Campos dos Goytacazes,  22/09/2017

 

por Aluysio Abreu Barbosa

Ameaça das vans ao presidente do IMTT é coisa de bandido

 

 

 

 

Ameaça de morte

Não há dúvida que são vários problemas a se enfrentar em Campos. Mas alguns deles, como o transporte alternativo na cidade, têm tomado proporções alarmantes. E, ontem, passou de uma questão administrativa a caso de polícia. O presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transportes (IMTT), Renato Siqueira, foi ameaçado de morte por um marginal travestido de cobrador de van. Insatisfeito com a fiscalização sobre seu veículo, numa operação de rotina, ele foi à sede do IMTT, procurou, mas não achou Renato, para quem deixou um recado com outros funcionários: “Sorte dele, que vai ganhar mais algumas horas de vida”.

 

Ameaça a todos

A verdade é que o transporte clandestino tomou conta da cidade nos oito anos da gestão Rosinha Garotinho (PR), como já havia feito no Estado, quando o casal da Lapa o governou. Não é segredo a ninguém que essa atividade ilegal está ligada às milícias. Esse tipo de relação promíscua foi, inclusive, explorada no popular filme “Tropa de Elite 2” (2010), de José Padilha. Na vida real, quem dirige em Campos e já não foi hostilizado e ameaçado por um motorista ou cobrador de van e lotada, muitos deles armados? Para tanto, basta reclamar de um deles parado no meio da via pública, impedindo o trânsito, diante do sinal aberto.

 

Problema de Segurança Pública

Renato Siqueira é arquiteto e urbanista, que teve projeção na vida pública ao apontar intervenções urbanas equivocadas no governo Rosinha. Foi também presidente do Observatório Social de Campos, do qual se licenciou para assumir o IMTT. Respeitado tecnicamente, é tido como duro, sem jogo de cintura político. Exatamente como tem que ser para o tipo de função que desempenha. Ontem, quando prestou queixa na 134ª DP da ameaça que sofreu, ele deu bem a dimensão do desafio, não dele, mas do município: “O transporte alternativo em Campos não é um problema de mobilidade. É de Segurança Pública”.

 

Coisa de bandido

Para quem acha que existe algum exagero na constatação do presidente do IMTT, o cobrador da van que foi ao seu trabalho, numa instituição pública, para lhe dar “mais algumas horas de vida”, o fez porque trabalhava num veículo com motor adulterado. Era uma Van Peugeot que fazia a linha Nova Brasília x Centro, cuja autorização do permissionário havia sido “terceirizada”, como costuma acontecer nesse tipo de atividade. Durante a perícia foi constatado que o motor do veículo, usado para o transporte de passageiros, havia sido roubado no município fluminense de Rio Bonito. Parece coisa de bandido. E de fato é.

 

Joilson e Mérida

Presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Campos, o empresário Joilson Barcelos procurou ontem a coluna para transmitir seu desagrado com as duas últimas notas da edição de ontem. Elas davam conta (aqui) dos dois ônibus que a CDL local quer levar ao hotel Le Canton, em Teresópolis, para a Convenção da Federação das CDLs, entre 25 e 27 deste mês. A coluna informou que o objetivo extraoficial da caravana é lançar a pré-candidatura do campista Marcelo Mérida, presidente da Federação, a deputado federal. Joilson negou, mas nas redes sociais onde as notas viralizaram, Mérida disse que pretende, sim, se lançar em 2018.

 

O custo

Menos pelo objetivo político da caravana, o interesse pelas notas do “Ponto Final” se deu pelo seu custo e por quem pagará a conta. A coluna falou em R$ 70 mil, bancados pela CDL-Campos. Joilson não confirmou a cifra, mas admitiu que a entidade pretende arcar não só com o transporte, como parte da hospedagem — despesa custeada pelos participantes em gestões anteriores.  O objetivo seria tentar unir e estimular a classe num momento de crise econômica. Mas como boa parte dos quase dois mil associados da entidade em Campos não sabiam que estavam pagando a conta, houve quem não tivesse gostado quando passou a saber.

 

Negativas

Joilson também negou que o objetivo do seu grupo, na política de classe, seja eleger Orlando Portugal, ex-secretário municipal do governo Rosinha Garotinho (PR), como seu sucessor. Certeza, no entanto, só se terá no final do ano, quando ocorre a eleição da CDL goitacá, com apresentação da(s) chapa(s) uma semana antes. Por sua vez, Mérida disse nas redes socais que não está mais filiado ao PSDB, ao contrário do que a coluna afirmou ontem. Ele garantiu ainda que não é um pré-candidato rosáceo. Pelo resultado não só das últimas eleições a prefeito da cidade, como da OAB-Campos, parece ser uma sábia decisão.

 

Publicado hoje (17) na Folha da Manhã

 

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites
  • PDF
  • Technorati

10 comments to Ameaça das vans ao presidente do IMTT é coisa de bandido

  • Marcos Paulo

    “Respeitado tecnicamente, é tido como duro, sem jogo de cintura político.” Se fosse assim com os onibus, não exitiriam vans e ônibus não seriam velhos e sem horários fixos… Quero ver fazer “operações de rotina” em torno do colegio do auxiliadora… Ai será respeitado pela maioria da população de Campos… Ou em torno do auxiliadora não tem carros com BA, IPVA atrasado, fila dupla (isso claro que não)… Responde ai rafael…

    • Aluysio Abreu Barbosa

      Caro Marcos Paulo,

      Concordo que a qualidade da frota dos ônibus e o cumprimento dos horários, assim como o movimento na frente de todos os colégios, não só no Auxliadora, durante a entrada e saída de aula, merece uma maior fiscalização por parte do IMTT. Mas existe uma diferença abissal: qtos dos motorista e trocadores dos ônibus, ou dos estudantes e seus pais são ligados à milícia? Qtos deles trabalham (ou estudam) armados? Qtos deles transitam em veículo com motor roubado em outro município? Qtos deles teriam a petulância de ir a uma instituição pública para ameaçar a vida de quem fez nada mais do que cumprir sua função? Responde aí, Marcos Paulo…
      Diante da obviedade da resposta, fica a certeza da definição do Renato Siqueira: “O transporte alternativo em Campos não é um problema de mobilidade. É de Segurança Pública”.

      Abç e grato pela chance das distinções!

      Aluysio

      • Marcos Paulo

        “Qtos deles transitam em veículo com motor roubado em outro município?”, ai já é caso de policia… Do caso do diginissimo secretario ser tão (trecho excluído pela moderação) Campos mudou da agua para o vinho. Por que?? Responde ai…

  • Leandro

    Caro Aluysio, concordo em partes com seu discurso, mais se investigar a fundo vai ver que nem todos as vans fazem parte de milicias, garanto que tem muitos pais de familia que trabalham honestamente. Sei que podem haver sim casos citados por você, mais quem garante que não existe um lado obscuro das empresas de ônibus que prestam serviços, que por sinal de péssima qualidade no município? e claro, existem bons motoristas e cobradores honestos!

    Se é para fiscalizar, que seja em todas as áreas do transporte publico da cidade. não adianta só tirar as vans, tem que suprir a demanda com transporte digno a toda a população.

    Só pra refletir!!!!

    • Aluysio Abreu Barbosa

      Caro Leandro,

      Certamente há muitos país de família que trabalham honestamente no transporte de vans. Mas nenhum deles o faz sem a submissão às regras impostas pelas milícias, que controlam a atividade. Por mais lados obscuros que tenham as empresas de ônibus, como prova o caso sendo investigado com o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), elas pagam os encargos sociais dos seus trabalhadores e cumprem a gratuidade da passagem para estudantes e idosos, bem diferente do que ocorre com vans e lotadas.
      Mas concordo com a sua reflexão: “Se é para fiscalizar, que seja em todas as áreas do transporte publico da cidade. Não adianta só tirar as vans, tem que suprir a demanda com transporte digno a toda a população”.

      Abç e grato pela participação!

      Aluysio

  • Outro dia eu falei que os donos das vans estao se sentindo o rei da cocada, o que tem que ser feito e colocar uma empresa de peso igual foi feito em Macae, que colocou a 1001 so assim acaba essa desordem.Todos vao ter um transporte de qualidade

  • Christiano

    É a pior linha de vans do município…uma desordem, Nova Brasília e Penha – Pecuária…,motoristas que andam o tempo todo dirigindo com o celular ao ouvido, ignorantes, mal – humorados, vans caindo de podre, quando não andam quase parando, correm feito uns loucos para disputar passageiros! E se a gente falar alguma coisa tá arriscado ainda apanhar! Por que havia um que andava com um facão embaixo do banco dele. Estou falando sério! Mas infelizmente esta semana eu contei…passou 1(um ônibus)…lotadooo…e logo em seguida passaram 4(quatro) vans…aí o povo faz o quê? Muitas vezes não temos escolha! Engraçado…no governo anterior a bandalha se instalou… e no governo atual vai continuar?

    • Aluysio Abreu Barbosa

      Caro Christiano,

      A despeito das ameaças à sua própria vida, o Renato Siqueira está tentando colocar ordem na banadalha que se instalou no transporte coletivo de Campos durante os oito anos da gestão Rosinha. Por isso mesmo vale a pena apoiá-lo.

      Abç e grato pela participação!

      Aluysio

  • Sandra Maria T Santos

    Bravo e apoiado Aluysio.Sou fã do Renato pelo trabalho desenvolvido por ele .Por exemplo atravesso a cidade inteira em 5min pela manhã numa onda verde .Agora quase não encontramos sinais fechados .Com criatividade ele está dando um jeito no caos .Parabens Renato Siqueira!!!!

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>