Opiniões

Covid-19 — Lojistas de Campos programam carreata pela reabertura do comércio

 

Arte da carreata “Volta Campos”, para pedir a reabetura do comércio no município, contra as recomendações da Organização Mundial de Saúde de isolamento por conta da Covid-19 (Divulgação)

 

Cerca de 250 lojistas campistas reunidos no grupo de WhatsApp “Empresários de Campos” vão promover na manhã desta sexta (27) a carreata “Volta Campos”, para pedir a reabertura do comércio no município, fechado desde segunda (23) por conta da quarentena pela Covid-19. Segundo informou o comerciante Aland Ferreira, lojista do Shopping Avenida 28 e um dos organizadores do movimento, a concentração será às 9h da manhã, em frente à Igreja do Saco. De lá sairá em carreata pela cidade, até a Prefeitura de Campos. A ideia é repetir o protesto também na manhã deste domingo (29).

Seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), bem como o exemplo adotado de quase todos os municípios e estados brasileiros, além de vários países do mundo, o prefeito Rafael Diniz (Cidadania) determinou o fechamento do comércio de Campos a partir da última segunda, à exceção dos serviços essenciais. Com o pronunciamento em cadeia nacional do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na terça (24), contrário à quarentena contra a Covid-19, que chamou de “gripezinha” e “resfriadinho”, o dilema crise na saúde x crise econômica ganhou força na sociedade. A manifestação desta sexta é fruto disso.

Hoje o Conselho Empresarial Permanente de Desenvolvimento de Campos (Cecam), formado por entidades representativas de diferentes setores, entregaram uma carta ao prefeito Rafael. Nela pleitearam “que sejam adotadas medidas para o enfrentamento da crise em razão da Covid-19, entre elas a reabertura do comércio local a partir da próxima quarta-feira-feira (01)”.

De acordo com o pleito, a reaberturas das lojas “deve obedecer a determinação de cuidados específicos de higiene e regras para evitar a aglomeração de pessoas, de modo a permitir a continuação das atividades das empresas locais hoje e no futuro, o regular recolhimento de tributos e a manutenção de empregos”.

O Cecam é constituído por Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a regional da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), Sindicato do Comércio Varejista, Fundação de Desenvolvimento do Norte Fluminense, Sindicato dos Comerciantes de Farmácias, Associação Fluminense do Comércio Farmacêutico e Sindicato Rural de Campos.

Presidente da Acic, Leonardo Castro Abreu adiantou que o prefeito concordou liberar o horário para as padarias, que voltarão a funcionar das 6h às 21h. Também analisa o retorno do setor de construção civil e lojas afins, assim como está em estudo a ampliação dos horários dos ônibus e vans, principalmente no horário da noite. São medidas que visam reduzir os prejuízos do comércio na quarentena.

 

Com o jornalista Paulo Renato Porto

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu