Opiniões

Neymar ignora Tite e xinga Thiago Silva, enquanto “parças” ofendem críticos

 

O juiz holandês Bjorn Kuipers não usou palavras para dizer Neymar o que ele precisa aprender: “fala demais, fala demais” (Reprodução)

 

Neymar é um craque. Domina três fundamentos de união rara num atacante: drible, rapidez e visão de gol. Mas a maneira como o jogador e seu séquito se comportaram hoje é reprovável e preocupante. Primeiro, ele não ouviu as determinações expressas de Tite durante o Brasil 2×0 Costa Rica (aqui), quando o jogo ainda estava 0 a 0.

Neymar ignorou seu treinador e insistiu em reclamar do árbitro, que usou corretamente o VAR para anular o pênalti cavado pelo brasileiro. Depois, como menino mimado, socou a bola no chão e levou o merecido cartão amarelo. Antes, teve sua atitude infantil bem resumida em gesto com a mão pelo bom árbitro holandês Bjorn Kuipers: “fala demais, fala demais”.

Após a partida, capitão de hoje no rodízio da braçadeira da Seleção, Thiago Silva revelou ter sido xingado por Neymar durante a partida. O motivo? Quando o jogo ainda estava empatado no placar virgem, o zagueiro brasileiro devolveu uma bola posta para fora pela Costa Rica, após um dos seus jogadores desabarem, fazendo cera. E por isso foi xingado pelo companheiro de Seleção Brasileira e Paris Saint-Germain.

— Tenho ele como irmão mais novo, e procuro cuidar dele, dando conselhos. Hoje fiquei muito triste com ele. No momento que eu devolvi a bola, me xingou muito. Mas acho que estava certo, porque acho que estavam fazendo muita cera. Devolvi a bola, porque não seria aquela bola que faria a gente ganhar. Me sinto tranquilo em relação ao meu ato e fiquei muito triste com xingamento dele — externou Thiago Silva.

 

Print das ofensas nas redes sociais contra Galvão Bueno e Casagrande, feitas pelos “parças” de Neymar (Reprodução)

 

Torre Eifel inflou o ego de Neymar acima de Paris

Enquanto isso, amigos de Neymar usaram as redes sociais para atacar o narrador Galvão Bueno e o ex-jogador e comentarista Walter Casagrande. O motivo? Os dois fizeram críticas à atitude do camisa 10 do Brasil na transmissão do jogo. Cristian Guedes, Gil Cebola, Adão Rosa e Pedro Velasco defenderam o seu “parça” usando palavrões e gestos obscenos para se referir a Galvão e Casagrande: “Sem mais, Filho da p…”,  “chupa bando de anti”,  “seus m…! Dupla de c… do c…”.

Às 15h da próxima quarta (27), é possível que a necessidade da Croácia em vencer, para continuar na Copa, abra espaços que o ataque brasileiro não teve contra a Suíça e, sobretudo, a Costa Rica. Mas, como se perder, o Brasil também pode voltar mais cedo da Rússia, os problemas brasileiros parecem ser mais complexos que os do campo.

Pouco importa que a Torre Eiffel tenha estampado o nome de Neymar, e seu ego acima disso, na sua contratação pelo Paris Saint-Germain. A disputa do jogador não é com Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi pelo posto de melhor jogador do mundo. Nem mesmo com Philippe Coutinho, que assumiu nos dois jogos do Brasil o papel de protagonista esperado do camisa 10.

Essa camisa que Neymar veste na Seleção já pertenceu a Pelé e a Zico, jogadores aos quais jamais se igualará — nem que vença a Copa do Mundo. Começar por aí já seria um bom caminho.

Caso contrário, melhor chorar na cama do que no gramado.

 

Depois de ter ignorado Tite e xingado Thiago Silva, Neymar sentou no gramado e chorou ao final da partida em que Philippe Coutinho mais uma vez brilhou (Reprodução)

 

Este post tem 3 comentários

  1. Detalha que ouvi no METRO, ” mimado”””””””

  2. 3 coisas:

    1) Zico não jogou nada na seleção. nao tem nenhum título expressivo. Neymar já tem medalha de ouro na olimpíada.

    2) penalti é penalti, com ou sem teatro. Foi penalti claro, pois ele foi deslocado numa mudança brusca de direção pelo zagueiro e perdeu equilíbrio. Se tenta chutar ia fazer besteira e o juíz ia seguir com o lance. Portanto, foi penalti.

    3) neymar apanha o jogo inteiro. ele pode até ser mimado e tal, mas 90% daqueles que jogam bola e comentam por aqui, provocam brigas em pelada de amigos, por bem menos que isso.

    não defendo nem ataco o neymar. ele tem os objetivos dele. se formos diplomáticos e soubermos lidar com os interesses comuns de todos, conseguimos ganhar a copa. senão, preparem-se para mais uma vergonha.

    1. Caro Dieg (é isso mesmo?)

      Três coisas:

      1) Embora fosse jogador de meio de campo, não atacante, Zico está à frente de Neymar na artilharia da Seleção. Incluído o gol marcado contra a Costa Rica, Neymar soma 56 gols em 87 jogos, na quarta posição. Em terceiro, Zico anotou 66 gols em 89 partidas. Ainda que o atual camisa 10, com 25 anos, possa no futuro passar o Galinho de Quintino no placar absoluto, é muito pouco provável que o faça no número que, de fato, importa para saber quem rendeu mais com a camisa amarela número 10: gols por partida. Até aqui, Neymar tem média de 0,64. A de Zico é um pouquinho superior: 0,74 gol por cada jogo pela Seleção. Em segundo lugar no quadro geral da artilharia, Ronaldo Fenômeno marcou 62 vezes em 99 jogos (média de 0,62). Em primeiro, está Pelé, com 77 gols em 99 jogos. Na média de 0,77 gols por partida, é o único jogador na história da Seleção Brasileira à frente de Zico. Recomenda-se, portanto, que vc pesquise um pouco mais e tente conhecer minimamente sobre o que fala, antes de pretender opinar.

      2) Insistir que o lance de Neymar contra a Costa Rica foi pênalti, revelado como simulação grosseira pelas 33 câmeras do VAR, tem o valor retórico de afirmar que a parede branca é uma porta. E cor de abóbora. Insistir que aquilo foi pênalti é quase tão ridículo qt chorar sem lágrimas.

      3) Neymar apanha o jogo inteiro porque prende a bola o jogo inteiro, mtas vezes em jogadas individuais e dribles inúteis, distantes da área adversária. Deveria ouvir a lição de Zico, que lecionava qd jogava: “driblar longe da área só serve para uma coisa: apanhar”. De qualquer maneira, não deixa de ser emblemático que, contra a Costa Rica, Neymar foi o jogador que mais apanhou e mais bateu em campo: sofreu e cometeu quatro faltas. De fato, depois de socar até a bola, levou o merecido cartão amarelo, que talvez tenha saído barato. Oxalá seja diferente nesta quarta, contra a Sérvia. Até pq, se perder, o Brasil dará adeus à Copa da Rússia.

      Como jogador, Neymar não precisa de defesa. Como dito na primeira frase da postagem que comentou: “é um craque”. Já como homem, infelizmente, nenhuma defesa será capaz de nublar sua mediocridade.

      Abç e grato pela chance da exposição!

      Aluysio

Deixe uma resposta

Fechar Menu