Opiniões

Alexandre Bastos — Olho por olho, dente por dente?

 

 

 

Hamurabi, rei da Babilônia, foi o autor de 282 leis, que ficaram conhecidas como Código de Hamurabi, baseadas na lei de talião, pena antiga pela qual se vingava o crime impondo ao delinquente o mesmo dano ou mal que ele praticava. Olho por olho, dente por dente, era a base de qualquer justiça. E até hoje, movidos pelo sentimento de vingança, há quem defenda esta maneira de resolver algumas questões.

Ao ler todas as notícias sobre o ex-governador Anthony Garotinho (PR) na prisão, surgiu uma indagação: o que ele faria se fosse um de seus adversários na cadeia? Como ele reagiria ao ver um inimigo atrás das grades? Nem é preciso pensar muito para responder, já que horas antes de ser preso, Garotinho debochou dos antigos aliados de PMDB e cobrou uma “faxina geral”.

E agora, com Garotinho atrás das grades e vivendo situações bem controversas na cadeia, como seus adversários devem proceder? É lógico que todos devemos esperar que a Justiça seja feita e ele pague pelos eventuais crimes cometidos. Mas é importante lembrar dos seus filhos, netos e sobrinhos que acompanham estes episódios. O mesmo Garotinho que no início deste ano usou a morte de uma mulher pelas costas, diante da filha, para fazer ilações e atacar um adversário, não merece ser atingido neste mesmo nível.

Durante a sua busca insana pelo poder, Garotinho ficou conhecido por não poupar ninguém e jogar baixo. Já atingiu ex-amigos, irmão e muitos ex-aliados. Para ele vale tudo: insinuações sobre a vida pessoal, opção sexual e ameaças com dossiês. Em 2008, quando secretários do então prefeito Alexandre Mocaiber foram presos pela Polícia Federal, ele estimulou a ida de aliados para o aeroporto. O objetivo era insultar os presos com todos os xingamentos possíveis. Naquela ocasião, um dos aliados de Garotinho chegou a cuspir no então procurador do governo Mocaiber. Em uma emissora de rádio, Garotinho transformou a operação “Telhado de Vidro” em um show e fez questão de pisar em cada um dos acusados.

O atual momento do casal Garotinho deve estimular mais reflexão do que sentimento de vingança. Afinal de contas, vale tudo pelo poder? O pastor Caio Fábio, que batizou Garotinho em 1994, após um acidente de carro, lembra que ele se desviou do seu caminho poucos meses após alcançar o governo do estado, em 1998. “Em três meses já era possível notar que ele estava completamente cego pelo poder. Andava bem próximo ao Eduardo Cunha e as negociações eram bem pesadas. Avisei que isso ia destruir a vida dele, ia comer a alma dele”.

Mesmo conscientes de todo mal que ele fez e da sua natureza maquiavélica, devemos evitar o sentimento de vingança. Até porque, como ensinava o imperador romano Marco Aurélio, a melhor a melhor forma de se vingar de um adversário é não se assemelhar a ele.

 

Este post tem 2 comentários

  1. Esta é uma das três áreas que não vencida leva o homem ao fundo do poço “Poder”, realmente é lamentável… briga de irmãos pelo “poder”, briga em família pelo poder, mídia, pessoas, aliados, ex-aliados, tudo pelo poder, uma das maiores cobiças humanas, Garotinho começou errado, tendo sobre a sua cabeça a mão do ex-reverendo Caio Fábio, (Vide Dossiê Cayman: Caio Fabio é preso
    “Eu mesmo estava absolutamente certo que esse era um processo vencido há muito tempo e acabado.”, afirmou pastor.) quem sou eu para julgar?… a história de cada um, fala dos seus atos e atitudes). Ainda bem que Cristo veio para pessoas como ele e eu, imperfeitas, porém sem arrependimento não há perdão de Deus, por isso oro pelos vivos, mesmo que estejam mortos espiritualmente, lamentável ve4 que toda política do Brasil está corrompida, de Brasília aos municípios, acompanho a história política de Campos a praticamente 50 anos, nada mudou nestas cinco décadas, só a forma mais aprimorada do levar vantagem em tudo como o resto da nação, isto é algo já emblematizado no caráter do “cidadão” se cada comentário que fizermos realmente olhássemos para dentro de nós mesmos, teríamos vergonha.
    Quando falo para as pessoas, digo que todos nós temos muito de ruim ainda em nosso eu, quem nunca apanhou um doce antes da distribuição na festa ao sair antecipadamente? Quem nunca se conteve de levar alguma vantagem? A Bíblia chá essas pessoas de ladrão, é isso é pecado, é errado, independente do que nos apoderamos sem nos ser entregues de forma dativa.
    O maior pecado da nação foi exposto quando não estávamos ainda preparados para a liberdade de expressão e outros, que acabou se transformando em libertinagem, com isso, os valores dos nossos avós foram jogados na lixeira do esquecimento e cada um agora com a vergonha e moral distorcida, perdeu os valores de família, por isso, assim como os que estão nos presídios e devem pagar pelos seus atos, não tiveram a mínima preocupação com sua descendência, descendência essa que talvez também já esteja enferma, contaminada pela ânsia do poder…!!!
    A mim, resta orar por eles, para que esta “maldição” seja expurgada do sério das famílias brasileiras é isso só com amor 3 temor a Deus, realmente, quem nunca pecou, que atire a primeira pedra, mas, a Pavta de Deus diz: “Vá, e não peques mais.”

  2. A mim, resta orar por eles, para que esta “maldição” seja expurgada do seio das famílias brasileiras, e isso, só com amor e temor a Deus, realmente, quem nunca pecou que atire a primeira pedra, mas, a Palavra de Deus diz: “Vá, e não peques mais.”

Deixe uma resposta

Fechar Menu