Opiniões

Quem vota em Chicão não rejeita Rafael. Quem ecoa Linda Mara?

Ponto final

 

 

Única série de pesquisas

Ainda que outras pesquisas possam ser divulgadas nestes sete dias que separam o eleitor das urnas de 2 de outubro, nenhuma será fruto de uma medição constante feita desde junho, como as quatro feitas pelos instituto Pro4, todas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), encomendadas e divulgadas integralmente pela Folha da Manhã. A última delas, ainda quente do forno, você, leitor, pode conhecer (aqui) em detalhes na manchete de capa e na página seguinte desta edição.

 

Novidade: Rafael líder

Se as três consultas Pro4 anteriores — feitas (aqui) nos dias 8, 9 e 10 de junho, (aqui) no dia 6 de agosto e (aqui) nos dias 2 e 3 de setembro — tiveram como base 620 eleitores das sete Zonas Eleitorais (ZEs) de Campos, a última avançou sobre um universo de 1.500 entrevistas. E, ao diminuir sua margem de erro para 3,3 pontos percentuais, a pesquisa feita ainda ontem (24) e anteontem (23) foi a primeira do instituto a colocar Rafael Diniz (PPS) na dianteira das intenções de voto à sucessão da Prefeita Rosinha Garotinho (PR).

 

Na margem e além dela

Em empate técnico com o governista Dr. Chicão (PR), Rafael liderou tanto a consulta estimulada (37,7% contra 33,1%), quanto a espontânea (29,9% a 27,7%). Mas essa liderança do candidato do PPS saltou bem além da margem de erro na projeção do segundo turno: 46,3% contra 33,6 — o que significa 12,7 pontos percentuais de vantagem nas urnas cada vez iminentes de 30 de outubro.

 

Crescimentos desiguais

Comparadas as duas pesquisas estimuladas do Pro 4 feitas neste mês de setembro, Rafael saltou de 24,2% para 37,7% (13,57 pontos percentuais) numa diferença de apenas 20 dias, período no qual Chicão cresceu mais timidamente: de 29,8% para 33,1% (3,3 pontos, mais de 10 pontos a menos). Se é inegável que Rafael vem atropelando nesta reta final, isso pode ser explicado por outro índice, considerado ainda mais importante no segundo turno: a rejeição.

 

O normal e o estranho

Com um nível de ataques irracional, sobretudo por parte de governistas encurralados pela possibilidade da perda do poder e das prisões (aqui) de integrantes do governo Rosinha pela Polícia Federal (PF), a polarização da eleição é normal. Estranho, quase inédito, é que, ainda assim, Chicão possa ter 33,1% de intenções de voto, enquanto Rafael ostenta só 3,9% de rejeição. O normal seria a paridade cruzada dos índices, observada entre os 37,7% de intenções de voto em Rafael e os 34,3% de rejeição de Chicão. Quem vota em Rafael, não vota em Chicão. Mas quem declara vota neste, não diz ser incapaz de fazê-lo em seu principal adversário.

 

O terceiro

Terceiro colocado nas intenções de voto da pesquisa Pro4 mais recente, que chegou a liderar em junho, Caio Vianna (PDT) também integrou as projeções de segundo turno, na qual perderia de muito para Rafael (24,2% a 47,2%), e ganharia em empate técnico de Chicão (34% a 32,4%). Mas, sangrado publicamente pelas críticas do pai Arnaldo Vianna (PMDB), que preferiu apoiar o candidato Geraldo Pudim (PMDB), o filho único do ex-prefeito parece não estar reagido bem ao derretimento de uma candidatura que há três meses parecia ter chance de vitória.

 

É o caso?

Ontem, na InterTV Planície, Caio disse (aqui): “Nós vamos nas comunidades apresentar que o candidato dos ricos está cometendo um ato de interromper o Cheque Cidadão e o alimento daqueles que mais necessitam”. Para além da hipocrisia de alguém privilegiado sócio-economicamente desde que nasceu, se o candidato não sabe que partiu do Ministério Público Eleitoral (MPE) a iniciativa de suspender, em decisão da Justiça, o benefício do governo Rosinha só àqueles inscritos por razão eleitoral, precisa aprender a ler melhor uma ação judicial, ou seu noticiário na mídia. A não ser, claro, que o caso seja apenas ecoar (aqui) Linda Mara.

 

Publicado hoje (25) na Folha da Manhã

 

Este post tem 7 comentários

  1. Será que Caio já está preparando a cama pra apoiar Chicão no 2o. Turno? Vai se render aos encantos das promessas de Garotinho pra 2018? Vai ser o novo Feijó? Me parece um tiro no pé pra quem é mt jovem, e por ser filho de Arnaldo, com chances de uma promissora carreira..

  2. (Trecho excluído pela moderação) Vocês vão ter de engolir o Garotinho, de novo, muito embora eu ache que o Chicão tenha vida própria.

  3. QUEM VAI TER QUE ENGOLI O POVO, SÃO ESSE POLITICOS,QUE FICARAM NO PODER,E SÓ ACABARAM COM CAMPOS DOS GOYTACAZES,QUE NÃO CONSEGUIRAM,TRAZER INDUSTRIA,E NÃO CONSEGUI CUIDAR DA SAUDE DO POVO,AI O TEMPO ESTÁ PASSANDO,E NA FOI FEITO.

  4. QUEM VAI TER QUE ENGOLI O POVO, SÃO ESSE POLITICOS,QUE FICARAM NO PODER,E SÓ ACABARAM COM CAMPOS DOS GOYTACAZES,QUE NÃO CONSEGUIRAM,TRAZER INDUSTRIA,E NÃO CONSEGIU CUIDAR DA SAUDE DO POVO,AI O TEMPO ESTÁ PASSANDO,E NADA FOI FEITO.

  5. Estou com você Aluysio. A atitude de Caio em relação à suspensão do cheque cidadão foi infantil.
    Agora tenho certeza que o Caio não está preparado .Quem é pai sabe o quanto é difícil segurar um filho qdo vc percebe que o mesmo tem talento ,deve ter sido muito difícil para Dr Arnaldo ,mas creio que no seu desabafo, seria como umas palmadas que os pais são obrigados a dar ,doidas ,mas necessárias

  6. O que acho interessante que tem pessoas que ainda acreditam na candidatura do checão em papai noel mula sem cabeça, com certeza Rafael vai dar um banho dessa vez garotinho vai para no pronto socorro HFM , CUIDADO para não ficar numa maca no corredor , vida longa aos garotinhos para que vejam a herança maldita que iram deixar para o nosso povo

  7. vida propria de zumbi, ta co medo de perder a boquinha ne.

Deixe uma resposta

Fechar Menu