Opiniões

Debate das dores na perna de Neymar abafa questão do individualismo

 

Com corte de cabelo diferente, mas a mesma mão que costuma levar ao rosto para valorizar as faltas que sofre, Neymar deixou o treino de hoje na Seleção com dores na perna direita (Foto: Hannah McKay – Reuters)

 

Saber o que Neymar de fato sentiu hoje, ao abandonar o treino e sair de campo puxando da perna direita, é uma incógnita. O assessor de imprensa da CBF Vinícius Rodrigues disse que as dores são fruto de pancadas que o atacante sofreu no empate de 1 a 1 (aqui) com a Suíça, e não teria nada a ver com a cirurgia à qual ele se sumeteu há pouco mais de três meses, no pé direito.

Ainda que a atual comissão técnica seja bem diferente da que conduziu o Brasil na Copa de 2010, na África do Sul, o fato de é que uma contusão no púbis de Kaká foi minimizada naquela ocasião. Só após o time ser desclassificado por 2 a 1, nas quartas de final contra a Holanda, é que foi revelada a gravidade do problema, que acabaria por abreviar a carreira do jogador.

De concreto, Neymar apresentou hoje um novo penteado, mais curto, após seu proeminente topete louro, na estreia da Seleção na Copa, ser alvo de memes em todo todo o mundo. Enquanto imprensa especializada e torcida discutem a causa das dores na perna do craque brasileiro, uma questão anterior e talvez mais importante ficou submersa: o técnico Tite conversou com ele sobre os excessos de individualismo que, além das pancadas recebidas, nada produziram de concreto no empate contra a Suíça?

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu