Opiniões

Declaração de voto: Ciro, Trindade, Chico, Miro, Marcão e Bruno

 

Iniciada a semana da eleição, é o momento de declarar meus votos para 7 de outubro. Os mais convictos são para uma disputa à qual a maioria ainda não parece ter acordado. Votarei em dois homens de bem, experientes, honestos, preparados e capazes de representar o Estado do Rio com dignidade no Senado: Chico Alencar (Psol), nº 500, e Miro Teixeira (Rede), nº 188.

 

 

Para deputado federal, enquanto o Brasil não tiver voto distrital misto, penso ser fundamental eleger um representante da região. Sem voz na Câmara Federal, Campos e Norte Fluminense serão deixados de lado pelo centralismo da cidade do Rio, que pretende resumir as questões fluminenses apenas nas cariocas. Meu voto é de Marcão Gomes (PR), nº 2277.

 

 

Para deputado estadual, vale o mesmo raciocínio da escolha do federal. Confesso ter ficado em dúvida entre duas opções locais. Mas acabei me decidindo pelo equilíbrio não só ao conjunto dos meus votos, como também da política regional. Neste sentido, votarei pela reeleição de Bruno Dauiare (PRP), nº 44888.

 

 

Outro voto que me trouxe dúvida foi a governador. Entrevistei quase todos os candidatos para a Folha e três me pareceram mais preparados que os demais, inclusive por conhecerem a fundo questões locais como rio Paraíba do Sul, Uenf e Porto do Açu. Entre os três, após refletir sobre o passado de cada um e suas propostas, sobre a decadente realidade fluminense e suas causas, optei por Marcelo Trindade (Novo), nº 30.

 

 

Por fim, meu voto a presidente. Em meio ao turbilhão que tomou o país desde as “Jornadas de Junho” de 2013, passando pelo pleito de 2014 e o impeachment de 2016, é uma eleição marcada pela irracionalidade entre os opostos. Que dificilmente acabará com o segundo turno de 28 de outubro. Tinha outra opção, mas mudei para quem reúne mais condições de furar a polarização que ameaça levar o Brasil à conflagração. Meu voto será de Ciro Gomes (PDT), nº 12.

 

 

Fechar Menu