Opiniões

Caciques do PMDB no Rio aprovam a aliança entre Pudim e Arnaldo

Assuer Junior, Edson Albertassi, Geraldo Pudim, Jorge Picciani, Arnaldo Vianna, Edilene Silva e André Lazaroni (foto: divulgação)
Assuer Junior, Edson Albertassi, Geraldo Pudim, Jorge Picciani, Arnaldo Vianna, Edilene Silva e André Lazaroni (foto: divulgação)

 

Durou de 10h da manhã às 14h de hoje o encontro do ex-prefeito Arnaldo Vianna (PEN) e o deputado estadual Geraldo Pudim (PMDB), para selar com os caciques do PMDB a aliança à sucessão de Rosinha Garotinho (PR) em Campos. No gabinete administrativo da presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), no prédio da Alfândega, no Centro do Rio de Janeiro, Pudim, Arnaldo e a atual esposa deste, Edilene Silva (PEN), se reuniram com o presidente da Alerj e do PMDB, Jorge Picciani, além dos também deputados estaduais André Lazaroni, presidente da bancada do PMDB, e Edson Albertassi (PMDB), líder do governo.

Pela parte do PEN, além de Arnaldo e Edilene, quem esteve presente foi o presidente do partido em Campos, o lobista Assuer Junior. Noticiada aqui em primeira mão neste “Opiniões”, a aliança entre Arnaldo e Pudim foi tema explorado com incomum interesse pela coluna da jornalista Berenice Seara, na edição de hoje do jornal carioca Extra, como o jornalista Alexandre Bastos registrou aqui. Foi Bastos que também adiantou aqui a possibilidade da composição ser formada numa chapa encabeçada por Pudim, tendo Edilene na vice, pela impossibilidade jurídica de Arnaldo se lançar candidato.

 

Atualização às 19h19: Para colocação de foto e divulgação, abaixo, da nota oficial do encontro, enviada pela assessoria do PMDB, publicada antes aqui, no Blog do Bastos:

 

O PMDB-Campos selou na manhã desta quarta-feira (27) aliança com o ex-prefeito Arnaldo Vianna (PEN) para as eleições municipais de 2016. A agremiação há muito vem conversando com diversas lideranças partidárias a fim de aglutinar projetos que sejam alternativas à atual gestão do município.

O pré-candidato do PMDB, Geraldo Pudim, se reuniu no Rio de Janeiro com ex-prefeito Arnaldo Vianna para formalizar a aliança, com as presenças do presidente da Alerj e estadual do PMDB, Jorge Picciani; o líder do PMDB na Alerj, deputado André Lazaroni (PMDB); o líder do governo na Alerj; deputado Edson Albertassi (PMDB); o Presidente do PEN-Campos, Assuer Júnior; e Edilene Vianna (PEN), esposa de Arnaldo Vianna.

“Todo nosso processo de negociação se deu através da conjugação de plataformas. Discutimos bastante ponto-a-ponto o projeto do PMDB para Campos, bem como as alternativas a nós apresentadas. Posto isso avançamos para uma aliança político-eleitoral que, se consolidada nas urnas, se desdobrará em uma governança de coalizão. Arnaldo Vianna é um grande médico e político qualificado, que emprestará sua vasta experiência ao projeto. Do ponto de vista pessoal foi muito bom retomar as conversas com doutor Arnaldo, pois sempre tive grande carinho e apreço por sua pessoa, independentemente dos momentos políticos que vivemos. Arnaldo tem visão política e serenidade, características necessárias a qualquer um que queira contribuir na gestão do município”, afirmou o presidente do municipal da agremiação e pré-candidato à prefeitura, Geraldo Pudim (PMDB).

Para Arnado Vianna a saída para Campos está na união. “Ao longo dos anos Pudim adquiriu experiência como vice-prefeito, secretário, subsecretário de estado, deputado estadual e federal, ou seja, transitou em todas as esferas da administração pública tornando-se a melhor opção para Campos. Uma cidade com graves problemas na saúde, educação, transporte e com uma dívida imensa, precisa de um choque de gestão. Somente com muita experiência administrativa será possível retomar as rédeas da cidade a fazê-la voltar a crescer. Com a certeza que nesse momento Campos precisa de uma união de esforços para fazê-la voltar a sorrir e por tudo que estamos passando nesse momento, anuncio o meu apoio à candidatura de Geraldo Pudim, um companheiro de longa data, de várias jornadas. Vencemos juntos a eleição de 2000. Como meu vice-prefeito, foi leal quando estive doente entre a vida e a morte num leito de hospital. Quis o destino que estivéssemos durante um tempo em lados opostos na política, faz parte da vida pública, mas tenho certeza que sempre compartilhamos do mesmo pensamento, de fazer política para os que mais precisam”, afirmou o ex-prefeito.

Para o presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani que já em 2015 convidou Pudim para retornar ao partido na condição de ser o candidato à Prefeitura de Campos, ele está preparado para o desafio. “Quem conhece o deputado Pudim, confia. É o caso do Doutor Arnaldo Viana, de quem Pudim foi vice e que agora, dá seu apoio a ele e a própria esposa para compor a vice na chapa. Eu só tive oportunidade de conhecê-lo melhor nesses dois anos que estamos juntos na Alerj; Eu, como presidente, ele, como primeiro-secretário. Descobri nele um homem público que cuida das pessoas e ao mesmo tempo um gestor competente. Daí o convite para o ingresso no PMDB e a candidatura em Campos”.

A convenção do PMDB em Campos será realizada na próxima sexta-feira (29), a partir das 18 horas, no Automóvel Clube Fluminense, com a presença de diversas lideranças políticas locais e de todo o estado, assim como do ex-prefeito de Campos, Arnaldo Vianna.

 

Atualização às 19h28: A primeira a divulgar aqui a foto do encontro foi a jornalista Suzy Monteiro, em seu blog “Na curva do rio”

 

Este post tem 8 comentários

  1. Agora é que começa o jogo de verdade!

  2. sendo otimista demais afirmo: essa aliança não ultrapassa de 40 mil votos! só faltam 66 dias, aguardem. qual motivo dessa afirmação? pudim nunca teve voto próprio sempre foi de carona o maior exemplo foi quando ele apoiou seu irmão marcinho PUDIM e não fez dois mil votos creio que é a media de seus votos sem ser apoiado por alguém. e o arnaldo tem seu eleitorado e não se pode negar! mas com esse fechamento o seu eleitorado que o apoiará com certeza será resumida em grande expressão devido a rejeição do pudim, por isto digo que se fizer 40 mil votos será um feito histórico! podem saber campistas que essa dupla ficará lá pro terceiro ou quarto lugar.

  3. Significado de lobista. O que é lobista: É a pessoa que cuida de certos ramos de negócio no Congresso, procurando aprovar leis que a beneficiem

  4. Como o PMDB, está tão enrolado na justiça quanto o Arnaldo, nada melhor do que se unirem.Agora cabe ao eleitor escolher se vota em alguém que está com a ficha suja ou não.

  5. Trocou o filho por (trecho excluído pela moderação) do PMDB vc se matou politicamente Arnaldo traidor, se vc fez isso com seu filho imagine com o povo

  6. Paulo Sergio de Moraes, discordo plenamente de você, querer comparar transferência de votos com votos consolidados mostra que você entende tanto de política quanto eu de grego. Em 2004 Pudim fez mais de 80 mil votos no primeiro turno sem a presença de Garotinho, pois o mesmo estava queimado na cidade. Quando Garotinho apareceu no segundo turno tirou a eleição dele. A rejeição de Pudim sempre esteve atrelada a Garotinho e a maior prova é o comparativo das pesquisas atuais onde caiu significativamente quando o eleitor percebeu o rompimento.

  7. ESSE PESSOAL NÃO ENTENTE NADA, ISSO TUDO É JOGO NA POLITÍCA, NÃO TEM BRIGA DE ARNALDO COM O FILHO, APENAS UMA ENCENAÇÃO POLITICA, PUDIM ESTAVA SEM VICE, ARNALDO COLOCOU A SUA ESPOSA, TUDO JOGADA, JA PENSANDO NO SEGUNDO TURNO, PARA TODOS DA OPOSIÇÃO SE JUNTAREM.

  8. não vejo como traidor,quem deveria pedir permissão para ser candidato era o caio viana, o líder com capital de votos é arnaldo viana, infelizmente sua mãe é mal vista e com o filme bem queimado, de qualquer forma a história muito mal conduzida por ambos os lados

Deixe uma resposta

Fechar Menu