Opiniões

De Lula a Weintraub, o que deu errado desde o diploma do primário

 

 

“Não troco meu diploma de primário pelo de universitário de Weintraub”. Foi o que disse hoje (confira aqui) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em entrevista ao site Fórum, sobre o ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro (PSL).

Não sei onde foi parar meu diploma primário da Escola Santo Antônio, da saudosa professora Vilma Tâmega, onde hoje fica o Hortifruti da Formosa. Mas não o trocaria pelo de phdeus de quem também hoje foi capaz de assinar uma saudação “com entusiasma”.

Seria trágico, se não fosse cômico, já que o assunto do testu era a… checagem de erros.

Observado que “entusiasmo” é substantivo masculino, não adjetivo que se altere em concordância de gênero, além da distância física que separa “o” de “a” no teclado,  confira abaixo o print:

 

 

Três dias gramando como cabrito na horta (confira aqui) para sair com uma besteira dessa? Vai escrever mal assim no cafundowski!!!…

 

 

Atualização às 15h30 de 22/09 para chamar à postagem do servidor federal, ex-uenfeano e blogueiro do Folha1, Edmundo Siqueira, que fez uma análise mais séria do assunto. Tarefa que, não sem algum constrangimento, este Opiniões assume sua incapacidade de fazer, para além dos risos da grande atriz Renata Sorrah no gif acima. Confira: A pós-verdade é nova; Fake news é apenas um nome novo para a velha prática da “mentira organizada”

 

Este post tem 4 comentários

  1. É mais conhecido como o Mala da Uenf. Pela arrogância e grosseria consegue ser detestado por alunos, técnicos e até muitos colegas professores.

    1. Cara Márcia Couto,

      Pode ser detestado. Mas vale como figurinha folclórica. Mais ou menos como um bubble head histriônico do campus.

      Abç e grato pela participação!

      Aluysio

  2. Ih rapá, pra dizer que não é burro Gaguinho subiu nas tamancas e puxou ate diploma de doutor da Virginia Tech … kkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Caro Fernando,

      Foi na Vigínia que começou, entre os séculos XVI e XVII, a colonização dos EUA pela Inglaterra. O nome do novo território foi batizado em homenagem à rainha inglesa Elizabeth I, anunciada como virgem por sua propaganda de estado para espelhar a Nossa Senhora católica, no início do anglicanismo.

      Quanto ao “Gaguinho”, só dá para levá-lo a sério se considerado seu aspecto folclórico. Mais ou menos como a virgindade de Elizabeth I.

      Mais complacente, o blogueiro e ex-uenfeano Edmundo Siqueira analisou de maneira séria a tentativa canhestra de determinar por meio de fake news o destino de uma instituição da importância da Uenf. Confira no link abaixo:

      http://www.folha1.com.br/_conteudo/2019/09/blogs/edmundo_siqueira/1252791-a-pos-verdade-e-nova-fake-news-e-apenas-um-nome-novo-para-a-velha-pratica-da-mentira-organizada.html

      Abç, grato pela participação e a chance de novos risos!

      Aluysio

Deixe uma resposta

Fechar Menu