Opiniões

Covid-19 opõe saúde e economia? — Alcimar Ribeiro nesta quinta no Folha no Ar

 

(Arte: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

A partir das 7h da manhã desta quinta (02), o convidado do Folha no Ar 1ª edição, na Folha FM 98,3, é o economista Alcimar Ribeiro. Professor da Uenf, ele falará sobre a o que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aponta como dicotomia entre crise da saúde e crise econômica. Também analisará as medidas governamentais em socorro aos a trabalhadores e empresários, por conta do isolamento social para conter a pandemia da Covid-19, e qual será seu impacto sobre o liberalismo econômico.

Quem quiser participar ao vivo do Folha no Ar desta terça pode fazê-lo com comentários em tempo real, no streaming do programa. Seu link será disponibilizado alguns minutos antes do início, na página da Folha FM 98,3 no Facebook.

 

Maron El Kik adverte em tempo de Covid-19: “existem outras doenças”

 

Que o tempo é de cuidados com a pandemia da Covid-19, ninguém discute. Mas como também ninguém discute outra coisa, embora todas as demais doenças do mundo permaneçam existindo, coube a Maron El Kin, um dos médicos mais respeitados de Campos, fazer o alerta no grupo de WhatsApp deste blog.

Professor da Faculdade de Medicina de Campos (FMC), servidor federal e estadual aposentado da Saúde Pública, prestes a completar meio século de medicina e um dos clínicos-gerais mais disputados de Campos, Maron continua atendendo em seu consultório. Homem de estilo contundente e espírito público, seu diagnóstico é sempre preciso — por precisão, ou necessidade:

 

Maron El Kik, médico

“Entendo que a pandemia é prioritária, mas não existe só patologia por coronavírus! Os médicos que não estão na linha de frente do coronavírus têm que ter sensibilidade para outras patologias tão severas ou mais que estão matando! Sépsis em diabético com ferida tratando online; idosa de 95 urrando há 7 dias de dor e online dando analgésico e ela fraturada; hemorragia digestiva em alcoolista em uso de aspirina desmaiando e ninguém fazendo nada por causa do Corona; paciente sem andar dizendo online que era acidente vascular e era tumor; dor nos braços em idosa tomando anti-inflamatório e era angor pectoris; idosa com insufiência cardíaca que broncoaspirou e fez pneumonia e criou se um pandemônio achando que era Corona, pois sem história da paciente apavoram; asmática há anos que limpou a casa ontem e hoje está dispneica e saem todos correndo dizendo que é Corona. Medicina é coisa muito séria! Vamos nos proteger, proteger os pacientes, mas parar com esta paranoia e examinar o paciente. Os idosos, os pacientes com comorbidade devem ter cuidados especiais, mas reafirmemos que existem outras doenças”.

 

Entre esquerda e direita, o motivo do burro ser carregado nas costas

 

Criado para fornecer pautas a este blog e ao programa Folha no Ar 1ª edição, da Folha FM 98,3, um grupo local de WhatsApp foi criado. Que, a despeito da condição de Neandertal tecnológico do seu moderador, tem sido bastante movimentado. E, nas últimas semanas, como qualquer outra roda de debate da Terra, foi quase monopolizado pela Covid-19 como tema.

Hoje, uma das integrantes do grupo, de orientação política de esquerda, postou dois tuítes do vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos). Que se mudou de mala e cuia à Brasília para chefiar o “gabinete do ódio”. Responsável pelo tom do discurso do presidente e pai Jair Bolsonaro (sem partido) no último dia 24, no pronunciamento nacional em que chamou de “gripezinha” e “resfriadinho” a doença que, até aqui, já matou 241 brasileiros.

Pois hoje Carluxo, como é também conhecido o filho 02 presidencial, demonstrou não só seu conhecido ódio pela esquerda, como também pela direita liberal. E confundiu marxismo com keynesianismo, onde o Estado assume seu papel de indutor econômico da sociedade capitalista em tempos de crise. Que foi como os EUA saíram da Grande Depressão de 1929, venceram a II Guerra Mundial (1939/45) e reconstruíram a Europa Ocidental e o Japão dos escombros.

Em seu idioma particular, que por vezes demanda tradução ao português, Carluxo se posicionou contra a ajuda do governo do seu pai aos trabalhadores informais do país. Que perderam a subsistência por conta do isolamento social para combater a Covid-19:

 

 

 

Carluxo foi respondido no grupo do blog por um jovem liberal, aluno de Humanas da UFF-Niterói que defende com convicção seu credo. E quebra o paradigma da universidade pública brasileira como monopólio do pensamento de esquerda:

— Fico feliz demais desse sujeito atacar o pensamento liberal. Gera menos confusão entre o que defende um Armínio Fraga (ex-presidente do Banco Central e um dos economistas mais respeitados do país) e o que defende um Carlos Bolsonaro. O engraçado é que 30 anos sendo sustentado, ele e a família toda, com dinheiro público em cargos políticos. não é socialismo. Mas uma ajuda emergencial para informais é socialismo.

Com humor didático, o jovem liberal foi complementado no grupo por outra integrante de esquerda. Com uma ilustração que serve para definir não só o filho 02 do presidente, como o perigo sério e real que seu pensamento representa neste tempo de crise do novo coronavírus. Depois do qual o país e o mundo nunca mais serão os mesmos:

 

 

Com Júlia Maria Assis, Marco Alexandre Gonçalves e Sônia Guimarães Alves

 

TJ reabre madeireira em Campos e CNJ autoriza cremar corpos sem certidão de óbito

 

 

Decisão da Justiça não se discute, se cumpre. É um velho e vero dito popular. Vale para a decisão do plantão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) que ontem (31) permitiu (confira aqui) a reabertura da madeireira Madecom em Campos. Vale para a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) também de ontem, em portaria conjunta com o ministério da Saúde, que autorizou (confira aqui) o sepultamento e a cremação de corpos no Brasil antes mesmo da emissão das certidões de óbito, por conta da pandemia da Covid-19.

No Brasil, o pico da doença no país é esperado para dia 20 deste mês. E segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pode se manter pelos meses de maio e junho.

Responsável pelo recuo do primeiro-ministro britânico Boris Johnson na sua posição inicial de só isolar idosos e doentes crônicos, como desejava fazer no Brasil o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Imperial College London fez uma projeção do avanço do novo coronavírus (confira aqui) no maior país da América do Sul. Pelo estudo, mesmo com o isolamento de toda a população, podem morrer de 44 mil a 206 mil brasileiros.

 

Com informações da jornalista Virna Alencar

 

Alcimar Ribeiro — Conselhos sobre economia e saúde no isolamento da Covid-19

 

 

É correta a dicotomia entre a preocupação com a crise mundial na saúde por conta da Covid-19, que já matou 206 brasileiros e ameaça matar dezenas de milhares, e a crise econômica advinda do isolamento social para conter a expansão da pandemia? Não para o economista Alcimar Ribeiro, professor da Uenf.

Na série diária de vídeos que o blog traz conselhos para estes tempos de quarentena, Alcimar defende o confinamento: “não existe espaço para discussão do que é mais importante, a saúde ou a economia. Estas duas ciências precisam andar de mãos dadas (…) para que possamos eliminar esse inimigo número 1”. Para a população mais pobre e as empresas sobrevivam, ele defende ações e gastos governamentais.

Confira abaixo:

 

 

Fechar Menu