Opiniões

Subida de Witzel e queda de Romário: Garotinho é o Mick Jagger da eleição

 

 

 

Como o jornalista Arnaldo Neto noticiou aqui, a pesquisa boca de urna do Ibope nos votos válidos a governador do Rio registrou: Wilson Witzel (PSC), 39%; Eduardo Paes (DEM), 21%; Tarcísio Mota (Psol), 15%; e Romário Faria (Pode), 9%. A força do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no apoio a Witzel já tinha sido antecipada aqui no Ponto Final de hoje. Mas a queda brusca de Romário após o apoio de Anthony Garotinho (PRP) confirma: o político da Lapa é o Mick Jagger desta eleição.

Garotinho já tinha ganho fama de pé frio após apoiar Geraldo Alckmin (PSDB) no segunto turno presidencial de 2006, quando o tucano não só perdeu para Lula (PT), como conseguiu ter menos votos que no primeiro. Na eleição a governador de 2014, quando não conseguiu ir ao segundo turno, Garotinho apoiou nele Marcelo Crivella (PRB). E o sobrinho de Edir Macedo acabou perdendo para Luiz Fernando Pezão (MDB).

 

Este post tem um comentário

  1. E quanto a Rafael Diniz? Apoiou os caciques Eduardo Paes para o governo, César Maia para o senado, Marcão para deputado federal, em uma campanha de elevado investimento, e Abú para deputado estadual. Nenhum deles ganhou. Eduardo Paes segue com chances pequenas e o restante chupou dedo. Seria um Mick Jagger 2? Estaria ele com prestigio arranhando no município? Senti falta desta crônica comentar sobre isto, além de esquecer que o Jagger garotinho elegeu ambos os filhos a federal, sendo o mais velho com mais votos do que o braço direito de Rafael, Marcão Gomes.
    Não voto em garotinho. Sou oposição ferrenha ao garotismo. Mas não se pode esconder a impopularidade do governo atual, que infelizmente dá muitas chances ao retorno dos rosáceos daqui a 2 anos, refletidas nesta famigerada campanha eleitoral.

Deixe uma resposta

Fechar Menu