Opiniões

Reforma da Previdência — “Continua me enganando que eu continuo te amando”

 

Recorte superior a capa da Folha de hoje (16), com os flagrantes fotográficos feitos pelo repórter-fotográfico Paulo S. Pinheiro, do protesto contra a reforma da Previdência, que ontem interditou o trânsito nas BRs 101 e 356 em Campos

 

 

Jornalista, poeta e artista plástico, Martinho Santafé é um campista da gema radicado há anos em Macaé. Com sólida formação política de esquerda, mas livre dos dogmas quase religiosos que engessam o ideário canhoto no Brasil, ele fez uma postagem sobre as manifestações de ontem (15), organizadas por sindicatos em todo o país, inclusive Campos, contra a reforma da Previdência.

Aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, e na transcrição abaixo, a observação lúcida do Martinho:

 

 

 

 

Protestar é saudável para a democracia. Mas é bom lembrar que a reforma da Previdência foi considerada fundamental para o equilíbrio das contas públicas ainda no governo Dilma e uma proposta — muito semelhante à atual do governo Temer — chegou a ser elaborada pelo ministro Nelson Barbosa. Só não foi para o Congresso por causa da absoluta falta de diálogo entre o governo e as lideranças políticas.

Aliás, ainda no governo Lula, o assunto também foi levantado, mas o viés populista do presidente falou mais alto. Embora sempre tenha levado a fama de ser um político pragmático.

O resto é ficção de setores retrógrados da esquerda para tentar legitimar a candidatura de Lula.

Tipo assim: “Continua me enganando que eu continuo te amando!”

 

Este post tem um comentário

  1. Por falar em “hipocrisia governamental” e a polêmica que envolve a Reforma da Previdência, quero aproveitar pra falar de uma “hipocrisia” em menor escala, mas que também é governamental: Trata-se da “bandalha” dos transportes clandestinos em pleno centro da cidade.
    Carros de todos “os tipos e modelos”, continuam transportando passageiros, e senão nos mesmos lugares de sempre, 5 metros depois. Às 10:32, hoje, dia 17 de março, tinha Doblò superlotado inclusive com passageiros “em pé”, fora “Gols”, “Escorts”, “Monzas”, “Santanas”, tudo aos montes pela Av. XV de Novembro, parados em lugares irregulares, idem, até nas poucas vagas na frente do Banco do Brasil, na Praça São Salvador!

    Os “transportadores” não estão nem aí, se estão atravancando o trânsito, se sequer respeitam os semáforos abertos, porque não se mexem até que seus carros estejam cheios! Na Carlos de Lacerda de sempre, o motorista do Doblò pouco se incomodou se o sinal abriu duas vezes, ele não se moveu, atrapalhando todo o trânsito para trás!

    Pergunto: Qual a moral da Guarda Civil em aplicar multa no cidadão que comete alguma infração, se a mesma Guarda Civil faz vista grossa para faltas tão graves e com tanto potencial de risco, como é o caso destes “carros de lotada”? Se as ditas “vans regulamentadas” já fazem os absurdos e abusos que todos conhecemos, o que dizer destas “lotadas” com gente até sem habilitação e transportando passageiros com tal nível de risco?

    __Será que tudo vai continuar IGUAL a administração do “governo” anterior? Já começo a reavaliar se fiz o correto em dar tanto apoio e ênfase ao governo atual.

Deixe uma resposta

Fechar Menu