Opiniões

Abandono: roubo de bombas deixa Casa Ecológica da Uenf sem água

 

(Reprodução)

 

(Reprodução)

 

(Reprodução)

 

 

Se alguém ainda duvida que a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) é hoje o retrato do abandono, a madrugada de ontem para hoje raiou o dia sobre qualquer dúvida. Duas motobombas, no valor de R$ 8 mil foram roubadas dentro do campus Leonel de Moura Brizola. Elas serviam à Casa Ecológica, no Prédio nº 5 (P5) da universidade, atrás da agência do Bradesco, que agora está sem água em meio ao ano letivo. A segurança deveria ser feita pela Polícia Militar (PM) e a Guarda Civil Municipal (GCM) de Campos.

Os ladrões entraram pela av. São João da Barra, que fica atrás do campus, entre as comunidades do Matadouro e do Risca Faca. Segundo informou o coordenador do Núcleo de Energias Alternativas da Uenf, o engenheiro agrônomo José Carlos Mendonça, as duas motobombas roubadas eram utilizadas na explotação, filtragem e tratamento da água, com qualidade, para os cerca de 3 mil visitantes anuais da Casa Ecológica:

—  Agora não temos água. Estamos em meio ao semestre letivo e o espaço da casa, que conta com um auditório de 50 lugares, onde eventos institucionais e defesas de teses e reuniões sãos periódicas. Tudo fica comprometido, por não termos água.

O coordenador explicou ainda que, no local onde funcionavam as bombas, a Uenf tinha um sistema de captação e tratamento de água inovador, que é objeto de patente em curso. “Só que não temos mais as motobombas, nem tratamento, nem água de qualidade para nossos visitantes”, lamentou.

Se o próprio secretário estadual de Fazenda, Gustavo Barbosa, já admitiu que “a situação do Estado do Rio é falimentar”, a Uenf parece ser a vítima preferencial. Desde outubro de 2015, a universidade na qual estudam 6,2 mil alunos, e considerada fundamental ao desenvolvimento de Campos e região, não conta com repasses de custo e manutenção, de cerca de R$ 2 milhões mensais, previstas no Orçamento. A situação levou o reitor da Uenf, professor Luis Passoni, a admitir:

— Se ainda estamos funcionando é única e exclusivamente por mérito dos servidores e de empresas parceiras, que vão muito além das obrigações contratuais para continuarem a fornecer produtos e serviços indispensáveis ao nosso funcionamento.

Sem verba de manutenção há um ano e meio, a Uenf funciona com servidores que ainda não receberam o 13º de 2016, nem os salários de março, correndo o risco do mesmo acontecer em abril. Já os bolsistas estão há dois meses sem receber.

 

Este post tem 3 comentários

  1. Enquanto isso os ilustres ministros do STF confiscam dos cofres do estado, valores para pagar salários dos funcionários públicos da justiça estadual!!!!

  2. “Farinha pouca ,meu pirão primeiro “

  3. Quem rouba patrimônio público rouba a si mesmo.

Deixe uma resposta

Fechar Menu