Opiniões

Placar de 2 a 0 contra a Costa Rica mascara a realidade: foi um sufoco!

 

Eleito mais uma vez melhor em campo, Phillipe Coutinho comemora seu gol, que abriu o placar aos 46 do segundo tempo (Foto: Max Rossi – Reuters)

 

O placar final de 2 a 0 não condiz com a realidade: foi um sufoco! Os dois gols do Brasil foram marcados após os 45 minutos do segundo tempo. Só aos 46’ Phillipe Coutinho abriu o marcador. Ele aproveitou a sobra de uma bola mal dominada na área por Gabriel Jesus e finalmente achou o caminho das redes da Costa Rica.

O alívio foi tanto que o técnico Tite caiu na comemoração. Após ter marcado no empate de 1 a 1 no jogo de estreia com a Suíça, foi o segundo gol de Coutinho na Copa da Rússia, eleito mais uma vez pela Fifa como melhor em campo.

 

Neymar senta e chora após o fim da partida (Reprodução de TV)

 

O segundo gol foi marcado por quem mais uma vez vinha decepcionando. Aos 52’, com a Costa Rica cansada e aberta pela necessidade de tentar empatar, Neymar concluiu na pequena área uma boa triangulação pela direita entre Casemiro e Douglas Costa, que entrou bem no segundo tempo e lhe serviu.

Encerrado o jogo, Neymar sentou no gramado e chorou. Refeito, poderia refletir sobre o cartão amarelo talvez até tardio que tomou após reclamar e socar a bola no chão, sobre o pênalti que simulou e chegou a ser marcado — mas foi bem anulado com auxílio do VAR —, ou sobre a insistência inútil em jogadas individuais e dribles distantes da área adversária.

 

Bom árbitro Bjorn Kuipers resume com a mão o destaque da atuação de Neymar nos dois primeiros jogos da Capa da Rússia (Reprodução de TV)

 

Apesar do gol, o maior destaque de Neymar nas suas duas atuações nos campos da Copa da Rússia foi melhor definido no gesto com a mão, feito na advertência do experiente e bom juiz holandês Bjorn Kuipers: “fala demais, fala demais”.

 

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu