Opiniões

R$ 1 milhão da Odebrecht a Garotinho no mesmo dia de “laranjas” ao PR

O possível uso das empresas Leyroz e Praiamar como “laranjas” para os repasses da Obebrecht. Esse será o primeiro fio que os vereadores de oposição tentarão puxar para descobrir a verdade por trás das doações ao hoje secretário de Governo Anthony Garotinho (PR), à sua esposa e prefeita, Rosinha Garotinho (PR), e à sua filha e deputada federal, Clarissa Garotinho (PR), todas feitas pela maior empreiteira do país — segundo evidenciam as planilhas com doações da Odebrecht a cerca de 300 políticos brasileiros, apreendidas na 23ª fase da operação Lava-Jato.

A Leyroz e Praiamar são distribuidoras de bebidas que trabalham com marcas do grupo Petrópolis, da cerveja Itaipava. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a Leyroz, por exemplo, doou R$ 800 mil ao diretório estadual do PR, em 1º de setembro de 2010, enquanto a Praiamar, no mesmo dia, fez uma doação registrada ao mesmo beneficiário no valor de R$ 200 mil.

 

No TSE, onde não constam doações da Odebrecht a Garotinho em 2010, a Leyroz (R$ 800 mil) e Praiamar (R$ 200 mil) repassam ao PR estadual o valor total de R$ 1 milhão em 1º de agosto de 2010 (reprodução do TSE)
No TSE, onde não constam doações da Odebrecht a Garotinho em 2010, a Leyroz (R$ 800 mil) e Praiamar (R$ 200 mil) repassaram ao PR estadual o valor total de R$ 1 milhão em 1º de agosto de 2010 (reprodução do TSE)

 

Já nas planilhas da Odebrecht apreendidas pela Lava-Jato, Garotinho aparece como “beneficiário” de uma doação no valor de R$ 1 milhão em 1º de setembro de 2010 — mesmo dia e valor das duas doações somadas da Leyroz e Praiamar. Ambas foram declaradas pelo PR ao TSE, que não registrou nenhuma doação da Odebrecht a Garotinho em 2010, ano em que disputou e ganhou seu último mandato, como deputado federal.

 

Na planilha da Odebrecht apreendida pela Polícia Federal, uma doação a Garotinho não registrada no TSE no mesmo dia (1º de agosto de 2010) e com o mesmo valor total (R$ 1 milhão) das feitas por Leyroz e Praiamar ao PR (reprodução da Lava-Jato)
Na planilha da Odebrecht apreendida pela Polícia Federal, uma doação a Garotinho não registrada no TSE no mesmo dia (1º de agosto de 2010) e com o mesmo valor total (R$ 1 milhão) das feitas por Leyroz e Praiamar ao PR (reprodução da Lava-Jato)

 

O uso das duas empresas distribuidoras de bebida como “laranjas” das doações da empreiteira, numa transação que pode ter superado a casa dos R$ 30 milhões, foi fartamente noticiado (aqui) pela mídia nacional. Dos seus supostos esquemas, teriam ser beneficiado também os senadores Aécio Neves (PSDB/MG) e Aloizio Mercadante (PT/SP), além do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Um pedido de informação sobre os contratos de licitação da Prefeitura de Campos com a Odebrecht sobre o conjunto das obras do “Morar Feliz”, no valor total de quase R$ 1 bilhão, já foi protocolado na Câmara Municipal pelo vereador Marcão (Rede). Como a Folha relembrou aqui, em matéria da jornalista Suzy Monteiro que rendeu a manchete da capa do último domingo (27/03), o resultado da primeira fase da licitação do “Morar Feliz”, no valor de R$ 357,9 milhões, tendo com a Obebrecht como ganhadora, foi antecipado pela coluna “Ponto final” em quase quatro meses.

 

Em 29 de maio de 2009, quando anda tinha à frente o jornalista Aluysio Cardoso Barbosa, o “Ponto final” adiantou o resultado da licitação do “Morar Feliz” para a Odebrecht (repordução)
Em maio de 2009, quando ainda tinha à frente o jornalista Aluysio Cardoso Barbosa, o “Ponto final” adiantou o resultado da licitação do “Morar Feliz” para a Odebrecht (reprodução)

 

Em 29 de maio de 2009, a coluna de opinião da Folha noticiou que a Odebrecht ganharia a licitação. Essa revelação pública pelo jornal teria gerado o atraso na abertura dos envelopes, feita apenas em 23 de setembro daquele mesmo ano, confirmando o que previra o jornal. As notas do “Ponto final” mostraram ainda que o ex-secretário municipal de Obras e então coordenador da mesma secretaria, Antonio José Petrucci Terra, o Tom Zé, havia trabalhado na Odebrecht antes de ingressar no governo Rosinha.

 

 

Em setembro de 29 quase quatro meses depois, a confirmação da vitória da Odebrecht que a Folha havia adiantado (reprodução)
Em setembro de 2009, quase quatro meses depois, a confirmação da vitória da Odebrecht, como a Folha havia adiantado (reprodução)

 

Aqui e aqui, respectivamente, os jornalistas e blogueiros Fernando Leite e Alexandre Bastos foram os primeiros a adiantar a investida da bancada de oposição goitacá sobre as relações entre os Garotinho, a Prefeitura de Campos e a Odebrecht, a partir dos documentos apreendidos pela Lava-Jato na residência de Benedicto Barbosa da Silva Júnior, um dos diretores da empreiteira. Segundo fontes, ele seria figura conhecida também em Campos.

 

Confira amanhã (29/03) a reportagem sobre o caso na Folha da Manhã

 

Este post tem 8 comentários

  1. DENUNCIEI A FOLHA DA MANHA DESDE 2004 AS RELAÇÕES OBSCURAS ENTRE A ITAIPAVA E GAROTINHO… E (trecho excluído pela moderação)

    E AGORA DEPOIS DE ANOS, VEM A TONA…

    ENGRACADO NAO E MESMO ?

  2. Como a Odebrecht só é santa em Campos, os Garotinhos terão uma desculpa bem do tipo, “eu não sei de nada!” “A culpa é dela!” “Esse dinheiro não é meu!” “Eu como o Lula só tenho uma casinha!” “Não é a mamãe!” Isso é pior que batom na cueca é pegar com a boca na botija… Sai dessa Garotinho? E outra coisa me processe qua aí você será obrigado a apresentar suas provas que, diga-se de passagem, você não tem! Pra provar na justiça que o que escrevo é uma inverdade! A máscara caiu, o cadáver está fedendo e qualquer semelhança com a popularidade da presidente é mera coincidência!!!!

  3. Batom na Cueca ainda pode se dizer que foi molecagem dos ‘AMIGOS’ ENQUANTO VOCÊ DE PORRE.

  4. Cadê o Promotor do MP que vive segurando a bolsa da prefeita? Está se escondendo?

  5. Enquanto o dinheiro está jorrando, os laranjas ficam quietinhos. Agora que o cerco está se fechando, vão começar a abrir a boca. E como já aconteceu (trecho excluído pela moderação). Mas talvez tenham algum receio, já que “o cara” é chefe de quadrilha e milícia, mesmo disfarçado de ovelha cristã.
    Mas esse R$ 1 milhão é só a casquinha da ponta do iceberg…afinal, onde estão os bilhões dos royaltes já destinados à Campos?

  6. Não existe crime perfeito!
    Parece mentira…meu primeiro filme que assisti na vida, foi no cinema Goitacá, onde hoje é uma Igreja evangélica (em Campos).
    O nome do filme foi: UM DIA A CASA CAI!
    É verdade, cai mesmo!!

  7. Os mais de 17 bilhões gastos nesta gestão acho que foram muito bem empregados como cepobre casa da criança e outras cositas mas , os 110 milhões que sumiram dos cofres públicos com certeza deve ter sido gasto na saúde educação bairro legal , se o garotinho foce candidato votaria nele para acabar de destruir o resto que sobrou povo burro tem sofrer mesmo .

  8. opa eu quero acompanhar todas as noticias desse caso
    jornal da tv tenque falar do assunto pq tenho visto jornais e nao vi falar desse caso.

Deixe uma resposta

Fechar Menu