Opiniões

Pontal de Atafona em poesia, teatro e música nesta quinta na Villa Maria

 

Com as bençãos de Kapi, Yve e Neivaldo, às 20h desta quinta (29), o ator e músico Saullo Oliveira estará apresentando na Casa de Cultura Villa Maria alguns poemas meus sobre Atafona, que integraram a peça “Pontal”.

A apresentação fará parte da exposição “Erosões Visuais”, do coletivo Casa Duna de Atafona. Os curadores do evento são Fernando Codeço, Julia Naidin e Andrés Hernández.

Depois da apresentação dos poemas, Saullo e eu vamos fazer um bate papo com o público sobre poesia e Atafona, bem como sobre a história da peça “Pontal”.

 

 

Abaixo, um dos poemas que será apresentado, “muda” foi o vencedor do FestCampos de Poesia de 2007:

 

muda

 

a memória sai da toca

sobe pela palafita

ainda escorrendo lama

e me fita

com olhos de caranguejo

entre as tábuas do piso

do bar do espanhol

quando o pontal era ponta

tinha fé de igreja

e luz de farol

 

na boca do mangue

passei minha rede de arrasto

mas só peguei filhotes de bagre

que me ferraram o pé

ao chutá-los de volta à água

até que pedro me ensinou

a pegar pitu de mão

entre raízes do mato

na beira do alagadiço

 

hoje passo no mangue

e não piso na lama

mas na asfixia lenta

dos aterros do homem

e do avanço do mar

perto das ilhas da convivência e pessanha

siamesas da mesma terra

onde ficou minha casca da muda

de caranguejo a espera-maré

 

atafona, 06/2000

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu