Opiniões

Argentina empata com a Islândia e Messi põe a barba de molho

 

Messi teve o pênalti defendido pelo bom goleiro islandês  Hannes Halldórsson (Foto: Albert Gea – Reuters)

 

Ontem, no empate Portugal 3×3 Espanha,  foi o dia (aqui) de Cristiano Ronaldo. Hoje, no empate Argentina 1×1 Islândia, não foi o dia de Lionel Messi. Se o atacante português fez três gols, de pênalti, bola rolando e cobrança de falta, o argentino perdeu um pênalti, cobrou faltas e tentou de tudo com a bola rolando, mas os caprichosos deuses do futebol simplesmente não lhe sorriram.

Bonito ver os fortes homens louros de uma pequena nação viking, com população menor do que o município de Campos, igualar o placar contra uma potência do futebol mundial. Dublê de goleiro e cineasta, o goleiro Hannes Halldórsson foi personagem de filme ao defender o pênalti de Messi, aos 19 do segundo tempo. Assim como passou à história do seu país o atacante Alfred Finnbogason, ao marcar o primeiro gol da Islândia em Copas do Mundo, aos 23 da etapa inicial, para empatar o placar aberto quatro minutos antes pelo argentino Sergio Agüero.

Ontem, após marcar o primeiro do seus três gols, Cristiano Ronaldo puxou (aqui) uma barbicha imaginária, numa referência à cabra — “goat” em inglês, abreviatura de “greatest of all time” (melhor de todos os tempos) — com que o craque argentino posou antes da Copa para uma revista dos EUA. Ao passar em branco hoje, Messi ostentava uma barba real. No contraste, melhor deixá-la de molho.

 

Este post tem 2 comentários

  1. O Brasil empatou com a Suissa e Neymar colocou os pés de molho.
    No sabão

    1. Caro Edi.

      Concordo. Entretanto, há uma diferença: a Argentina não parece ter outra solução, a não se apostar na individualidade de Messi. Para o Brasil, pelo contrário, a solução talvez seja tornar coletivas as iniciativas individuais de Neymar.

      Abç e grato pela participação!

      Aluysio

Deixe uma resposta para Edi cardoso Cancelar resposta

Fechar Menu