Opiniões

Cinco dias após convite público do pai, Caio se encontra com Arnaldo

 

(Reprodução do Instagram)

 

No último domingo (o7), na Folha da Manhã, e na última terça, no programa Folha no Ar, da Folha FM 98,3, o médico ex-prefeito Arnaldo Vianna (MDB) disse (aqui) e repetiu (aqui): “Se Caio (Vianna, PDT) quiser meu apoio, basta pedir”. Pois ontem (12) à noite, o jovem pré-candidato a prefeito de Campos publicou na redes sociais o que parece ter sido o atendimento ao convite do pai: uma foto do encontro dos dois. De domingo a sexta, só demorou cinco dias.

Após o primeiro convite público de Arnaldo, Caio teve tempo para para divulgar outros encontros políticos. Na terça (09), mesmo dia em que o pai reforçou na Folha FM sua intenção de apoiar o filho, este publicou nas redes sociais (aqui) uma foto do encontro com o deputado estadual Rodrigo Bacellar (SD). Na quarta (10), foi a vez do mesmo ser feito (aqui) após o encontro de Caio com o ex-deputado estadual Geraldo Pudim (MDB), a quem Arnaldo apoiou a prefeito em 2016, contra o filho.

A publicação da foto de Caio com Pudim mereceu alfinetada do ex-governador Anthony Garotinho (sem partido), que também usou as redes socais para afirmar (aqui): “Caio Vianna se encontrou com Pudim e acertaram acordo para as eleições municipais. Caio convidou Pudim para junto com sua mãe Ilsan Viana serem seus coordenadores de campanha, caso ele venha a se candidatar a prefeitura de Campos”.

 

 

Na noite de quinta (11), foi a vez de Arnaldo também se movimentar politicamente. Ele recebeu (aqui) em sua residência o odontólogo Alexandre Buchaul (PSDB), que lidera uma revoada tucana em busca de outro ninho partidário para 2020. Na conversa, teria sido acertado uma aliança visando a eleição majoritária de Campos, com a chapa encabeçada pelo ex-prefeito. E que este, em caso de impedimento jurídico, apoiaria Buchaul à Prefeitura.

 

Na quinta, Arnaldo recebeu Alexandre Buchaul e sua revoada tucana (Foto: Cristiano Sampaio)

 

Assim, na noite de sexta, depois de Rodrigo Bacellar e Geraldo Pudim, foi a vez de Caio finalmente atender ao convite público do pai. Junto com a foto do encontro, o pedetista postou a legenda: “Fechar uma sexta-feira ao lado do pai, amigo, redobra as energias. Te amo”. Daqui até outubro de 2020, energia será demanda de quem quiser sobreviver com chances competitivas na disputa a prefeito de Campos. Mas, se mantiver o apoio do pai, diferente do que se deu em 2016, Caio realmente passa a ter redobradas as suas chances.

 

Histórico

Na eleição a prefeito de 2016, Caio chegou a liderar (aqui) as pesquisas do instituto Pro4, até Arnaldo apoiar (aqui) a candidatura de Pudim. A perda do apoio paterno foi considerada decisiva para que o jovem pedetista despencasse nas pesquisas, terminando a disputa em terceiro lugar. Antes, ele fez acordo por baixo dos panos com Garotinho, para tentar forçar um segundo turno no pleito definido ainda no primeiro, com a vitória de Rafael Diniz (PPS). No último debate antes das urnas, na InterTV, o filho de Arnaldo claramente fez dobrada com Dr. Chicão (PR), candidato do garotismo a prefeito.

 

Este post tem 3 comentários

  1. Caio e Arnaldo juntos “aos beijos e abraços” no mesmo site que tentou explorar politicamente um feminícido em Campos e um drama pessoal em SJB? Quem se junta aos porcos farelo come.

  2. Entre esses dois papo de pai e filho só existe pra boi dormir. São dois paus mandados de mulher. Caio de Ilsan e Arnado de Edilene. Essa aliança só dura até definirem da chapa. Ilsan não vai deixar Edilene ser vice. Assim que isso acontecer Arnaldo abandona de novo Caio.

Deixe uma resposta para Mauro Cancelar resposta

Fechar Menu