Opiniões

Todos que construíram a Uenf dependem só de você, leitor

 

Charge do José Renato publicada hoje (30) na capa da Folha da Manhã

 

 

 

 

Construção do sonho

Amigo pessoal de Moreira Franco (PMDB), foi o jornalista Aluysio Cardoso Barbosa (1936/2012) quem articulou nos bastidores com o então governador do Rio para que este assinasse, no auditório do Auxiliadora, o ato de criação da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf). Era 8 de novembro de 1990. Mas a implantação da universidade só se viria em 1993, no governo estadual seguinte, de Leonel Brizola (1922/2004), depois que o antropólogo Darcy Ribeiro (1922/97) tomou para si o projeto.

 

Defesa do sonho

Nos últimos 24 anos, do sonho encampado desde os anos 1960, quando Finazinha Queiroz (1887/1970) doou a Villa Maria em testamento à instalação futura de uma universidade pública em Campos, muitas foram as contribuições para que a Uenf se tornasse uma realidade. Nesta edição, passando pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), a prefeitos, presidente de Câmara Municipal, deputados, professores e alunos, a Folha deixa claro a você, leitor, que não se defende os sonhos de uma cidade e uma região sem luta. E esta só será exitosa com a sua participação.

 

Avaliação do governo Rafael

Os primeiros meses do governo Rafael Diniz (PPS) foram bem avaliados pela população campista, segundo pesquisa DSPC, realizada entre 22 e 24 de março, revelada (aqui) na edição de ontem da Folha. Mais que o momento do governo, a percepção da população sobre o atual gestor é muito positiva e ainda maior é a expectativa sobre um bom trabalho ao fim dos quatro anos da administração. Números que podem até encher o ego do político, mas que lhe impõe um fardo de responsabilidade ainda maior perante a população.

 

Muito bom, bom, regular

Somados os índices muito bom (4,63%), bom (36,17%) e regular (41,22%) acerca do governo Rafael Diniz, a avaliação positiva chega a 82%. Considerar a avaliação de governo “regular” como parte dos índices de aprovação costuma ser questionável por especialistas em pesquisas. No entanto, a leitura ampliada da pesquisa um apoio popular relativamente independente do próprio governo. Permeiam entre os que consideram a gestão regular aqueles que avaliam positivamente a imagem do prefeito em diversos aspectos.

 

Grau de confiança

No disco “grau de confiança no prefeito”, por exemplo, apenas 9,15% dos entrevistados, um universo de 1.000 moradores de Campos, disseram não confiar. Número distante daqueles que disseram confiar muito (24,19%), dos que dizem confiar razoavelmente (44,96%) e até dos que confiam pouco (17,03%). Não é difícil a leitura que o prefeito possui um apoio popular que, relativamente, independe do governo.

 

Aposta alta

Segundo a pesquisa, a aposta no governo Rafael Diniz é alta. A cada quatro moradores de Campos, três acreditam que ao término dos quatro anos da atual gestão a avaliação será muito boa (21,03%) ou boa (53,94%). Não chega a 5% os que acreditam que a gestão terá um desfecho ruim (2,63%) ou péssimo (2,21%). Nessa projeção, 16,93% apostam que será regular.

 

Avaliação pessoal

O prefeito Rafael Diniz foi bem avaliado na pesquisa DPSC em todos os aspectos da pesquisa: modernidade, tomada de decisões, trabalho sinceridade e honestidade. Em todos os casos, o prefeito ficou acima dos 60% e em alguns bateu os 70%. Isso é traduzido claramente em um índice não revelado pela edição de ontem da Folha: 83,18% dos entrevistados apostam que a tendência do governo Rafael é melhorar, ante apenas 8,10% que dizem que pode piorar.

 

Avaliação setorial

A pesquisa DSPC também traz a análise da população em diversos setores da administração: saúde, educação, transporte público, infraestrutura de trânsito, limpeza pública, segurança e programas sociais. Os números das avaliações setoriais serão revelados pela Folha nas próximas edições.

 

Com a colaboração do jornalista Arnaldo Neto

 

Publicado hoje (30) na Folha da Manhã

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu