Opiniões

Ocupa TB: Garotinho cobra pauta e garante Teatro reaberto em 45 dias

Reunião de hoje no Teatro de Bolso contou, finalmente, com a presença dos gestores da Cultura no governo Rosinha (foto de Rodrigo Silveira - Folha da Manhã)
Reunião de hoje no Teatro de Bolso contou, finalmente, com a presença dos gestores da Cultura no governo Rosinha (foto de Rodrigo Silveira – Folha da Manhã)

 

 

Após ficar fechado por três anos, o Teatro de Bolso Procópio Ferreira será reaberto dentro de 45 dias. Garantia do próprio Anthony Garotinho (PR), esta foi a maior novidade da segunda reunião entre o secretário municipal de Governo, que em 1982 ocupou como ator o mesmo Teatro de Bolso (TB), com os artistas que usaram a atitude de 34 anos atrás como exemplo, no movimento Ocupa TB, acampado desde a última segunda (09) nas dependências antes abandonadas do Teatro. O encontro começou pouco depois das 22h de ontem (12) e se estendeu até o começo desta madrugada.

Muito embora os artistas tivessem adiantado por telefone, ao vereador governista Mauro Silva (PSDB), que a pauta do movimento ao poder público municipal só estaria pronta na semana que vem, o secretário de Governo Anthony Garotinho, não perdeu a chance de alfinetar os ex-colegas de classe:

— Cadê a pauta? — pontuava a todo instante.

Além do retorno do vice-prefeito Dr. Chicão (PR) e de Mauro Silva, pré-candidatos governistas a prefeito, presentes na primeira reunião, Garotinho trouxe a tiracolo outra novidade: após terem a presença solicitada desde o início da ocupação, na noite de ontem finalmente os gestores da Cultura do município apareceram no Teatro de Bolso ocupado pelos artistas. Lá estavam a presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Patrícia Cordeiro, sua vice, Maria Helena Gomes, o presidente do Conselho Municipal de Cultura, Orávio de Campos Soares, e o superintendente da Igualdade Racial (ex-Fundação Zumbi dos Palmares), Jorge Luiz Pereira dos Santos.

Depois de ter sua exoneração pedida pelos artistas ao secretário de Governo, na reunião anterior entre a noite de quarta (11) e madrugada de quinta (12), Garotinho chegou a brincar com Patrícia:

— Amanhã é sexta-feira 13, Patrícia. Já que te pintaram ontem como uma bruxa, cuidado para não voltar para casa voando numa vassoura — ironizou.

Por sua vez, Patrícia revelou que não foi à ocupação desde o primeiro dia, na segunda (9), porque era o aniversário de 9 anos da sua filha.

Os artistas ficaram de entregar a pauta ao governo municipal na próxima terça, dia 17. E disseram que, até terem todos os itens atendidos, manterão a ocupação do Teatro de Bolso.

 

Com informações da repórter Paula Vigneron

 

Leia a íntegra da matéria na edição de hoje (13) da Folha Dois

 

Atualização à 1h35: Segundo o professor Gustavo Soffiati informou aqui, o prazo para reabertura do TB foi estendido, no final da reunião, de 20 para 45 dias. Pelo teto de edição já estourado, a equipe de reportagem da Folha não pôde ficar até o fim. Mas como a fonte é confiável, a alteração será feita aqui, mas não a tempo de fazer o mesmo na edição impressa de daqui a pouco.

 

Este post tem 5 comentários

  1. No final, o prazo para a entrega do teatro todo pronto foi de 45 dias.

    1. Caro Gustavo,

      Pelo teto de edição já estourado, a reportagem não pode ficar até o final. Agradeço pela informação. Como a fonte é confiável, farei a correção.

      Abç!

      Aluysio

  2. Entendi a questão do teto, Aluysio: quis apenas contribuir com a informação.

    1. Caro Gustavo,

      E contribuiu. Qt à questão do teto, causa da extensão do prazo de 20 para 45 dias, teria nascido da obervação pertinente da atriz Rosândela Queiroz. Quem explicou o fato em comentário na democracia irrefreável das redes sociais, no link à postagem do blog, foi o artista plástico Edeilson Fernandes. Peço licença a ele para reproduzi-lo abaixo:

      — Foi a atriz Rosângela Queiroz quem chamou a atenção para outras necessidades pouco depois do início da reunião, inclusive alertando para a falta de refletores, o que fez com que o secretário de governo e alguns DAS olhassem para o teto. É melhor que as necessidades sejam cumpridas a contento em 45 dias do que serem feitas apressadamente em 20 dias. Maquiagem em teatro fica bacana no palco, em obras não.

      Abç e grato pela participação!

      Aluysio

  3. 20, 45 dias… O fato inquestionável é que já se vão três anos de inoperância e abandono de um espaço público voltado para as Artes Cênicas e, tendo em vista que, esse leitor e comentarista, meu querido Aluysio Abreu Barbosa, meio São Tomésiano que é, só acredita vendo e começará a contar os dias pois não é de cometer injustiças, pré julgando ninguém, ele ainda acredita nas palavras dadas, se bem que, vindo de quem vem, ele fica sempre não com um, mas com os dois pés atrás, eu sugiro que contemos os dias e assim ver se as coisas se realizarão, pois como foi dito há tempos atrás, “precisa acontecer alguma coisa”. Quem é desses tempos, saberá fazer as devidas correlações.

Deixe uma resposta

Fechar Menu