Opiniões

Folha 40 anos — Marcão Gomes

 

Advogado e presidente da Câmara de Campos, Marcão Gomes

Vida longa à Folha da Manhã

Por Marcão Gomes(*)

 

“O importante é o jornal e não o jornalista. O jornalista morre, mas se o jornal sobrevive, o imortaliza e mostra que seu trabalho não fracassou”. A célebre frase é do grande jornalista Aluysio Cardoso Barbosa, fundador deste jornal e falecido em 2012. Ela pode resumir o meu festejar pelos 40 anos de vida do jornal Folha da Manhã, que no último domingo, dia 8 de janeiro, completou 40 anos de existência. Uma data para ser lembrada e comemorada por todos nós campistas.

Seu fundador contabilizou em sua história de vida grandes conquistas e sempre esteve um passo à frente no jornalismo de sua época, legado esse trilhado com maestria pela família no comando das empresas de comunicação do Grupo Folha. São 40 anos de um jornal crítico, vibrante e corajoso. Aluysio começou na década de 60, cobrindo corridas de cavalo, pelo Jornal A Notícia, de onde se tornou editor geral, tendo destaque nas matérias sobre a cana, onde destacou o novo ciclo do açúcar e do álcool, passando ainda pelas cadeiras da Faculdade de Filosofia de onde também se tornou mestre.

É bastante lembrado também por sua passagem no Jornal do Brasil, onde começou como estagiário, mas foi crescendo, principalmente com os destaques das capas do Jornal, com vários ‘furos’, como a história da maior indústria brasileira do petróleo, contada através de seus vários textos que foram reproduzidos.

Acredito em um papel do jornalista como agente conciliador, gerador e modificador de contextos, mediante seu papel de transformação. Ele pode e deve criar melhorias para a sociedade e isso o jornal Folha da Manhã sempre procurou em suas páginas ao longo desses 40 anos de serviços prestados à população de Campos e região.

Em tempos de redes sociais que acabam banalizando a informação, temos que refletir qual o papel dos grandes meios de comunicação, o que eles têm feito para a melhoria da sociedade, e qual o papel que pode ser desempenhado pelos profissionais da comunicação na busca da igualdade entre as pessoas, principalmente no que diz respeito ao acesso à informação e aos bens gerados pela imprensa em geral. A informação apurada, checada e transmitida com correção é a base da credibilidade desfrutada pelo jornalismo. É esta credibilidade gerada deve ser o diferencial que torna a verdadeira imprensa indispensável em qualquer sociedade que deseja ser livre, democrática e bem informada sobre todos os assuntos.

Por fim, a todos os diretores e funcionários do Grupo Folha, deixo os meus sinceros votos de felicitações pela data marcante dos 40 anos de empreendedorismo e credibilidade da informação jornalística. Que os bons serviços prestados a nossa população continuem sendo uma marca registrada da Folha da Manhã.

 

(*) Advogado, vereador, presidente da Câmara de Campos e colaborador da Folha

 

Publicado hoje (09) na Folha da Manhã

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu