Opiniões

Blogueiro da Folha e ex-uenfeano acredita que alunos podem definir eleição da Uenf

 

Servidor federal, blogueiro do Folha1 e ex-uenfeano, Edmundo Siqueira na manhã de hoje no Folha no Ar (Foto: Isaias Fernandes – Folha da Manhã)

 

Apesar da expressiva vantagem do professor Raúl Palacio, candidato a reitor na eleição da Uenf, que obteve 41,70% no primeiro turno da eleição a reitor da Uenf, contra 28,52% do seu adversário no segundo turno, professor Carlão Rezende, o baixo comparecimento na primeira rodada do pleito deixa aberto o resultado final, caso haja mais participação dos votantes, sobretudo dos estudantes. A ressalva foi feita na manhã de hoje, no Folha no Ar 1ª edição, da Folha FM 98,3, pelo ex-uenfeano, servidor público federal e blogueiro do Folha1, Edmundo Siqueira:

— Cerca de 250 professores votaram, 400 técnicos votaram e 1.800 alunos votaram. Os professores (são 300 votantes) já se posicionaram. Os técnicos, embora tenham faltado 200 votantes (são 600 no total), também. Mas os alunos tiveram uma adesão pequena, 1.800 em 7 mil. Então acredito que os alunos possam ser o fiel da balança no segundo turno — lembrou Edmundo, mesmo ressaltando que os estudantes da Uenf, apesar do número, representem 15% do colégio eleitoral da universidade, cabendo outros 15% aos técnicos e grande maioria de 70% ao magistério.

Apesar de opinar que a eleição a reitor da Uenf ainda está indefinida, o servidor federal e blogueiro criticou o nível dos ataques que Raúl Palacio, candidato que liderou o primeiro turno, passou a sofrer nas redes sociais antes da consumação do pleito:

— Eu fiquei triste de ver, acho que em rede social, um texto agressivo contra o Raúl. Achei desproporcional. Não estou defendendo ninguém, até porque não voto na Uenf. Mas achei agressivo, achei que talvez tenha ultrapassado certos limites. De falar que ele não tem produção acadêmica. É muito parecida a capacidade técnica dos dois (Raúl e Carlão). Nas entrevistas que eles deram (aqui e aqui) no Folha no Ar, você percebe isso. Querer desconsiderar a capacidade de qualquer um é errado, ultrapassa o limite ético. Você tem que impedir isso. Ou ao menos responder. Eu acho que se você tem um ataque desses, o próprio outro lado que está sendo beneficiado entre aspas, porque isso não é benefício nenhum, deveria dar uma resposta, se posicionar, para não parecer que está inflando isso.

Edmundo também abordou da recente greve dos médicos da Saúde Pública de Campos, inciada em 7 de agosto e concluída (aqui) no dia 3o do mesmo mês, que cobriu com afinco em seu blog no Folha1. Para ele, o movimento foi fruto de um conjunto de condições: cortes das substituições e gratificações pelos problemas financeiros do município, junto com a implantação do “famigerado” ponto biométrico e as condições de trabalho da categoria. E que foram estas que fez o movimento ganhar força nas redes sociais. Mas considerou ter se tratado de um clássico confronto entre patrão e empregado, conceituado por Karl Marx. O que acabou sendo uma ironia para uma categoria profissional que votou em peso no antimarxismo de Jair Bolsonaro (PSL) a presidente.

Esdmundo considerou “autoritarismo vinculado à religião” a atitude do dublê de bispo da Igreja Universal e prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB). Recentemente, ele tentou censurar um gibi, que continha uma cena de beijo romântico entre dois personagens masculinos, na Bienal do Livro do Rio. Sobre o assunto, ele chegou a entrevistar aqui, em seu blog, a socióloga, advogada, presidente da Fundação Municipal da Infância e Juventude (FMIJ) e também ex-uenfeana, Sana Gimenes.

Sobre outra eleição, a de prefeito de Campos em 2020, o blogueiro acredita que o desgaste do ex-governador Anthony Garotinho (sem partido) pode prejudicar a pré-candidatura do seu filho, o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD). Mas observou que a polarização entre o grupo dos Garotinho e o prefeito Rafael Diniz (Cidadania) interessa aos dois lados. Ele considerou o fenômeno eleitoralmente análogo ao enfrentamento entre petismo e bolsonarismo na eleição presidencial de 2018.

 

Raúl Palacio na quarta e Carlão Rezende, na quinta, no Folha no Ar (Fotos de Isaias Fernandes e montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Nesta quarta (11), o entrevistado do Folha no Ar 1ª edição será o professor Raúl Palacio, candidato a reitor da Uenf. Na quinta (12), o mesmo espaço será democraticamente ocupado pelo outro candidato à reitoria, professor Carlão Rezende.

Confira abaixo os vídeos, divididos em quatro blocos, da entrevista com Edmundo Siqueira:

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu