Campos dos Goytacazes,  13/12/2017

 

por Aluysio Abreu Barbosa

Entrevista de Lula ao Grupo Folha viraliza na mídia nacional

 

Entrevista exclusiva do ex-presidente Lula ao Grupo Folha, na manhã de hoje, no hotel Ramada (Foto: Diomarcelo Peçanha)

 

 

Concedida na manhã de hoje (06) ao Grupo Folha da Manhã, a entrevista (aqui) do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) viralizou rapidamente na mídia nacional. Além do Estadão (aqui), trechos a entrevista de Lula transmitida ao vivo na Rádio Continental, na Folha 1 e na página oficial do presidenciável no Facebook, foram repercutidos na Folha de São Paulo, Carta Capital, Portal UOL, Gazeta do Povo, Valor Econômico, Jornal do Brasil, Brasil 247 e InfoMoney.

Confira abaixo as várias aborgadens da entrevista feitas pela mídia nacional:

 

Acho que Moro é surdo e não ouve o que eu falo, diz Lula

Por Catia Seabra

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta quarta-feira (6), que se sente indignado com a Operação Lava Jato.

Em entrevista à rádio Continental AM, em Campos, no Rio de Janeiro, Lula afirmou que a Lava Jato produz prejuízos ao trabalhador ao punir empresas, em vez da pessoa física.

Questionado se não teria dito isso ao juiz Sergio Moro, Lula respondeu que sim. “Acho que o Moro é surdo. Não ouve o que falo”, afirmou.

 

Publicado aqui na Folha de São Paulo

 

 

 

“O mercado precisa aprender a viver com o trabalho da nação”, diz Lula

 

Na manhã desta quarta-feira 6, em entrevista à rádio Continental, o petista voltou ao tema. “Não existe nenhuma possibilidade de o Brasil virar uma grande potência econômica sem investir em educação”, afirmou. “Não vamos virar potência exportando minério ou soja. Precisamos exportar produtos com valor agregado e isso só vem com conhecimento, educação. Por isso educação é investimento, não é gasto”, disse.

Sem mencionar nomes, Lula falou sobre a situação econômica do Rio e lamentou que um “povo tão fantástico” tenha sido “traído” por seus políticos. Atualmente, três ex-governadores fluminenses estão presos por corrupção, entre eles Sérgio Cabral (PMDB), que teve uma aliança duradoura com Lula e foi condenado três vezes na Operação Lava Jato.

 

Publicado aqui na Carta Capital

 

 

 

“Leio todo dia que já estou condenado”, diz Lula sobre a segunda instância

Por Nathan Lopes

 

Pré-candidato do PT ao Planalto em 2018 e líder nas pesquisas eleitorais, Lula pode ficar inelegível, com base na lei da Ficha Limpa, caso a Oitava Turma confirme a condenação de Moro. Lula também poderá passar a cumprir sua pena, em regime fechado, a partir do julgamento dos três desembargadores no caso de condenação.

Em entrevista à rádio Continental, de Campos dos Goytacazes (RJ), no norte fluminense, ex-presidente afirmou não se preocupar em relação a essas possibilidades porque, caso contrário, não conseguirá dormir. “Quando cai na mão desse juiz Gebran, eu estou lendo todo dia que eu já estou condenado. Eu leio todo dia que eu já estou condenado. Então eu prefiro deixar ele fazer o serviço dele, ele ter responsabilidade”, disse.

Sobre Moro, Lula disse que acha que o juiz federal da primeira instância é “surdo”. “Ele não ouve o que eu falo”.

A entrevista de Lula foi feita em meio a caravana do petista pelos Estados do Espírito Santo e do Rio de Janeiro.

 

Publicado aqui no UOL

 

 

 

Moro surdo

Por Kelly Kadanus

 

O evento em Campos não foi a única ocasião em que o ex-presidente alfinetou Moro. Durante uma entrevista à rádio Continental AM, em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, Lula afirmou que a Lava Jato produz prejuízos ao trabalhador ao punir empresas, em vez da pessoa física.

Questionado se não teria dito isso ao juiz Sergio Moro, Lula respondeu que sim. “Acho que o Moro é surdo. Não ouve o que falo”, afirmou. Ao falar que existe uma campanha para impedir sua volta à Presidência, Lula negou que o juiz seja seu idealizador. “Moro é o instrumento”, afirmou o petista. “Tenho indignação com o comportamento da Lava Jato”, completou.

 

Publicado aqui na Gazeta do Povo

 

 

 

Lula: “Acho que o Moro é surdo e não ouve o que eu falo”

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, nesta quarta-feira (6), que se sente indignado com a Lava-Jato. Em entrevista à rádio Continental AM, em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, Lula afirmou que a operação produz prejuízos ao trabalhador ao punir empresas, em vez da pessoa física.

Questionado se não teria dito isso ao juiz Sergio Moro, Lula respondeu que sim. “Acho que o Moro é surdo. Não ouve o que falo”, afirmou.

Ao falar que existe uma campanha para impedir sua volta à Presidência, Lula negou que o juiz seja seu idealizador. “Moro é o instrumento”, afirmou o petista.

 

Publicado aqui no Valor Econômico

 

 

“Acho que Moro e surdo e não ouve o que eu falo”, diz Lula

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira (6), em entrevista à Rádio Continental AM, em Campos de Goytacazes, no Norte Fluminense, que a Operação Lava Jato produziu muitos prejuízos, ao punir empresas e causar desemprego, em vez de punir os empresários.

“Quanto mais pobreza e desemprego houver, mais vai aumentar a violência. Se você der condições para as pessoas trabalharem, elas não vão assaltar. Tem um cidadão que acha que vai acabar com a violência dando arma, eu quero dar emprego”, disse o ex-presidente.

Lula, que está no Rio de Janeiro para dar continuidade à sua caravana por diversos estados brasileiros, contou que já disse isso ao juiz Sergio Moro, mas “acha que Moro é surdo”. “Não ouve o que eu falo”, criticou o ex-presidente.

O petista negou que Moro seja o idealizador de uma campanha para impedir sua candidatura à Presidência da República e seu retorno ao Palácio do Planalto em 2018. Segundo ele, “Moro é o instrumento”. “Tenho indignação com o comportamento da Lava Jato”, acrescentou Lula, cuja caravana passa pelo Rio de Janeiro até esta sexta-feira (8).

 

Publicado aqui no Jornal do Brasil

 

 

 

Lula: “Se quiserem que eu não vença, apresentem um candidato”

 

Em entrevista à Rádio Continental, de Campos dos Goytacazes, Lula disse nem que Temer desfrutasse de altíssima popularidade perante o povo poderia estar fazendo o que faz. “Você não pode ter um presidente da República governando para meia dúzia de pessoas. Nenhum presidente que tivesse sido eleito com 99% dos votos teria a desfaçatez para fazer isso que o Temer está fazendo. Ele está entregando para o golpe algo com que o povo jamais concordaria”, afirmou.

Lula criticou também a condução da economia pelo governo e o reflexo da operação Lava Jato na eliminação de milhares de empregos no País. “Você não pode matar quem gera emprego, a indústria naval, a indústria de engenharia nacional. Quem assume a responsabilidade por milhares de pais de família que não sabiam que o patrão estava roubando e foram mandados embora porque o patrão roubou?”, questionou.

“Você acha que alguém irá implantar uma fábrica em Campos se não houver consumo para os produtos que ele quer fabricar? As duas coisas caminham juntas. Só haverá produção se você tiver consumo”, acrescentou.

Na entrevista, Lula também desafiou seus adversários numa eventual campanha eleitoral. “Se quiserem que eu não vença as eleições, que tenham coragem de se juntar e apresentar um candidato para concorrer. Esse país não aceita que cortador de cana possa virar advogado ou diplomata. Eu já perdi três eleições, voltei tranquilo pra casa, não xinguei ninguém, não fiz passeata, não tentei anular as eleições como fez o Aécio e nem plantei ódio no país. Se eu for derrotado nas urnas, voltarei pra casa pra lamber minhas feridas”, disse o ex-presidente.

 

Publicado aqui no Brasil 247

 

Maior problema do Brasil não é a Previdência, diz Lula

 

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou na manhã desta quarta-feira, 6, em Campos, em entrevista à rádio Continental AM, que o maior problema do País hoje não é a Previdência, como sustenta o governo do presidente Michel Temer, que luta para aprovar a medida na Câmara dos Deputados antes do fim deste ano. O petista está realizando essa semana mais uma etapa de sua caravana, agora no Rio de Janeiro.

Segundo o ex-presidente, em sua gestão no governo federal, quando se criava empregos e os salários aumentavam todos os anos, “a previdência era superavitária”.

“Acho que o PT tem a clareza que minha volta à Presidência (da República) pode fazer com que o povo volte a sonhar, porque não é possível que alguém ache que o maior problema do Brasil é a Previdência”, disse ele.

Para o ex-presidente da República, virtual candidato às eleições gerais do ano que vem, “se o povo não tem dinheiro para comprar, por que as empresas vão produzir, empregar?”

No seu entender, as duas coisas caminham juntas, portanto, só haverá produção se houver consumo. “O Brasil tem um mercado de 207 milhões de pessoas. Gente ansiosa pra comprar, mas que hoje não tem dinheiro. Se tiver produtos a preços compatíveis, as pessoas vão comprar.”

Gás de cozinha

Na entrevista, Lula disse ainda que ficou oito anos na presidência e não aumentou o gás de cozinha uma única vez.

E continuou: “O Temer, em sete meses, já aumentou 68%. Tem lugar do País onde o gás já está custando R$ 105. É um produto da cesta básica. Não pode ser aumentado desse jeito.”

Mercado financeiro

Em outro trecho da entrevista, Lula destacou a influência do mercado financeiro e o atual momento de rejeição de representantes deste setor ao seu nome na disputa pelas eleições de 2018. “Dizem que o mercado é meu adversário, mas os empresários ganharam dinheiro no meu governo. O mercado precisa aprender a viver com o trabalho da nação.”

Mais críticas

Lula voltou a criticar o presidente Michel Temer, ao dizer que “nenhum presidente que tivesse sido eleito com 99% dos votos teria a desfaçatez para fazer o que Temer está fazendo, entregando para o golpe algo com que o povo jamais concordaria”.

 

Publicado aqui pelo InfoMoney

 

Atualizado às 16h27 para acréscimo de repercussões

 

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites
  • PDF
  • Technorati

5 comments to Entrevista de Lula ao Grupo Folha viraliza na mídia nacional

  • Jaci Capistrano

    Só tem mídia esquerdista.

    Bolsonaro vem aí para distribuir as verbas de forma justa.

  • Sandra

    A que ponto chegamos!! Não sei se rio ou choro!! Triste país o nosso! Venerando um criminoso!!!

  • Izaias

    Bolsonaro, virá para novamente retornar o toque à recolher (22:00 hs), só irá prender pobres, negros e gays, educação só para ricos e brancos. Gostaria que vcs mostrassem um projeto feito por ele, reconhecido nacionalmente. Com o Bolsonaro no governo, será o retorno da ditadura ainda mais cruel. Caso este homem ganhe as eleiçoes, guardem bem o que eu estou falando será o Ronald Trump do Brasil Quando a Dilma foi cassada eu falei que o povo iria ficar com saudades dela, é o que esta acontecendo. Gente,tenho até medo de identificar-me, porque se este cara vier a ganhar as eleições eu vou é estar lascado. Mas mesmo assim vamos lá !

  • Peixoto

    Se Moro, ouvisse o que fala… Pois tu é ladrão, safado.
    Tá dando sorte em esta solto, pois quem te julga, tu colocou, lá.
    Ladrão, safado. 7 dos setes…

  • Eu gosto da disciplina e da ordem tambem,meu voto e de Bolsonaro, rumo a vitoria 2018

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>