Opiniões

Nordestina, de origem humilde e lésbica, Amanda Nunes fez história

 

Em Los Angeles, Amanda tem o braço erguido pelo árbitro após nocautear a legenda Cris Cyborg ( Foto: Gary A. Vasquez – USA Today Sports)

 

Até esta madrugada, a paranense Cris Cyborg era a maior lutadora de MMA de todos os tempos. E a mais temida pelo poder devastador das suas mãos. Ainda assim, a baiana Amanda Nunes a derrotou aos 52s do primeiro assalto, por nocaute, trocando socos, no UFC 232.

Amanda é uma síntese da mulher brasileira. E nesta madrugada fez mais por todas elas do que um Maracanã de misândricas travestidas de feministas. Nordestina, de origem humilde, lésbica, foi a primeira mulher da história a conquistar dois cinturões em categorias diferentes do UFC.

Ao escrever seu nome na história do esporte, a baiana arretada pediu um lugar no Hall da Fama. Ganhou um canto do meu coração!

 

Amanda corre pelo octogon de Los Angeles com seus dois cinturões de campeã do UFC, no peso galo e peso pena (Foto: Gary A. Vasquez -USA Today Sports)

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu