Campos dos Goytacazes,  21/01/2018

 

por Aluysio Abreu Barbosa

Por que cada áulico a soldo do garotismo vale por 10 opositores?

 

 

 

Enquanto esperavam Anthony Garotinho (PR) vir hoje (20) na condição de réu à audiência da “Chequinho” (aqui), na  100ª Zona Eleitoral (ZE) do município, e atrair mais jornalistas do que militantes ao Fórum de Campos, os áulicos a soldo do ex-governador tentaram criar fatos. E na incapacidade de fazê-lo por conta própria, repercutiram entrevista feita por mim e publicada na Folha e (aqui) neste blog, com os líderes do governo e do PR na Câmara Municipal — respectivamente Fred Machado (PPS) e Thiago Ferrugem.

Para os áulicos a soldo do garotismo, Thiago teria dado uma “surra” em Fred. Toda opinião merece, a priori, ser respeitada, mesmo a de quem é conhecido e reconhecido pela etiqueta de preço da sua. Mas encarar uma entrevista como “embate” é um equívoco infantil e evitável — ou deveria ser, para quem milita em jornalismo. Sobretudo quando os dois entrevistados, como foi o caso, não tiveram nenhum contato durante a entrevista, nem conhecimento prévio das respostas dadas pelo outro às mesmas perguntas.

À maioria que votou em Rafael Diniz (PPS) a prefeito, a tendência foi gostar mais das palavras de Fred. Já à minoria que votou no manutenção do garotismo, mesmo àqueles que o combateram no passado e mudaram a soldo presente, as palavras de Ferrugem devem ter soado mais atraentes. E, seja por simpatia gratuita ou em espécie, é natural que assim seja.

A quem tem um pouco mais de isenção, o que a entrevista revelou foi a aparente inversão dos atores em interpretações semelhantes de oposição e situação, após as urnas de outubro rearrumarem o palco da política goitacá. De fato, a impressão foi melhor definida numa resposta do próprio Ferrugem, ao dizer de outros o que poderia ser aplicado à fala de todos: “mudaram apenas os atores e mantiveram o roteiro”.

Assim, se os áulicos do garotismo pretendiam usar o trabalho alheio para justificar seu soldo, na defesa de quem agora tem que apresentá-la na Justiça, fizeram o que se pode denominar de “baldeação ideológica inadvertida”. O efeito foi colateral.

Em política, mídia e no simples lamber de botas, existem determinados “aliados” que valem por 10 opositores. Os áulicos a soldo do garotismo, não é de hoje, certamente são alguns deles.

 

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites
  • PDF
  • Technorati

1 comment to Por que cada áulico a soldo do garotismo vale por 10 opositores?

  • Carla

    Esse sujeito não tem vergnha na cara. Depois de ter sido secretário de Mocaiber e comandar uma guerra de guerrilha contra Garotinho, acabou tendo o passe comprado pelo antigo inimigo. Foi na reta final da última eleição municipal de Campos, quando recebeu para servir de ponte na aliança inconfessável de Garotinho e Caio Vianna.
    Agora vem dizer que Ferrugem deu uma surra em Fred na entrevista da Folha. Só que nos comentários do seu próprio site caça-níqueis, quem apanhou igual a boi ladrão foi Ferrugem. Como registrou lá o leitor Wanderson Barcelos: “Triste ver este rapaz um dos coordenadores do chequinho ta solto ainda e uma vergonha para nos campistas”.
    Confira: https://www.viuonline.com.br/a-surra-que-marcou-fred-machado/?fb_comment_id=1157305831058251_1157684744353693#f214a4ec26c14d8

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>