Opiniões

Governo anuncia Centro de Combate à Covid-19 na Beneficência Portuguesa

 

Prédio novo da beneficência Portuguesa vai abrigar Centro de Combate ao Coronavírus de Campos

 

O prédio novo do Hospital da Beneficência Portuguesa abrigará o Centro de Combate ao Coronavírus (CCC) de Campos. O anúncio foi feito no final da tarde de hoje, em vídeo do prefeito Rafael Diniz (Cidadania) nas redes sociais. Mas só deve começar a funcionar na próxima sexta-feira (27). Podem chegar a 107 leitos: com equipamentos e médicos do município, 47 leitos de UTI, todos com respiradores, para atender aos casos mais graves. E outros 60 de clínica médica, destinados aos casos moderados, também com respiradores para estabilização dos pacientes. Os doentes com sintomas leves serão encaminhados para isolamento domiciliar. Sem nenhum caso confimado até a noite deste domingo, há 15 casos suspeitos da Covid-19 no município. Com cinco graves: dois na UTI do Hospital Ferreira Machado, dois na UTI do Hospital da Unimed, inclusive uma criança, e um na UTI do Hospital Dr. Beda.

Depois da queda de braço de 7 meses com os hospitais da rede conveniada, cuja complementação municipal à tabela SUS não paga voluntariamente desde julho, a Prefeitura de Campos recorreu a um hospital conveniado para tentar enfrentar a pandemia da Covid-19. Os diretores dos hospitais conveniados de Campos sempre alegaram que oferecem um serviço mais eficiente e menos dispendioso que o da rede pública municipal. Atuando nesta, a maioria da categoria médica de Campos parece ter vencido outra queda de braço com o governo Rafael, no qual já haviam feito uma greve em agosto do ano passado.

Após retomarem a greve em 18 de fevereiro, na semana do carnaval, os médicos da Saúde Pública de Campos decidiram e assembleia voltar ao trabalho na última segunda (16), por conta da pandemia do coronavírus, na véspera do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) determinar (aqui) na terça (17) que o fizessem. Mas a categoria vinha alegando falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para tratar dos pacientes da Covid-19. Que tem taxa de infecção de até 40% nos profissionais de saúde, mesmo quando devidamente protegidos.

Coincidência ou não, após a divulgação de áudios alarmistas na noite de ontem (confira e ouça aqui), em redes de WhatsApp, por uma das poucas médicas de Campos que não atua na rede pública municipal, o governo anunciou hoje o Centro de Combate ao Coronavírus na Beneficência Portuguesa. A ideia já vinha sendo discutida há 15 dias, foi divulgada hoje, mas só deve começar a funcionar na sexta.

— Desde o início de fevereiro, a Prefeitura de Campos, através da Vigilância em Saúde, vem se planejando para o enfrentamento ao coronavírus. Já adotamos diversas medidas, como os vários decretos publicados para evitar aglomerações, garantindo o isolamento social, que é o mais importante neste momento. Adquirimos e já recebemos uma grande remessa de EPIs para os profissionais da área da saúde e estabelecemos as unidades referenciadas para o atendimento inicial. Toda a equipe do Gabinete de Crise vem se empenhando para adotar as medidas necessárias, em contato constante com o Ministério Público. Lamentamos que quando a união é importante, algumas pessoas se valem de um momento delicado para espalhar fake news, disseminando pânico entre as pessoas — disse Rafael hoje, em referência aos vários aúdios gravados e divulgados ontem.

A Diretora da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Campos, a infectologista Andreya Moreira, ressaltou que o CCC será destinado a pacientes com estado de saúde de moderado a grave, com diagnóstico da doença confirmado por exame. A Prefeitura de Campos recebe do Governo do Estado os kits para a realização da testagem e mantém o atendimento inicial nas unidades de referência: Unidades Pré-Hospitalares (UPHs) de Guarus, São José (Goitacazes) e de Travessão e UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

 

Este post tem um comentário

  1. Olá,
    Gostaria que os colegas jornalistas se a tentassem para a seguinte pauta, que como RP estou sentindo falta:
    como os comerciantes que desejarem realizar vendas online devem proceder quanto à higienização de produtos e também sobre a entrega e forma de pagamento dos mesmos.
    Como higienizar as maquinetas, caso o consumidor opte por esse meio? Tenho pesquisado no aplicativo Corona Vírus – SUS, mas não encontrei nada respeito, nas páginas das entidades de classe do município também. Essa é uma questão pertinente para a roda da economia não paralisar totalmente.

Deixe uma resposta

Fechar Menu