Opiniões

Onda do crime em Campos e da estupidez política contra a Bienal

 

 

Onda do crime em Campos

Em plena intervenção das Forças Armadas na segurança pública do Estado do Rio, vários crimes foram registrados em Campos, entre a noite de terça e o dia de ontem. Na ocorrência de maior repercussão, quatro homens armados renderam um segurança e roubaram as Lojas Americanas, por volta das 20h do dia 13, na rua 13 de Maio, em pleno Centro de Campos. A Polícia Civil suspeita da ligação desse crime com o furto no supermercado Walmart, na madrugada de segunda (12), também praticado por quatro assaltantes.

 

Em 2018, 202 homicídios

Ainda na noite de terça, mais dois óbitos elevaram a 202 o número de homicídios praticados em Campos em 2018. Baleado por um policial militar durante confusão de bar no Parque Alphaville, em Guarus, Luan Lilargem Barcelos tinha 29 anos. Ele não resistiu e morreu no Hospital Ferreira Machado, onde estava internado desde o último dia 2. Também na noite de terça, Donato Ribeiro Carvalho foi executado a tiros. No lugar de um bar, o palco do assassinato foi uma pizzaria no Parque Presidente Vargas, novamente em Guarus.

 

Força de Bolsonaro e Witzel

Na manhã de ontem foi a vez de cinco presos que haviam saído do Presídido Carlos Tinoco da Fonseca. De carro, eles teriam ido realizar um serviço extramuro, quando foram fechados por outro veículo na estrada do Santa Rosa. Deste saíram homens armados, que atiraram, ferindo dois detentos. Eles foram atendidos, enquanto os outros três aproveitaram a episódio para fugir. Foi a repetição diária de episódios como esse, no Estado do Rio e em todo o país, que elegeu Jair Bolsonaro (PSL) presidente. Assim como Wilson Witzel (PSC), governador.

 

Guarda da esquina

A necessidade de combate à criminalidade não pode ser confundida com carta branca. Na ditadura militar (1964/85) que Bolsonaro afirma não ter existido, um dos momentos mais dramáticos foi o Ato Institucional nº 5 (AI-5) de 1968. Diante dele, o vice-presidente civil Paulo Aleixo disse: “o problema é o guarda da esquina”. Até agora, nada indica que o presidente eleito não respeitará a Constituição. O problema é que, após sua vitória, seus eleitores mais aloprados se julgam investidos da autoridade do tal “guarda da esquina” nas redes sociais.

 

Censura prévia

Um dos itens considerados mais duros no AI-5 foi a censura prévia, inclusive a livros. Parece ser isso que os aloprados locais da direita se julgam no direito de instalar em Campos. E logo sobre o evento cultural mais importante do município: a Bienal do Livro, que terá sua 10ª edição entre os dias 20 e 25. O alvo escolhido foi o artista Wagner Schwartz, que irá compor a mesa “Fake News: Mentiras Verdadeiras”, no dia 23. Um grupo de direita chegou a ameaçar nas redes sociais: “protesto no dia da Bienal, impossibilitando que o evento seja realizado”.

 

O alvo

Schwartz se tornou conhecido em setembro de 2017, com a polêmica envolvendo sua apresentação no MAM de São Paulo. Na performance, ele se apresentava nu e permitia que os espectadores interagissem com seu corpo. Acompanhada da mãe, uma menina de 6 anos tocou o tornozelo do artista. A partir dali, ele sofreu um linchamento virtual, acusado de pedofilia, e chegou a receber 150 ameaças de morte. Em fevereiro de 2018, o Ministério Público Federal concluiu que não houve nenhum crime no caso e arquivou a investigação.

 

Polícia Federal

Dois membros dessa direita obscura divulgaram vídeos nas redes sociais. Neles exemplificaram o que são fake news, insistindo nas acusações de pedofilia. Um é professor do IFF, que abrigará a Bienal, e foi contrário até a estimular estudantes à leitura. O outro delirou com “atentado de esquerda” e batiza com as iniciais do seu nome o grupo que diz liderar. Lastimáveis como “guardas de esquina”, buscam pegar carona na onda conservadora para se lançarem a vereador em 2020. Antes e depois, qualquer problema no IFF caberá à Polícia Federal.

 

Publicado hoje (15) na Folha da Manhã

 

Este post tem 24 comentários

  1. Sobre a bienal: Péssima escolha, mostrando o total despreparo do governo rafael diniz. E o cara vem com tudo pago??? eee Campos…

    1. Caro Marcos Paulo,

      Classificar a escolha como “péssima” é só a sua opinião, não fato. Isto posto, qual é sua teoria: um palestrante convidado do Rio teria que vir a Campos, para um evento público, pagando do próprio bolso??? eee coerência…

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

      1. Neste convite tá tudo pago ou ele vem de graça?? Os que são pagos para “jogar” goela baixo este “artista”, com certeza devem depois levar os seus filhos para uma sessão de fotos com o mesmo. O mais engraçado é essa voracidade de passar que o governo de rafael diniz tudo tá dando certo, mas como todos os campistas sabem está horrivel e sem rumo… Mas assim como o colocamos, o estaremos tirando… eee Campos, que fase…

        1. Caro Marcos Paulo,

          Seu bordão é bom. Mas, além dele, mais nada. Antes de pretender comentar, vc deveria ler o que já foi escrito na postagem anterior: “O governo de Campos certamente merece críticas. Mas classificá-lo como ‘comunista’ ou ‘socialista’, por conta da diversidade temática em debate aberto na Bienal, é como um professor ser contra o estímulo à leitura de crianças e adolescentes de baixa renda” …. eee papagaio de pirata, que fase…

          Grato pela chance da repetição!

          Aluysio

  2. Esse sujeito tinha que ser preso…se for pela cabeça imoral de vcs daqui a um tempo vcs vão andar nu na rua e vai ter a cara de pau ( coisa que vcs tem de sobra) de achar que é normal…

    1. Caro Cristiano,

      Vc é mais um desses tediosos aloprados de direita que deveria aprender a ler, antes de pretender escrever. No texto que vc comenta, foi claramente dito: “Em fevereiro de 2018, o Ministério Público Federal concluiu que não houve nenhum crime no caso e arquivou a investigação”. Mesmo diante disto, afirmar que ele deveria ser preso, configura crime de difamaçao, art. 139 do Código Penal (CP). Já chamá-lo de imoral é crime de injúria, art. 140 do CP. Assim, por mais que seu desejo freudiano grite pela visão do artista nu, sinto despontá-lo: ele comporá a mesa como debatedor, não para fazer nenhuma performance artística.

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

  3. Se o ato mais duro no ponto de vista do autor do texto, na época da “ditadura” , foi o Ato institucional 05 , fica claro que ele só conhece um lado da história ….
    E quanto se esconde o fato de se tentar promover , assassinos, terroristas , assaltantes e desertores como os heróis da história .
    A exemplo do ato do ex ministro da justiça Tarso genro do PT , que além de promover o ex capitão Lamarca a coronel , concedeu indenização aos herdeiros e pensão vitalícia a viúva.
    “Então se condena os militares que se excederam , e glorificamos os criminosos da causa do proletariado?”

    1. Caro Antenor Lemos Wanderley,

      Conhecer o que foi o AI-5 não é desconhcer o que houve de ambos os lados. Afirmar isso é falácia. Entre todos os grupos que aderiram à luta armada contra a ditadura (sem aspas), não há um só documento (um) que não comprove que o que todos esses grupos de guerrilha queriam implantar no Brasil uma ditadura do proletariado aos moldes cubanos. Ou até pior, como o PC do B, que tinha na obscura Albânia o seu modelo de socialismo. Mas é fato, os dois lados torturam e mataram, pela ditadura e contra ela. O que torna as práticas militares mais graves é que elas foram política de Estado.

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

  4. Falam da violência como se o novo presidente tivesse culpa.li este artigo e vejo que vem de um petista transloucado.a porra do pt ficou 16 anos no poder agir a culpa É do novo presidente.bienal da sacanagem sim artistinha de merda leva para casa e fala para ele fazer uma apresentação

    1. Caro Antony,

      Até para não escrever como tresloucado, vc deveria aprender antes a ler como se fosse são. Em nenhum ponto do texto foi dito que a violência de Campos, Estado do Rio, ou Brasil, é culpa de Bolsonaro ou Witzel. Apenas que essa violência foi um dos principais cabos eleitorais de ambos. Se discorda, vc é ainda mais desinteligente do que aparenta. Mas, concordo, tirar o corpo fora e empurrar o problema da violência aos Estados, foi um dos muitos erros do PT em seus 13 anos (não 16) no governo. Já qt a levar o artista para casa, freudianamente e sem nenhum preconceito, aconselho que vc não exponha seus desejos em público.

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

  5. Me diverti mesmo foi com as respostas inteligentes e bem humoradas do Aluysio! o “aconselho que vc não exponha seus desejos em público”, foi genial!

    1. Caro Savio,

      O humor é a melhor maneira de desnudar tanta estupidez. E rir do que se vê.

      Grato pela generosidade!

      Aluysio

  6. A Bienal deste ano, será uma afronto a família, seja ela direita ou esquerda. Este palestrante não deveria está presente o nde nossos alunos ainda inocentes irão . Debate sobre liberação de drogas onde estamos . Vamos mostrar coisas mas instrutiva . Sr. Prefeito porque escolheu o IFF, agora teremos escola sem partido Deus quer.

    1. Cara Nagila,

      Um afronto (sic) à família é uma afronta ao português. Schwartz participará da Bienal como palestrante, não como artista performártico. De qualquer maneira, como dito no texto, o caso da apresentação do MAM teve sua investigação arquivada pelo Ministério Público Federal. Qt ao que Deus quer, é um pouco mais complicado. Sabe o que os soldados da SS nazista que mataram 6 milhões de judeus, em campos de extermínio na II Guerra Mundial, levavam inscrito nas fivelas dos seus cintos? Era “Gott mit uns” (“Deus conosco”).

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

  7. Em que pese a veracidade da absolvição do artista, e o fato de que havia sim , um aviso sobre a impropriedade para menores relativa à performance, não podemos negar que o convite parece mais uma jogada de marketing,do que propriamente para agregar um bom “palestrante “.Alias, segundo a programação, a vinda será para compor um debate. Debate, pressupõe que ideias divergentes serão discutidas, numa busca de iluminar os mais variados pontos de vista. Não parece-me pela composição da mesa , que isto ocorrerá. O evento, tratado como de esquerda , realmente ,parece manter este viés quando crítica uma manifestação contrária de quem se diz de direita, e nem da voz a este seguimento, no tal debate, visto que não há nenhum componente que soe mais conservador como convidado. Outro ponto; o artista é performer, palestrante é um título que alguém aqui resolveu conceder.

    1. Caro Sandro,

      O Wagner Schwartz foi convidado como debatedor, não para fazer nenhuma performance artística, por mais que ela pareça ser freudianamente desejada pelos críticos de ocasião. Qt à necessidade de haver discordância para se configurar o debate, concordo. Neste sentido, aconselho que leia a postagem acima. Mas especificamente o trecho: “Críticas construtivas poderiam ser feitas à organização da 10ª Bienal. Realmente, muitas dos seus temas e debatedores atendem à agenda lacradora, recusada pelas urnas de outubro. Há muitos intelectuais de pensamento liberal que poderiam ser convidados para dar equilíbrio ao evento. Sem discordância não há debate, só monólogo”.

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

  8. Eu me pergunto se a ditadura,sem aspas ,como gosta o articulista, existiu a partir de 1964, quais foram os fatos que culminaram no AI5? Como o Congresso, destituiu o presidente e apoiou,solicitou que as Forças Armadas assumissem o governo, e este congresso, teria este direito,pois era representante legítimo da democracia ora em curso, de que maneira o Estado deveria agir contra os insurgentes, a quem não bastavam protestos pacíficos e escolheram a luta armada? Você diz, que não documentos que comprovem omdesejomde uma ditadura comunista?! Bem, um pouco mais de curiosidade e verá que há sim, testemunhos em vídeo, de varios participantes das varias facções,que afirmam a real intenção. Inclusive , há documentos que comprovam o envio de guerrilheiros para serem treinados em Cuba. Nunca houve, por parte daqueles que pegaram em armas,real intenção democrática. Todos , sem exceção tinham a meta da ditadura do proletariado.

    1. Caro Sandro,

      Quem usa o termo ditadura para se referir ao regime militar implantado no Brasil entre 1964 e 1985 não sou eu, mas os historiadores. Alguns falam em ditadura civil-militar. Particularmente acredito que o golpe foi civil-militar, daí o apoio inicial do Congresso. Mas o regime foi mesmo uma ditadura militar, sobretudo após o AI-5. Os que se opuserem a ela por meio da luta armada queriam, sim, implantar uma outra ditadura no país: a do proletariado, com divisões entre os moldes cubanos, soviéticos, chineses e até albaneses, como no caso do PC do B. Nisso, todos os documentos, como citei na resposta ao Antenor, são unânimes. Como também os testemunhos de gente que soube fazer a autocrítica devida, como Fernando Gabeira. Em outras palavras, estamos concordes nesse ponto.

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

  9. Essa folha da manhã e demais do grupo globo… estão cada dia pior. O Brasil está perdendo a imprensa imparcial.

    1. Caro Marcos Oliveira,

      Imparcial deve ser o noticiário, não uma coluna de opinião. Se não sabe a diferença entre uma coisa e outra, ignora o que é a imprensa.

      Grato pela chance do debate!

      Aluysio

  10. Sr. Aluízio! Essa sua postura defendendo o indefensável, é justificável, vc faz parte da Bienal e da mesa de debate questionada. O que é ridículo, é ver vc desrespeitar as pessoas que pensam diferente de vc. Na vdd a sua escolha tb não é das melhores, vc é tendencioso, parcial e só defende seus interesses, esse é desserviço que vc presta a nossa população.

    1. Cara Lia Santos,

      Já escrevi três vezes. Mas como sou ruim de desenho, tentarei a quarta: “Em fevereiro de 2018, o Ministério Público Federal concluiu que não houve nenhum crime no caso e arquivou a investigação”. Se não houve acusação de quem de direito, não há demanda de defesa. Pensar diferente é saudável, desde que não se desrespeite os fatos. Até o ridículo, convenhamos, tem seus limites. Fui convidado a Bienal e farei parte da mesa que tem gerado toda essa polêmica, cujos demais componentes não escolhi. Mas, sobre nenhum deles, aceitarei o desserviço da censura prévia. Por apreço à democracia, isso deveria ser um interesse tanto seu, qt meu.

      Grato pela chace do debate!

      Aluysio

  11. Quanta besteira dita pelas pessoas que se dizem “cidadões de bem”. Não sabem ler, não sabem diferenciar fakenews de fatos concretos, se colocam a favor da familia e “Deus acima de tudo”, mas são a favor de linchamento virtual, ou até mesmo fisico, isso se não formos olhar mais de perto e virmos que tem gato de tv a cabo, apoiam trabalho escravo entre outras práticas menores (tão corrputas quanto as maiores).
    Aluysio o debate é sempre válido, mas pra essa galera cega pelo conservacionismo e pela volta da ditadura não há como dialogar. É perda de vida. Um abraço.

    1. Caro Igor,

      Insistir na tentativa de diálogo é a nossa única saída.

      Abç e grato pela participação!

      Aluysio

Deixe uma resposta

Fechar Menu