Opiniões

Gil projeta 2020 na segunda e Quintanilha detalha transporte na terça

 

 

Numa cidade como Campos, na qual a maioria dos pré-candidatos a prefeito são egressos de uma tradição familiar na política, o deputado Gil Vianna (PSL) apresenta seu nome como uma exceção para 2020: “Eu não tenho berço político e, na minha família, não existe nenhum político, além de mim. Vejo que essa é a hora de mudarmos essa visão dentro do município”. Foi o que ele disse na manhã de hoje, quando foi o convidado do Folha no Ar, programa da Folha FM 98,3, sempre das 7h às 8h45 de segunda a sexta.

 

Gil Vianna na manhã desta segunda no Folha no Ar (Foto: Isaias Fernandes – Folha da Manhã)

 

O entrevistado também avaliou o governo Rafael Diniz (PPS). Entre a nota 6 dada (aqui) pelo presidente da Câmara de Campos, vereador Fred Machado (PPS), e a nota 7 ou 8 dada (aqui) pelo reitor do IFF, Jefferson Manhães de Azevedo, ambos em entrevistas à Folha, Gil ficou com a avaliação do primeiro. Mas observou que o prefeito vem fazendo um trabalho de recuperação financeira do município, após ter herdado R$ 2,4 bilhões em dívidas (aqui) da administração Rosinha Garotinho (hoje Patri). Incluída a “venda do futuro” de Campos feita pela então prefeita, contra a qual o hoje deputado votou contra quando era vereador.

Líder da bancada do PSL, maior da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Gil espera contar com o apoio da família Bolsonaro em sua pré-candidatura à Prefeitura de Campos. E disse acreditar que o presidente vai conseguir recuperar a popularidade perdida, segundo todas as pesquisas, nos primeiros meses de governo. Ele também esperar ter o apoio do governador Wilson Witzel (PSC) em 2020, que disputa nos bastidores com o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD). Mas garantiu que concorrerá a prefeito independente disso.

 

Presidente do IMTT, Felipe Quintanilha, será o convidado do Folha no Ar da manhã desta terça (Foto: Folha da Manhã)

 

No início da manhã desta terça (30) o convidado do Folha no Ar será o presidente do Instituto Municipal de Transporte e Trânsito (IMTT), Felipe Quintanilha. Ele detalhará (aqui) o novo modelo de transporte público de Campos. Com previsão de início em maio, ele fará a integração entre ônibus na área central com vans e micro-ônibus, nos distritos. As lotadas também continuarão passando por rigorosa fiscalização. Segundo Quintanilha, o governo Rafael herdou 400 agindo livremente na cidade, e hoje seriam apenas entre 30 e 50. Para o presidente do IMTT, “o grande desafio será resgatar a credibilidade do sistema de transporte”.

Enquanto não chega a entrevista com Felipe Quintanilha nesta terça, confira nos quatro vídeos abaixo a íntegra do Folha no Ar desta desta segunda com Gil Vianna:

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu