Opiniões

Após tiros e agressão a mulher, mais uma briga generalizada na saída da boate Luxx

 

Desde que a boate Luxx se instalou na rua Pero de Gois, zona residencial antes tranquila do Parque Tamandaré, seus moradores não têm mais sossego nas noites e madrugadas dos finais de semana. Por volta das 2h da manhã de hoje (23), os vizinhos que dormiam para trabalhar foram acordados e flagraram mais uma briga generalizada, na saída dos clientes alcoolizados da casa noturna.

A nova confusão na saída da Luxx, que se repete todo final de semana, foi gravada em vídeo. Aos 25 segundos do vídeo um homem de bermuda branca e já sem camisa atira uma garrafa de vidro sobre outro homem, de calça jeans e camisa escura. Por sorte, erra o alvo, mas a garrafa se espatifa contra o muro de uma residência. Confira o novo flagrante, às 2h da manhã desta madrugada:

 

 

Em 1º de dezembro de 2018, entre 3h e 4h da madrugada, uma outra briga generalizada na saída da boate envolveu cerca de 10 pessoas, inclusive mulheres. E quase teve desfecho ainda pior. Dois participantes da confusão saíram de carro, fizeram meia volta, efetuaram três disparos com arma de fogo e retornaram guiando devagar pela Pero de Gois. Um outro participante da briga se agachou atrás de um carro estacionado, também sacou uma pistola e, com ela em punho, acompanhou o veículo que voltava. Apenas por sorte, uma tragédia não ocorreu.

No mesmo dia 1º de dezembro de 2018, a reportagem da Folha ouviu (aqui) um dos proprietários da Luxx, o advogado Amaro Galaxe. A despeito de vários testemunhos em contrário, ele garantiu que os tiros não tinham acontecido:

— Na nossa casa, não houve tiro. Até perguntei ao chefe da segurança, e ele disse que não houve. Perguntei se houve confusão e se colocaram alguém para fora, e ele também disse que não; que, pelo contrário, tudo correu muito tranquilo. Na rua, pós-evento, a gente não tem como acompanhar. Mas, mesmo assim, nossos seguranças, quando saem, ficam em volta para evitar confusão ao redor da boate. Mas, ontem, não aconteceu, graças a Deus.

O proprietário da boate foi desmentido pelo vídeo de duas câmeras de segurança de um prédio vizinho, que flagraram os episódios por dois ângulos. No primeiro, a filmagem se inicia da câmera direita. Entre o centro e a esquerda da parte superior da tela, se observa a briga generalizada no meio da rua. Até que aos 4’50” o carro de um dos envolvidos estaciona em frente à garagem do edifício. Aos 7’10”, após os três disparos, o motorista corre e se agacha atrás de outro veículo parado. E dali observa passar o carro de onde saíram os tiros.

O segundo ângulo é da câmara esquerda do prédio. A partir dos 7’57” é o que melhor evidencia o homem armado. É ele que, aos 9’38”, para seu carro em frente à garagem do edifício. Aos 11’08”, corre de arma em punho e se abaixa atrás de outro veículo estacionado, junto a duas mulheres, acompanhando o carro de onde saíram os disparos. Uma outra briga ainda seria registrada na saída da boate, já depois do dia amanhecer.

 

No detalhe, o flagrante de cliente da boate Luxx correndo de pistola e punho, após briga generalizada e três tiros disparados na madrugada de 01/12/18 (Fotos: Reprodução de vídeo)

 

A partir das marcações de tempo, reveja o flagrante da primeira madrugada de dezembro do ano passado na área antes tranquila do Parque Tamandaré:

 

 

Outro edifício vizinho da casa noturna, o Condomínio Ipanema Residence entrou, em 19 de julho deste ano, com uma denúncia no Ministério Público contra a boate Luxx, situada na rua Pero de Góis, no Parque Tamandaré, em Campos. De acordo com o representante do prédio, que preferiu não se identificar, a denúncia é contra o barulho, sujeira e confusões durante a madrugada. Um abaixo-assinado também foi anexado na denúncia e contou com cerca de 50 assinaturas, não só do condomínio, mas de vizinhos no entorno da boate.

Além disso, um requerimento foi enviado para a Prefeitura, através da superintendência de Fiscalização de Postura. Em dezembro, após o episódio dos tiros, a Postura aplicou multa e obrigou a casa noturna a fazer tratamento de vedamento acústico. Após atender às determinações, ela reabriu em maio. No dia 20 do mesmo mês uma nova confusão foi flagrada em vídeo e noticiada (aqui) pela Folha, com um homem agredindo uma mulher física e verbalmente, na saída da boate:

 

 

Qualquer operação da PM ou da Guarda Civil Municipal constataria o visível nível de embriaguez com que muitos dos clientes saem da Luxx, durante a madrugada, para guiar seu automóveis parados em fila dupla na Pero de Gois. Não raro, cantando pneus no asfalto e com som no máximo volume. Mas os vizinhos residenciais dizem ter desistido de recorrer às forças de ordem pública.

 

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Fechar Menu