo conduto, uma vez que a mãe das crises política e econômica é a devastadora crise moral.

Para além, do comportamento político, Pudim estudou e aprendeu a lição sobre o município de Campos dos Goytacazes. Sua história rica e soberana, sua geografia singular, sua economia mutante — já estamos na curva descendente da exploração de petróleo na Bacia Campista — seus desafios emergentes, a pressa de uma cidade que se transforma em metrópole e não tem ainda arcabouço para mudança tão radical. Pudim sabe que não é mais posssível repetir o passado, governar empiricamente, sem planejamento e sem aliar nossa mais rica reserva, o saber intelectual, com o poder político democrático e moderno.

Escolher, com raiva, alguém que seja capaz de derrotar o Garotinho, é nada.

Não me move outro sentimento que não seja o de discutir, madura e civilizadamente, o processo eleitoral de 2016. De contribuir para que tenhamos uma indispensável conversa coletiva sobre noso futuro, ao invés de uma briga de rua, tão ao gosto dos agentes mandatários do poder. Os mesmos que minimizam o debate e o engessam numa surrada cantilena de medição de forças entre ricos e pobres. A sociedade, senhora de seu desttino, não pode se apequenar e deixar escapar as grandes causas.

Por fim, imagino que na hora própria, Pudim responderá pelo que se compromete em fazer e não perca tempo com o enjoado bolero da traição do sempre traído, que há de ser a marcha fúnebre deste governo. O novo prefeito de Campos tem que cumprir duas missões basilares: elaborar um plano de emergência para os primeiros 100 dias e providenciar cirúrgica auditoria nas contas públicas.

E se me cabe dar algum conselho ao próximo prefeito, repito o que disse o saudoso Austregésilo de Athaíde, quando lhe perguntaram que primeira medida tomaria se fosse presidente do Brasil: “amarrar a chave do cofre no cós da calça”.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã

 

Este post tem 15 comentários

  1. O problema de Campos é a traição ao eleitor. Estou farto desse nome, GAROTINHO.
    Quem garante que ao ganhar eleição, qualquer um deles, principalmente os do grupo os Independentes, passa a apoiar Garotinho ou alguém que a família apoie? Essa família desde que assumiu o poder, interfere na cidade, indicando candidatos e ganhando. Campos precisa de desenvolvimento, se livrar dessa gente. BASTA!

  2. Não há solução para este caso. Ou seja, é como cica de jaca, é como visgo, é mais até, é como doença crônica e incurável. Este senhor levou tanto tempo, ou melhor, leva tanto tempo ao lado do seu mentor, que nada neste planeta conseguirá “dissolver”. É um “caso terminal”.

    Quanto ao ‘outro’ a escrever o nome na História, pode se considerar inscrito como o pior político que Campos dos Goytacazes já teve ou produziu, ele e sua família. E parece que ele está se esforçando mais ainda, com esta aberrante idéia de vender os royalties futuros.

    Se há algo que espero ver antes de morrer, é que todas as coisas sejam devidamente apuradas, que a parte justa seja dada, mas que a parte errada também seja colocada à mostra e todos respondam pelos seus atos.

  3. Não tem preparo nem para dirigir a casa dele ainda mas para a antiga capitania de São Thome.Abaixo todos ligados aos exploradores de Campos.

  4. Se a salvação for este cidadão….. Não posso escrever aqui a verdadeira situação da tal Capitania, pois vcs nao publicariam.

  5. Não acho que o Pudim o mais preparado. É uma pessoa que sempre viveu a sobra de Garotinho, sempre que foi eleito foi com o apoio de Garotinho. Ele não tem volto, os voltou foram dados pelo Garotinho. E ele é cópia do Garotinho. Os mandatos que Pudim teve pertenceu a Garotinho. Então não tem experiência para governar uma cidade. Campos precisa de uma mudança, pessoas comprometidas que nunca tiveram do lado do Garotinho, com experiência novas. Pudim tá ultrapassado e é Garotinho. Só mudou de partido porque lá não tem mais espaço para ele, não houve um rompimento de idéias, idealismo.

  6. O autor de tal façanha deveria explicar os critérios dessa avaliação…… para credenciar o Pudim como melhor qualificado…..

  7. É hora de dar um basta e mudar de vez.O povo não aguenta mais candidatos do grupo(G) e do grupo(A).Tem que ser eleito um candidato neutro e desenterrar esta cabeça de porco da praça São Salvador.

  8. Só que pudim está indo embora do castelo cor de rosa, mas deixou a calça com a chave e tudo pendurado na falência do gorvenículo cor de rosa. Pudim está nu e pelado com a mão no bolso e não tem nada para acrescentar no futuro de Campos dos Goytacazes. Utopia de Jorge Picciani e espero que o Jornalista Fernando Leite não seja mais um a ser iludido por esta grande farsa que é este Pudim cor de Rosa , pois Pudim é Garotinho de novo.

  9. Por aberrações políticas como estas e outras, que deixei de fazer POLÍTICA. Mas neste momento, não posso deixar de dar minha opinião: Se durante todos estes anos o POVO em sua maioria elegeu este grupo , liderado por Garotinho e que agora pelas ultimas informações de Pesquisa, indica por mudanças, não será com indicação de “ex-aliado” ou outra qualquer vinculação que tal MUDANÇA terá mínima chance de ser verdadeira. Se o que temos não está bom , que o ELEITOR tome a consciência política na próxima ELEIÇÃO.

  10. SERÁ QUE TUDO QUE ACONTECE EM CAMPOS DE RUIM É CULPA DOS GAROTINHOS OU NOSSA,NÓS TEMOS UM EXEMPLO NA CIDADE MUITO FORTE,DE QUE O GOYTACAZ NÃO SUBIA PARA PRIMEIRA DIVISÃO POR CAUSA DO EDUARDO VIANA O CAIXA D ÁGUA È VIMOS QUE O MESMO MORREU HÁ UNS DEZ ANOS E O GOYTA ESTÁ NO MESMÍSSIMO LUGAR.E ACHO QUE NÓS SEMPRE PRECISAMOS DE UM BODE EXPIATÓRIO PARA TIRAR NOSSA RESPONSABILIDADE DE NOSSAS COSTAS,ISSO EU TÔ FALANDO PARA OS CAMPISTAS INDEPENDENTES O RESTO SÓ QUEREM SUAS BOQUINHAS TAMBÉM.

  11. Trocar seis por meia dúzia… esse cara é farinha do mesmo saco da família ROSA.

  12. Com todo respeito a você como moderador,mas fechar aos
    comentários por que?
    Uma vida pública não pode e deve ser julgada?
    Democracia é ainda o mais salutar dos regimes.

  13. Não acredito na carinha de bom moço do Pudim. Está saindo fora do grupo rosaceo pq sabe que eles estão mau ee que não o apoiou como ele queria de verdade neessa última eleição ! Ñ voto nem em Pudim e nem nos Garotinhos!

  14. Pode até ser que Pudim Royal depois volte a servir ao Chocolate Garoto, mas vamos combinar que o primeiro passo de distância ele já deu: botar a Cachorrinha Fafau pra correr com seu rabinho murcho enfiado entre as pernas!!!!!…… KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Deixe uma resposta

Fechar Menu