Opiniões

Diretor-geral da ANP determina slogan: “Mais royalties, mais empregos”

 

Reunião de agora há pouco, entre o diretor-gerar da ANP, Décio Oddone (quarto da esq. à dir.), com representantes dos municípios produtores de petróleo (Foto: Divulgação)

 

 

“Mais royalties, mais empregos”. Este, segundo o diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Décio Oddone, deveria ser o slogan da campanha que busca incrementar a extração de petróleo nos campos maduros (com produção em curva descendente) da Bacia de Campos. Em reunião encerrada agoora há pouco, no Rio, o diretor-geral da ANP disse aos representantes do governo estadual e de seis municípios produtores que considerou “infeliz” o slogan “Menos royalties”, utilizado na campanha do prefeito de Macaé, Dr. Aluizio (PMDB).

Oddone explicou que a negociação pela diminuição de royalties poderia se dar apenas sobre o excedente da produção dos 24% geralmente extraídos de cada jazida petrolífera, e que os contratos vigentes serão respeitados.  Ele garantiu que nada será feito sem uma ampla discussão com os municípios e o Estado do Rio, em rodadas técnicas de negociação, sobretudo na definição dos campos maduros, e com audiências públicas. Uma reunião entre todos os atores envolvidos foi pré-agendada para outubro, mas com data e local ainda a definir.

A reunião na ANP, na tarde de hoje, se seguiu a uma realizada (aqui) no final da manhã, no Palácio Guanabara, entre os representantes de seis municípios produtores da região com Christino Áureo (PTN), secretário estadual da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico. Ele aposta nas isenções ficais do Repetro (regime aduaneiro especial de exportação e importação de bens destinados à exploração e à produção de petróleo e de gás natural) como alternativa à possibilidade de redução de royaties.

Participaram das duas reuniões o prefeito de Campos, Rafael Diniz (PPS); de São João da Barra, Carla Machado (PP); e de Quissamã, Fátima Pacheco (PTN). Os municípios de Búzios, Casimiro de Abreu e Caparebus também enviaram representantes: o vice-prefeito buziano Carlos Henrique Gomes (PP), o procurador-geral casemirense Eduardo Castro e o subprocurador-geral carapebuense Ivan Lessa. Na encontro na ANP,  governo fluminense se fez representar por Paula Martins, subsecretária estadual de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e de Petróelo e Gás.

 

Leia a cobertura completa do assunto na coluna “Ponto Final” da edição de amanhã (01/09) da Folha da Manhã 

 

Este post tem um comentário

  1. Tinha que ser ! Mais eficiência , menos dependência…

Deixe uma resposta

Fechar Menu