Opiniões

Carol Poesia — Quarta-feira de cinzas

 

(Reprodução)

 

 

Quarta-feira de cinzas

 

Luzes ainda coloridas.

Muita sujeira na rua.

A cidade dorme pesado.

O mar, de ressaca,

abre bocas de sono.

Não se vê nada.

Nem formiga.

Nem saúva.

Nem namorado.

Nem marido.

 

Só saudade

colorindo o fim de sexo ordinário.

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu